Ellen G. White Writings

<< Back Forward >>

«Back «Prev. Pub. «Ch «Pg   Pg» Ch» Next Pub.» Forward»

Primeiros Escritos, Page 213

por Cristo, a quem os judeus crucificaram, acharam que quanto mais sofrimentos levassem sobre eles, mais agradariam a Deus. Muitos dos incrédulos judeus foram portanto mortos, enquanto outros foram expulsos de um para outro lugar, e foram punidos quase de todas as maneiras.

O sangue de Cristo e dos discípulos, a quem haviam levado à morte, estava sobre eles, e eram visitados com terríveis juízos. Seguia-os a maldição de Deus, e eram um provérbio e um escárnio para os pagãos e os chamados cristãos. Foram degredados, enxotados e detestados, como se a marca de Caim estivesse sobre eles. Todavia vi que Deus tinha maravilhosamente preservado este povo e espalhado-o sobre o mundo, a fim de que pudessem ser olhados como um povo especialmente visitado pela maldição de Deus. Vi que Deus havia abandonado os judeus como nação; mas os indivíduos entre eles seriam contudo convertidos e habilitados a rasgar o véu dos seus corações e ver que a profecia com relação a eles tinha-se cumprido; eles receberão a Jesus como Salvador do mundo e verão o grande pecado de sua nação em O haver rejeitado e crucificado.

*****

O mistério da iniqüidade

Sempre tem sido o desígnio de Satanás afastar a mente do povo, de Jesus para o homem, e destruir a responsabilidade individual. Satanás fracassou em seu desígnio quando tentou o Filho de Deus; porém, foi mais bem-sucedido quando veio ao homem decaído. O cristianismo se corrompeu. Papas e sacerdotes presumiam assumir uma posição exaltada, e ensinavam o povo a esperar deles o perdão de seus pecados, em vez de por si mesmos olharem para Cristo.

«Back «Prev. Pub. «Ch «Pg   Pg» Ch» Next Pub.» Forward»