Larger font
Smaller font
Copy
Print
Contents

Testemunhos para a Igreja 2

 - Contents
  • Results
  • Related
  • Featured
No results found for: "".
    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents

    Capítulo 56 — A importância do domínio próprio

    Prezado irmão P:

    Tenho muitas vezes tentado escrever-lhe, mas não tenho conseguido. Não adiarei mais. Poucos dias atrás me senti muito ansiosa a seu respeito. Em Junho último, foram-me mostradas algumas coisas referentes a você. Fui levada ao passado, e foi-me revelada sua vida desordenada e errante. Você estava sem Deus. Sua vida tem sido adversa e inconseqüente. Entretanto, vi que Deus havia misericordiosamente lhe poupado a vida muitas vezes, quando parecia que nenhum poder ou sabedoria humanos poderia preservá-la. Você permanece agora como um milagre da misericórdia. Quando sua vida esteve em perigo iminente, Cristo, seu Advogado, pleiteou em seu favor: “Pai, poupa-lhe a vida um pouco mais. Ele tem sido uma árvore infrutífera, que ocupa inutilmente o solo, todavia, não a cortes. Com paciência esperarei um pouco mais e verei se não dará fruto. Impressionarei seu coração com a verdade. Convencê-lo-ei do pecado.”T2 421.1

    Vi que o Senhor lhe abriu um caminho para obedecer e servir-Lhe. Seus passos foram dirigidos para o Oeste, onde o ambiente lhe seria mais saudável para a formação de um caráter celestial. Você veio para nossa família e foi recebido em nosso coração. Tudo isso foi providenciado pelo Senhor. O irmão não possuía a experiência necessária para viver a vida que Deus poderia aprovar. Foi colocado onde, em poucos meses teria condições de obter mais luz e conhecimento correto da verdade presente, do que teria obtido em anos, se houvesse permanecido no Leste.T2 421.2

    Nosso compassivo Sumo Sacerdote estava familiarizado com suas fraquezas e erros, e não o deixou em sua inexperiência, a batalhar contra o grande inimigo e em meio a circunstâncias desfavoráveis. Houvesse permanecido em _____, e não teria se firmado na verdade. A oposição que teria enfrentado despertaria sua combatividade e você desonraria a verdade pela manifestação de um espírito impetuoso; e então, à medida que os obstáculos surgissem em sua jornada, ficaria desanimado e abandonaria a verdade. Você tem muito a agradecer. Seu coração deve estar cheio de gratidão ao amoroso Salvador, pela misericórdia que lhe manifestou; a você, que tanto tem abusado de Seu amor.T2 421.3

    Vi que você era uma pedra bruta extraída da pedreira e que necessitava muito de cortes, ajustes e polimento antes de preencher o lugar no edifício celeste. Parte desse trabalho tem sido feito por você, mas, oh, há ainda muito que fazer! Você possui um espírito muito descontente. Tem olhado o lado negativo da vida. Não tem sido muito feliz; mas foi você quem se apoiou na própria opinião, excluindo-se do que é bom. Em sua juventude, condescendeu com um espírito de descontentamento; não gostava de ser governado; escolhia andar nos próprios caminhos, a despeito do julgamento ou conselho dos outros. Você não admitia ser controlado pelo padrasto, porque desejava seguir o próprio caminho. Ele não sabia o melhor modo de orientá-lo e você estava determinado a não respeitar sua autoridade. Tão logo ele lhe falava, você se punha na defensiva. Seu espírito contestador era grande e você combatia a tudo e a todos que interferissem em seus planos. Mesmo quando eram feitas sugestões sobre a melhor conduta a seguir em seus planos e trabalhos, você fugia na hora. Pensava que estava sendo criticado, sendo acusado, e se magoava com aqueles que eram seus verdadeiros amigos. Sua imaginação era doentia. Cogitava que todos lhe eram contrários e sua sorte excessivamente difícil. Ela tem sido difícil, mas você a tornou assim.T2 422.1

    Sua atitude para com o padrasto era injusta. Ele não merecia ser tratado por você como foi. Tinha faltas e cometia erros, mas enquanto você estava atento para observá-los de maneira exagerada, não via os próprios erros. Na providência de Deus, sua esposa foi prostrada pela doença. Ela era uma mulher de espírito altivo, mas arrependeu-se de seus pecados e seu arrependimento foi aceito por Deus.T2 422.2

    Seu caminho tem sido cercado à direita e à esquerda, para impedir seu avanço rumo à perdição. O Senhor levou seu espírito indisciplinado e indomável a submeter-se a Ele. Por meio de uma mistura de julgamento e misericórdia, você tem sido levado ao arrependimento. Como Jonas, você fugiu do atual dever para o mar. Deus limitou seus caminhos através das visitações de Sua providência. O irmão não podia prosperar ou ser feliz, porque não se humilhava, mas levava o eu e o pecado consigo. Além disso, condescendia com um espírito descontente e agitado, e não atendia aos deveres. Você queria uma mudança, um trabalho maior. Sua disposição ficou sem rumo.T2 423.1

    Os olhos do querido Salvador têm estado sobre você; não fosse assim e teria sido deixado em seu estado de inconstância e em seus pecados, para tornar-se desajudado no caráter e infeliz nas circunstâncias. Enquanto em terra estranha e num momento de enfermidade, você tristemente sentiu sua desamparada e desolada condição. Passou longas noites e cansativos dias de inquietude e dor, longe de sua mãe e irmãs, sem ninguém a não ser mãos estranhas para atendê-lo bondosamente, e nenhuma esperança cristã a sustentá-lo.T2 423.2

    Você buscava a felicidade, mas não a obteve. Desconsiderava o conselho de sua mãe, e seus rogos para não violar as ordens divinas. Às vezes essa negligência lhe produzia amargura de espírito. Não posso, contudo, entrar em cada particular, pois não me sinto forte. Detenho-me apenas nas coisas mais essenciais que me foram apresentadas.T2 423.3

    Vi que lhe é requerido algo que não entende — morrer para si mesmo, crucificar-se. Você possui um temperamento impetuoso, que precisa ser subjugado. Possui também nobres traços de caráter que lhe conquistarão amigos, se esse espírito precipitado não os ferir. Você estabelece forte ligação com aqueles que lhe manifestam interesse. É consciencioso quando vê corretamente as coisas, porém, é movido freqüentemente por impulso, sem deter-se para refletir.T2 423.4

    Você emite opiniões sobre indivíduos e comenta-lhes os modos e atitudes, quando não compreende sua posição ou trabalho. Vê as coisas sob o próprio ponto de vista e está pronto a questionar ou condenar as atitudes alheias, sem examinar os assuntos com imparcialidade por todos os ângulos. Não tem nenhum conhecimento dos deveres dos outros e não deve sentir-se responsável por seus atos, mas deve cumprir o próprio dever, deixando os outros com o Senhor. Domine seu espírito com paciência, conserve a paz e a serenidade mental, e seja agradecido.T2 424.1

    Vi que o Senhor lhe havia concedido luz e experiência para que visse a pecaminosidade de um espírito precipitado, e controlasse suas emoções. Se fracassar em fazer isso, certamente fracassará em ganhar a vida eterna. Você precisa vencer essa imaginação doentia. É extremamente sensível, e se sente ferido quando alguém pronuncia uma palavra favorecendo um procedimento oposto ao que tem estado a seguir. Sente-se acusado e acha que deve se defender, salvar a vida; e em seu empenhado esforço de salvar a vida, perdê-la-á. Você tem algo a fazer: morrer para o próprio eu e cultivar um espírito de paciência e resignação. Despreze a idéia de que você não é usado corretamente, que sofre injustiças, que alguém o quer excluir ou fazer-lhe mal. Você vê com falsos olhos. Satanás o leva a ter pontos de vista distorcidos das coisas.T2 424.2

    Prezado irmão P, seu caso foi-me mostrado novamente em Adams Center. Vi que você sempre falhou em exercer domínio próprio. Fez esforços, mas eles apenas atingiram o exterior; não tocaram a mola mestra. Seu temperamento impetuoso produz-lhe freqüentemente sincero e doloroso pesar e condenação própria. Esse espírito impulsivo, a menos que seja subjugado, se transformará em uma disposição impertinente, descobridora de faltas; o que já existe em certo grau em você. Estará pronto a ressentir-se de tudo. Se alguém lhe dá um encontrão na calçada, você se ofende e deixa escapar de seus lábios uma palavra de protesto. Quando dirigindo pelas ruas, se a metade da pista não lhe for dada, reage de pronto. Se alguém lhe pede para ceder o lugar a outro, você se impacientará e se irritará, sentindo que sua dignidade foi atingida. Manifestará a todos o pecado que o persegue. O próprio semblante mostrará o espírito impaciente, e sua boca parecerá sempre pronta a deixar escapar uma palavra irada. Neste hábito, assim como no uso do fumo, a abstinência total é o único remédio seguro. Uma total mudança precisa efetuar-se no irmão. Você freqüentemente sente que precisa cuidar-se mais. Com resolução diz: “Serei mais calmo e paciente”, mas assim fazendo apenas atinge o mal pelo lado externo, pois consente em prender o leão e vigiá-lo. Você precisa ir além disto. Somente a força do princípio pode desalojar esse inimigo destruidor e trazer paz e felicidade.T2 424.3

    Repetidamente você diz: “Não posso dominar meu temperamento. Preciso falar.” Falta-lhe, em verdade, um espírito humilde e manso. O eu está bem vivo e você monta guarda continuamente para preservá-lo da humilhação e do insulto. Diz o apóstolo: “Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus.” Colossences 3:3. Aqueles que morreram para o eu não reagirão prontamente a tudo o que os possa irritar. Homens mortos não podem sentir. Você não está morto. Se estivesse, e sua vida estivesse escondida em Cristo, as mil coisas que agora nota e o afligem, seriam passadas por alto como indignas de atenção. Então entenderia as coisas eternas e estaria acima das insignificantes coisas desta vida.T2 425.1

    “A língua também é um fogo; como mundo de iniqüidade.” Tiago 3:6. “O entendimento do homem retém a sua ira; e sua glória é passar sobre a transgressão.” Provérbios 19:11. “O longânimo é grande em entendimento, mas o de ânimo precipitado exalta a loucura.” Provérbios 14:29. “Melhor é o longânimo do que o valente, e o que governa o seu espírito do que o que toma uma cidade.” Provérbios 16:32. “Sabeis isto, meus amados irmãos; mas todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar. Porque a ira do homem não opera a justiça de Deus.” Tiago 1:19, 20. “Retém as suas palavras o que possui o conhecimento, e o homem de entendimento é de precioso espírito.” Provérbios 17:27.T2 426.1

    Nosso grande Exemplo foi exaltado para ser igual a Deus. Ele era o grande Comandante do Céu. Todos os santos anjos se deleitavam em curvar-se perante Ele. “E, quando outra vez introduz no mundo o Primogênito, diz: E todos os anjos de Deus O adorem.” Hebreus 1:6. Jesus tomou sobre Si a nossa natureza, pôs de lado Sua glória, majestade e riquezas para cumprir sua missão: salvar o que se havia perdido. Ele veio não “para ser servido, mas para servir” (Mateus 20:28) a outros. Jesus, quando injuriado, maltratado e insultado, não revidava. “O qual, quando O injuriavam, não injuriava.” Quando a crueldade do homem Lhe infligiu penosos açoites e ferimentos, Ele “não ameaçava, mas entregava-Se Àquele que julga justamente”. 1 Pedro 2:23. O apóstolo Paulo exorta os irmãos filipenses: “De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus. Mas aniquilou-Se a Si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-Se semelhante aos homens.” Filipenses 2:5-7. É o servo maior que seu senhor? Cristo pôs Sua vida como nosso padrão, e O desonramos quando nos tornamos ofendidos por qualquer desfeita, e estamos prontos a ressentir-nos de toda ofensa, suposta ou real. Não é evidência de nobreza de mente estar preparado para defender-se, para preservar a própria dignidade. Seria melhor sofrermos injustamente uma centena de vezes do que ferir alguém pela retaliação, ou por dar vazão à ira. Há força em Deus. Ele pode ajudar. Ele pode dar graça e sabedoria divinas. Se você pedir com fé, receberá; mas precisa vigiar em oração. Vigiar, orar e trabalhar devem ser suas palavras de ordem.T2 426.2

    Sua esposa poderia ser uma bênção se apenas tomasse sobre si a responsabilidade que lhe compete. Mas ela evitou responsabilidades durante toda a vida, e agora está em perigo de ser influenciada, em lugar de influenciá-lo. Em vez de exercer uma influência elevada e suavizante sobre você, corre o risco de pensar e agir como você, sem se deixar guiar por princípios em todas as suas ações. Vocês compartilham os próprios sentimentos e, infelizmente, ajudam-se mutuamente a ver as coisas de maneira incorreta. Ela pode exercer uma influência para o bem, mas possui um espírito que aprecia a apatia e a preguiça espiritual. Reluta em envolver-se nalguma boa obra, se essa não lhe agrada. Qual foi o pecado de Meroz? Não fazer nada. Não foi por causa de grandes crimes que eles foram condenados, mas porque “não vieram em socorro do Senhor”. Juízes 5:23.T2 427.1

    Foi-me mostrado que sua esposa não compreende a si mesma. Ela, em sua juventude, evitava encargos e mesmo hoje não está disposta a enfrentá-los. É inclinada a apoiar-se nos outros, em vez de nas próprias forças. Ela não se estimula à nobre independência. Durante os anos passados ela deveria ter se educado a assumir responsabilidades. Ela não tem boa saúde. Tem propensão para insuficiência hepática e não gosta de fazer exercício físico. Não possui disposição para o trabalho, a menos que lhe seja obrigatório. Ingere em dobro a quantidade de alimento que precisa, e tudo o que lança no estômago além do que o organismo pode converter em bom sangue se torna refugo, e sua eliminação sobrecarrega a natureza. Seu organismo está atravancado com essas substâncias, que a atrapalham em seu trabalho, bloqueiam-lhe os órgãos e enfraquecem-lhe as forças vitais.T2 427.2

    Ingerir mais alimento do que o organismo pode converter em bom sangue, produz baixa qualidade de sangue e compromete a vitalidade em grau mais elevado do que trabalho ou exercício físico. Tal excesso no comer causa um desânimo doentio. Os nervos cerebrais são convocados para auxiliar os órgãos digestivos, ficando assim constantemente sobrecarregados, debilitados e entorpecidos. Essa condição deixa uma sensação de enfraquecimento na cabeça e faz com que sua esposa fique sujeita, qualquer dia, a ser acometida de paralisia. O que ela está necessitando não é de conselhos para evitar o exercício. Nada seria mais perigoso a ela do que ficar onde suas forças físicas não sejam chamadas a ativo exercício. O exercício físico é muito essencial. Ele fortalecerá o corpo e a mente. Quando ela despertar para a responsabilidade de sua posição, e ver o benefício que resultará de ter um objetivo na vida, não mais permitirá submergir-se na indolência e a evitar trabalhos. Ela não põe o coração no que faz e se movimenta de um lado para outro como uma máquina, sentindo que o trabalho é um fardo. Enquanto se sentir assim, não compreenderá a nova vida e o vigor que é seu privilégio ter. Falta-lhe ânimo e energia. Ela é propensa a ficar perdida em aborrecimentos e depressão. A grande apatia que sente pode ser vencida unicamente com um regime alimentar moderado, perfeito controle do apetite e de todos os sentimentos fortes, e a convocação da vontade para ajudá-la na prática de exercícios. É preciso que a vontade estimule as forças nervosas para que ela possa resistir à indolência.T2 428.1

    Irmã P, você nunca será útil ao mundo, a menos que seus propósitos sejam fortes para capacitá-la a vencer sua indisposição em cuidar-se e assumir responsabilidades. Quando você exercitar diariamente suas forças, a tarefa será menos difícil até que se lhe torne uma segunda natureza o cumprir deveres, ser cuidadosa e diligente. Você pode acostumar-se a pensar, ao colocar uma carga menor sobre o estômago. A sobrecarga entorpece a mente.T2 428.2

    Você deve também ter um alvo, um propósito na vida. Não havendo propósito, vem a disposição à indolência; mas quando se tem em vista um objetivo suficientemente importante, todas as faculdades da mente entrarão em espontânea atividade. Para fazer da vida um êxito, os pensamentos têm de fixar-se firmemente no objetivo da vida, e não serem deixados a vagar e ocupar-se com coisas de pouca importância, ou satisfazer-se com ociosas fantasias, que são fruto da fuga da responsabilidade. Construir castelos corrompe a mente.T2 429.1

    Assuma seu dever presente. Faça-o com vontade, de todo o coração! Você deve resolver fazer algo que requer esforço mental e físico. Seu coração deve estar em seu trabalho atual. O dever que agora está a sua frente é exatamente a obra que o Céu deseja que faça. Sonhar com uma ocupação distante, e imaginar e planejar a respeito do futuro, provar-se-ão inúteis e a inabilitarão para o trabalho que, embora possa parecer pequeno, o Céu agora coloca diante de você. Não deve ser seu empenho fazer uma grande obra, mas realizar alegremente e bem o trabalho que tem para executar hoje. Os talentos que lhe são confiados devem ser duplicados. É sua a responsabilidade por seu uso ou abuso. Você não deve aspirar grandes coisas a fim de realizar um excelente trabalho, mas cumprir sua pequena tarefa. Aprimore seus talentos ainda que sejam poucos e deixe repousar sobre você o senso de sua responsabilidade para com Deus pelo uso adequado deles.T2 429.2

    Você não deve esperar evitar dores e padecimentos nas lutas e provações da vida. O Filho de Deus participou da natureza humana. Com frequência Ele Se sentia cansado de corpo e espírito. Disse Ele: “Convém que Eu faça as obras dAquele que Me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar.” João 9:4. Você precisa parar com seus fantasiosos sonhos e pôr a mente nos deveres presentes, cumprindo-os alegremente.T2 429.3

    Este mundo não é o Céu do cristão. É meramente o lugar de preparo. É o cenário de nossas batalhas, conflitos e tristezas, e é importante que todos tenhamos firme compreensão de um mundo melhor, onde, findas as lutas, encontraremos paz, alegria e felicidade para sempre. Vi que você e seu marido estariam em grande perigo de naufragar na fé se estivessem de acordo, porque olhariam os fatos sob uma falsa luz. Vocês têm uma grande obra a fazer por si mesmos, mas estão em perigo de fechar os olhos para as faltas um do outro.T2 430.1

    A irmã P deveria guardar-se para não despertar o espírito impaciente do marido, referindo-lhe supostas injustiças para obter simpatia. Ele vê as coisas por uma luz extrema e é profundamente sensível a certos assuntos não merecedores de tanta importância. Ela terá de aprender isso e compreender que é sabedoria ficar calada. Ela precisa da força da paciência. É muito mais fácil pôr algo na mente do que removê-lo, uma vez que esteja lá. É mais fácil demorar-se sobre supostos erros do que controlar os sentimentos por eles gerados.T2 430.2

    O irmão P tem qualidades que seriam excelentes se fossem aperfeiçoadas pelas nobres influências da religião pura. Ele pode ser útil. Somente a piedade sincera pode qualificá-lo para bem cumprir seus deveres neste mundo e prepará-lo para o Céu. Você precisa conquistar um caráter celestial já aqui na Terra, meu irmão, ou nunca o terá; portanto, deve assumir de vez o trabalho que tem a fazer por si mesmo. Necessita trabalhar diligentemente para obter o preparo para o Céu. Viva para o Céu. Viva pela fé.T2 430.3

    Irmão P, você é uma pedra bruta, mas a mão de um hábil Artífice está sobre o irmão. Permitirá você ser desbastado, modelado, polido por Ele, para ser edificado sem o som de machado ou martelo? Nem um golpe deve ser desferido após o fechamento do tempo de graça. Você deve, agora, nas horas de graça, vencer seu temperamento impetuoso ou ser afinal separado de Deus.T2 430.4

    Jesus os ama, irmãos, e os salvará se seguirem o caminho por Ele apontado. Vocês podem ter uma religião prática se realmente tiverem fome e sede dela. Vão a Deus em fé e humildade e peçam, pois certamente receberão; mas lembrem-se de que o discípulo não está acima de seu Mestre, nem “é o servo maior do que o seu Senhor”. João 13:16. Os irmãos necessitam nutrir aquela humildade e simplicidade de mente que se firma em Cristo.T2 431.1

    Battle Creek, Michigan

    9 de Fevereiro de 1869

    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents