Larger font
Smaller font
Copy
Print
Contents

Testemunhos para a Igreja 2

 - Contents
  • Results
  • Related
  • Featured
No results found for: "".
    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents

    Capítulo 30 — Advertências à igreja

    Prezados irmãos em _____:

    Vocês não estão permanecendo na luz, como Deus gostaria. Fui levada à ocasião das conversões em _____, na primavera última, e foi-me mostrado que a mente dos irmãos não estava preparada para esse trabalho. Vocês não criam ou esperavam que tal obra pudesse ser feita em seu meio. Mas o trabalho foi levado adiante, apesar da incredulidade e sem a cooperação de muitos de vocês.T2 216.1

    Quando vocês tiveram tais evidências de que Deus estava esperando para ser gracioso com Seu povo, que a voz de misericórdia estava convidando pecadores e apóstatas à cruz de Cristo, por que não se uniram àqueles que tinham a responsabilidade do trabalho sobre si? Por que não vieram “em socorro do Senhor”? Juízes 5:23. Alguns dentre vocês pareciam entorpecidos, insensibilizados e atônitos, não preparados para participar plenamente da obra. Muitos concordavam com a obra, mas seu coração não estava nela. Essa foi a grande evidência do estado de mornidão da igreja.T2 216.2

    Seu mundanismo não os dispõe a abrir completamente a porta de seu duro coração ao bater de Jesus, que aí busca entrar. O Senhor da glória, que os redimiu pelo próprio sangue, estava a sua porta esperando entrada; mas vocês não a abriram francamente, convidando-O a entrar. Alguns entreabriram a porta, deixando entrar um pouco da luz de Sua presença, mas não deram as boas-vindas ao Visitante celeste. Não havia lugar para Jesus. O lugar que Lhe devia ter sido reservado, estava ocupado com outras coisas. Jesus lhes rogava: “Se alguém ouvir a Minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.” Apocalipse 3:20. Havia uma obra a ser feita por vocês para abrir a porta. Por algum tempo se sentiram inclinados a ouvir e a abrir; mas mesmo essa inclinação se foi, e deixaram de obter a comunhão com o Hóspede celeste que lhes era dado o privilégio de receber. Alguns, todavia, abriram a porta, acolhendo de coração a seu Salvador.T2 216.3

    Jesus não força a porta. Vocês precisam abri-la e mostrar que desejam Sua presença, dando-Lhe sinceras boas-vindas. Se todos houvessem feito uma obra completa em livrar-se do entulho do mundo e preparar um lugar para Jesus, Ele teria entrado e habitado com vocês, e feito uma grande obra em salvar pessoas por intermédio dos irmãos Mas, apesar de estarem despreparados para o trabalho, ele se iniciou poderosamente entre vocês. Os apostatados foram recuperados, os pecadores convertidos e a mensagem foi proclamada nos arredores. A comunidade foi agitada. Houvesse a igreja vindo em socorro do Senhor e aberto plenamente o caminho para o trabalho complementar, a obra teria sido realizada em _____ e _____, e nos arredores, tal como nunca foi antes testemunhado. Mas a mente dos irmãos não estava desperta e eles manifestavam grande indiferença pelo assunto. Alguns que haviam sempre buscado os próprios interesses, não permitiram que a mente fosse desviada de si mesmos nessa ocasião, embora a salvação de almas estivesse em jogo.T2 217.1

    O Senhor colocou-nos sob essa obrigação. Estávamos dispostos a dar tudo de nós por algum tempo, se vocês viessem conosco em socorro do Senhor. Contudo havia uma decisiva falha nisso. Grande ingratidão foi demonstrada para com as manifestações do poder de Deus entre vocês. Houvessem recebido os sinais da misericórdia e bondade divina, com coração agradecido e unindo os interesses para trabalhar com o Espírito de Deus, não estariam na presente condição. Mas desde que essa obra foi feita, vocês têm declinado e se definhado espiritualmente.T2 217.2

    Vocês ainda não compreenderam a parábola da ovelha perdida. Não aprenderam a lição que o Mestre divino lhes ministrou. Vocês têm sido estudantes vagarosos. Leiam a parábola em Lucas: “Que homem dentre vós, tendo cem ovelhas e perdendo uma delas, não deixa no deserto as noventa e nove e não vai após a perdida até que venha a achá-la? E, achando-a, a põe sobre seus ombros, cheio de júbilo; e, chegando à sua casa, convoca os amigos e vizinhos, dizendo-lhes: Alegrai-vos comigo, porque já achei a minha ovelha perdida.” Lucas 15:4-6.T2 218.1

    Esses foram os casos de muitos que haviam apostatado, que haviam estado em trevas, que se extraviaram do rebanho. Mais destacado, porém, foi o caso do irmão A. Foram empregados com sabedoria todos os esforços para evitar que ele abandonasse o aprisco. Mas após ter ele se afastado, não foram feitos zelosos esforços para trazê-lo de volta. Houve mais mexericos sobre seu caso do que sincero pesar por ele. Tudo isso o manteve afastado do redil e motivou seu coração a separar-se cada vez mais de seus irmãos, tornando mais difícil o resgate. Quão diferente esse procedimento daquele do pastor da parábola, quando em busca da ovelha perdida. As noventa e nove foram deixadas no deserto para cuidarem de si mesmas, expostas ao perigo, enquanto a perdida, separada do rebanho, estava sob maior risco ainda. Para garantir uma, as noventa e nove ficaram.T2 218.2

    Alguns na igreja não têm nenhum anseio com respeito ao retorno do irmão A. Eles não se preocupam o suficiente para apartar-se de sua dignidade e orgulho e fazer esforços especiais para reconduzi-lo à luz. Permaneceram em sua dignidade e disseram: “Não vamos atrás dele; que ele venha a nós.” Olhando os sentimentos de seus irmãos para com ele, era-lhe impossível voltar. Houvessem eles aprendido a lição de Cristo, e teriam estado dispostos a submeter o orgulho e a dignidade, e saírem em busca dos errantes. Teriam chorado, orado por eles, implorando-lhes para serem fiéis a Deus e à verdade, e retornarem à igreja. Mas o sentimento de muitos era: “Se ele desejar ir embora, que vá.”T2 218.3

    Quando o Senhor enviou Seus servos para fazerem pelos que erram o trabalho que vocês deveriam ter feito, e mesmo quando tinham evidência de que o Senhor estava dando uma mensagem de misericórdia para os pobres extraviados, vocês não estavam preparados para desistir de suas idéias. Não quiseram deixar as noventa e nove e sair em busca da ovelha perdida até encontrá-la, assim nada fizeram. Quando a ovelha foi encontrada e trazida de volta com júbilo, porventura vocês se alegraram? Tentamos despertá-los, tentamos reuni-los, assim como o pastor convocou seus amigos e vizinhos, para regozijarem-se conosco, mas vocês pareciam indispostos. Acharam que a ovelha havia cometido um grande erro em deixar o rebanho, e em lugar de se alegrarem com seu retorno, estavam ansiosos para fazê-la sentir-se pesarosa pelo desvio, e que deveria voltar exatamente como pensavam. Desde seu retorno, nutriram ciúmes a seu respeito. Mantiveram-na sob vigilância para ver se tudo estava bem. E alguns não ficaram muito satisfeitos; sentiram-se indispostos em aceitar as coisas exatamente como são.T2 219.1

    Vocês não conhecem a si próprios. Alguns são egoístas e isso restringe seus esforços e influência. Há “alegria no Céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento”. Lucas 15:7. Estivesse a igreja preparada para apreciar a obra que o Senhor estava realizando entre eles, cresceriam mais decididamente. Mas, em vez de se lançarem de corpo e alma na obra e nutrirem especial interesse em fazer tudo o que estivesse ao seu alcance, agiram como se isso não se referisse especialmente a eles e fossem simples espectadores, prontos a desconfiar e encontrar faltas onde houvesse oportunidade.T2 219.2

    Apresentou-se-me o caso do irmão B. Ele se sente infeliz e insatisfeito com seus irmãos. Durante algum tempo se convenceu de que era seu dever pregar a mensagem. Possui habilidade e até onde seu conhecimento da verdade permite, é capaz, mas, falta-lhe refinamento. Ele não aprendeu a dominar-se. Como lidar com mentes exige grande sabedoria, o irmão B não está qualificado para este trabalho. Embora compreendendo a teoria da verdade, não se educou em paciência, resignação, mansidão, bondade e verdadeira cortesia. Se surge algo que não entende, não se detém para ver se é sábio dar atenção ao assunto ou deixá-lo até ser devidamente considerado. Ergue-se imediatamente para a batalha. É rude, rigoroso, denunciador, e se não concorda com algo, tumultua de vez o ambiente.T2 220.1

    Ele possui em sua constituição elementos combativos, em vez de doce paz e harmonia. Não tem sabedoria para dar a todos, no devido tempo, sua porção. “E apiedai-vos de alguns que estão duvidosos; e salvai alguns, arrebatando-os do fogo; tende deles misericórdia com temor, aborrecendo até a roupa manchada da carne.” Judas 22, 23. O irmão B tem pouco conhecimento em fazer essa diferença. Ele é rude em suas maneiras e indiscreto ao lidar com pessoas. Tal conduta o desqualifica para ser um sábio e cuidadoso pastor. Um pastor precisa possuir generosidade, coragem, firmeza, amor e ternura combinados.T2 220.2

    O irmão B se acha em perigo de demolir mais do que construir. Não se submete à vontade divina. Não foi transformado “pela renovação do” seu “entendimento”. Romanos 12:2. É auto-suficiente e não confia inteiramente na graça divina; suas obras não “são feitas em Deus”. João 3:21. Ser um pastor é ocupar uma posição de responsabilidade importantíssima; alimentar o rebanho de Deus é uma obra elevada e sagrada. Irmão B, o Senhor não o considera apto para vigiar Seu rebanho. Se você tivesse aprendido a lição sobre o domínio próprio em sua experiência religiosa, e sentisse a necessidade de elevar a mente e purificar o coração pela santificação do Espírito, e de sujeitar tudo à vontade divina, buscando humildade e mansidão, poderia agora estar numa posição de fazer o bem e exercer uma influência que enobrece e salva.T2 220.3

    Irmão e irmã B, vocês precisam fazer por si mesmos uma obra que ninguém pode fazer em seu lugar. Vocês têm a tendência de murmurar e reclamar. Precisam fazer alguma coisa para subjugar seus sentimentos naturais. Vivam para Deus, sabendo que não têm de responder pelos erros dos outros. Vi, irmão B, que você certamente será vencido por Satanás, e naufragará na fé, a menos que pare com esse espírito crítico, e busque “a religião pura e imaculada para com Deus”. Tiago 1:27. Você precisa manter pensamentos e conversação elevados; precisa ser cabalmente convertido.T2 221.1

    Vida e morte estão perante você. Deve considerar solenemente que está tratando com o grande Deus, e deve lembrar-se sempre de que Ele não é uma criança com quem se brinque. Não pode empenhar-se em Seu serviço de acordo com a própria vontade, e abandoná-lo quando bem quiser. Você precisa de uma conversão interior. Todos os que, como você, meu irmão, deixaram de crescer na graça de Deus e aperfeiçoar a santidade em Seu nome, irão, nestes dias de perigo e tentação, sofrer grande perda. Seus alicerces provarão estar fixados na areia movediça, e não na Rocha, Cristo Jesus.T2 221.2

    Você age por impulso. Sente-se em desarmonia com seus irmãos porque não é enviado a pregar a verdade.Você não está apto para essa responsabilidade. Seria necessário mais do que um pregador eficiente para seguir em seus rastros, a fim de tratar as feridas e contusões que seu procedimento áspero causaria. Deus não está satisfeito com você, e temo que perca a vida eterna.T2 221.3

    Você não tem mais tempo a perder. Faça zelosos esforços para salvar-se do laço de Satanás. Necessita aprender de Jesus, que é “manso e humilde de coração” (Mateus 11:29), e então achará descanso. Oh, que trabalho você tem de fazer para aperfeiçoar a santidade no temor de Deus, e estar preparado para a associação com os puros e santos anjos. Precisa humilhar o coração perante o Senhor e buscar “justiça” e “mansidão” para que possa ser escondido “no dia da ira do Senhor”. Sofonias 2:3.T2 222.1

    Irmão B, o Senhor o abençoou na primavera última, contudo, você não conseguiu compreender a relação que a vigilância e a oração têm com o progresso na vida espiritual. Negligenciou esses deveres e o resultado foi uma envolvente escuridão. Você tem estado em uma condição de incerteza e desconfiança, e freqüentemente escolhido associar-se com aqueles que estão em trevas, a quem Satanás usa para afastar pessoas de Cristo. Você poderia até viver entre os mais corrompidos e manter-se sem mancha, impoluto, se Deus em Sua providência assim o dirigisse. Entretanto, é perigoso para os que desejam honrar a Deus achar seu prazer e entretenimento com aqueles que não O temem. Satanás sempre envolve os tais em grande escuridão, e se aqueles que professam a Cristo vão espontaneamente rumo às trevas, tentam o diabo a tentá-los. Se para fazer o bem e glorificar Seu nome, o Senhor exigir que nos coloquemos entre espíritos infernais, onde se acha a mais negra escuridão, Ele nos cercará com Seus anjos e nos conservará imaculados. Se, buscamos, porém, a companhia dos pecadores e nos agradamos com suas zombarias grosseiras, e nos divertimos e alegramos com suas histórias, divertimentos e obscenidades, os santos e puros anjos removem sua proteção e nos deixam na escuridão que escolhemos.T2 222.2

    Irmão B, desejo alertá-lo. Desejo despertá-lo para a ação. Desejo suplicar-lhe que busque a Deus enquanto Ele o convida a vir para que possa ter vida. “Vigiar, orar, trabalhar”, é a senha do cristão. Satanás é vigilante em seus esforços; sua perseverança é incansável, seu zelo, diligente e inquebrantável. Nunca espera que a presa venha a ele, mas a busca. Seu determinado propósito é arrancar pessoas da mão de Cristo. Entretanto, os cristãos professos estão dormindo em sua cegueira, indiferentes à sua atividade. Deus não ocupa seus pensamentos. Um vigilante inimigo está-lhes no encalço, porém, estão seguros se puserem “em Deus a sua confiança”. Salmos 40:4. Caso não façam isso, ficarão enfraquecidos e serão vencidos por Satanás.T2 222.3

    Irmão B, é perigoso duvidar. Não deve permitir-se continuar na direção que tem seguido. Você está em constante perigo. Satanás está em seu encalço, sugerindo dúvidas e causando incredulidade. Houvesse você permanecido firme no conselho de Deus e poderia exercer benéfica influência sobre aqueles que apreciam sua amizade.T2 223.1

    O pobre irmão C sentiu a influência do Espírito de Deus, mas era deficiente em experiência. Não abandonou plenamente seus velhos hábitos. Falhou em fazer de Deus sua força contínua e seus pés deslizaram. Não há “concórdia entre Cristo e Belial”. 2 Coríntios 6:15. Você poderia havê-lo ajudado se estivesse ligado ao Céu. Mas sua conduta ociosa, conversação e influência o fortaleceram em sua apostasia e calaram-lhe a voz da consciência. Seu comportamento, irmão B, não foi uma reprovação a ele em seu caminho descendente. Você poderia fazer bem se estivesse vivendo para Deus. Sua força é completa fraqueza, sua sabedoria, loucura; você, porém, não compreendeu isso. Tem estado muito satisfeito com a teoria, uma forma correta de doutrina, mas não sentiu a necessidade do poder de Deus. Negligenciou a parte espiritual da religião. Todo o seu ser precisa clamar pelo Espírito de Deus — a vida e o poder da religião no íntimo, que o conduziria à crucifixão do eu e a uma firme confiança no Redentor.T2 223.2

    Você está em terríveis trevas e a menos que desperte em nome de Deus, e despedace as algemas de Satanás e assegure sua liberdade, certamente naufragará na fé. Tão grande é a relutância do Senhor de abandoná-lo, e tal o amor que lhe tem dedicado que, apesar de a vida do irmão não estar de acordo com a vontade divina e suas obras e caminhos terem sido ofensivos a Ele, a Majestade do Céu condescende em suplicar o privilégio de fazer-lhe uma visita e deixar com você a Sua bênção: “Eis que estou à porta e bato.” Apocalipse 3:20. As mansões na glória são dEle e também a alegria da habitação celestial. Contudo, Ele humilhou-Se para conseguir entrada no seu coração, para que pudesse abençoá-lo com Sua luz e fazê-lo regozijar-se em Sua glória. A obra de Cristo é buscar e salvar o que se havia perdido e estava pronto a perecer. Ele deseja redimir do pecado e da morte tantos quantos seja possível, elevá-los até Seu trono e dar-lhes a vida eterna.T2 224.1

    Irmão B, desperte e lance fora suas dúvidas. O que o faz inclinado a duvidar? É sua vida não consagrada, seus gracejos e brincadeiras. Sua falta de sobriedade está fazendo perigar seus interesses eternos. Cristo o convida a voltar dessas loucuras para Ele. Você não está crescendo na graça e no conhecimento da verdade. Não é uma honra para a causa. Não se eleva, mas, contrariamente, desce mais e mais na escala. Não está formando um caráter para o Céu e para a vida eterna.T2 224.2

    Você busca agradar a si mesmo e desperdiçar tempo em frivolidade, o qual deve ser gasto com sua família, ensinando aos filhos os caminhos e obras de Deus. As horas que gasta em companhia que tão-somente lhe é nociva, devem ser empregadas em oração e estudo da Palavra de Deus. Você deve sentir a responsabilidade que repousa sobre você, como cabeça da família, em transmitir a seus filhos a educação e a admoestação do Senhor. Que contas dará a Deus pelo tempo mal-empregado? Que influência está você exercendo sobre aqueles que não temem a Deus? “Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai, que está nos Céus.” Mateus 5:16. Possa Deus ungir-lhe os olhos para que possa ver o perigo. Sinto profundamente por você. Meu coração anseia por você. Almejo vê-lo alcançar o alto padrão que é seu privilégio atingir. Você pode fazer o bem. Sua influência, se exercida no sentido correto, o dirá. Irmão B, suas pegadas estão no caminho descendente. “Convertei-vos, convertei-vos”; “pois por que razão morrereis?” Ezequiel 33:11.T2 224.3

    Se continuar por mais tempo no rumo que agora segue, tornar-se-á infiel na observância da verdade e em relação à Palavra de Deus. Vigie e ore sempre. Dedique-se sem reservas ao Senhor e verá que não é difícil servi-Lo. Você tem um coração dividido. Esta é a razão por que a escuridão o cerca, em vez da luz. A última mensagem de graça está agora sendo dada. É ela uma prova da longanimidade e da compaixão divinas. “Vinde”, é o convite feito neste momento. “Vinde, que tudo já está preparado.” Lucas 14:17. É o último chamado de misericórdia. Em breve haverá a vingança de um Deus ofendido.T2 225.1

    Irmão B, promova a simplicidade, o amor, a paciência e a doce união com seus irmãos. E não, oh!, não venda a vida eterna a um preço tão baixo! Se abandonar a verdade, nunca conhecerá a real felicidade e você será um miserável. O Céu é digno de todo e qualquer sacrifício. Rompa as cadeias de Satanás. Jesus o convida agora; ouvirá você a Sua voz? Você precisa pôr um alvo mais elevado do que aquele que fixou. Faça sua primeira preocupação obter o reino de Deus e a justiça de Cristo. Viva para Deus e o Céu, e a recompensa eterna será sua no final da carreira.T2 225.2

    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents