Larger font
Smaller font
Copy
Print
Contents

Testemunhos para a Igreja 2

 - Contents
  • Results
  • Related
  • Featured
No results found for: "".
    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents

    Capítulo 55 — O verdadeiro amor no lar

    Irmão M:

    Em Adams Center foi-me mostrado que lhe faltou grandemente um espírito altruísta enquanto no Instituto; você não exerceu a devida influência. Poderia ter deixado sua luz brilhar ali, mas não o fez. Você freqüentemente negligenciou seu dever em troca de divertimento. Falhou em cuidar-se e assumir responsabilidades. Não aprecia exercício vigoroso, mas ama a comodidade. Você e o trabalho árduo estão em divergência. Isto é egoísmo. O irmão permitiu que a propriedade do Instituto fosse menosprezada e destruída, quando era sua atribuição conservá-la e manter tudo em ordem, e preservá-la com maior interesse e cuidado, do que se lhe pertencesse. Mostrou-se um mordomo infiel. Cada vez que se divertia jogando croqué ou qualquer outro jogo, estava usando tempo remunerado que não lhe pertencia. Você seria tão culpado como se tivesse apanhado o dinheiro que não ganhou e se apossado dele.T2 411.1

    Os irmãos Loughborough, Andrews, Aldrich e outros não o conheciam e o supervalorizaram. Você não pode ocupar o lugar que eles lhe destinaram. Eles erraram na avaliação quando lhe pagaram tão alto salário por seu trabalho. Não mereceu o salário que recebeu. Você é muito vagaroso e grandemente desprovido de energia. Não está suficientemente interessado e desperto para ver e agir, e as coisas foram terrivelmente negligenciadas por você.T2 411.2

    Meu irmão, você está distante de Deus e em estado de apostasia. Não possui coragem moral. Atende aos próprios desejos, em lugar de negar a si mesmo. Em busca de satisfação, freqüentou lugares de divertimento que Deus não aprova, e, assim fazendo, debilitou o próprio caráter. Meu irmão, você tem muito a aprender. É condescendente com o apetite, comendo mais do que seu organismo pode transformar em bom sangue. É pecado ser intemperante na quantidade de alimento ingerido, mesmo que seja de qualidade inquestionável. Muitos acham que se não comerem carne e os mais extravagantes artigos de alimentação, estão livres para comer dos alimentos simples até não agüentarem mais. Isso é um erro. Muitos professos reformadores de saúde são nada menos que glutões. Colocam sobre os órgãos digestivos uma carga tão grande que a vitalidade do organismo é exaurida no esforço para livrar-se dela. Isso tem também influência depressiva sobre o intelecto; pois as faculdades nervosas do cérebro são convocadas para auxiliar o estômago em seu trabalho. Comer em demasia, mesmo que se trate de alimentos simples, entorpece os nervos sensitivos do cérebro, enfraquecendo sua vitalidade. O comer em excesso exerce sobre o organismo um efeito pior que o trabalhar em excesso; as energias da mente são enfraquecidas mais seguramente pelo comer intemperante do que pelo trabalho intemperante.T2 412.1

    Os órgãos digestivos nunca devem ser sobrecarregados com quantidade ou qualidade de alimentos para cuja assimilação o organismo sofra uma sobrecarga. Tudo que é introduzido no estômago, além daquilo que o organismo pode usar e converter em bom sangue obstrui os órgãos, pois não pode ser transformado em carne ou sangue, e sua presença sobrecarrega o fígado, e produz no organismo uma condição doentia. O estômago é sobrecarregado em seus esforços para processar o excesso, havendo então uma sensação de fraqueza, a qual é interpretada como se fosse fome e, sem permitir aos órgãos digestivos tempo suficiente para repousar de seu árduo trabalho para recuperar as energias, outra quantidade exagerada é levada ao estômago, pondo a exausta estrutura outra vez em movimento. O organismo recebe menos nutrição de tão grande quantidade de alimento, embora de boa qualidade, do que receberia da quantidade moderada tomada em períodos regulares.T2 412.2

    Meu irmão, seu cérebro está entorpecido. Um homem que consome a quantidade de alimento que você ingere, deve ser um homem que trabalhe ativamente. O exercício é importante para a digestão, bem como para a saudável condição do corpo e da mente. Você necessita de exercício físico. Você se movimenta e age como se fosse de pau, como quem não possui nenhuma elasticidade. Exercício ativo, saudável, é o que você necessita. Isso revigorará a mente. Nem em estudo nem em exercício violento deve alguém empenhar-se imediatamente após uma refeição pesada; isso seria uma violação das leis do organismo. Logo após a refeição há um grande consumo de energia nervosa. A força do cérebro é chamada ao exercício ativo a fim de auxiliar o estômago; logo, quando a mente ou o corpo são sobrecarregados depois da refeição, o processo de digestão é atrapalhado. A vitalidade do organismo, necessária ao desempenho do trabalho em uma direção, é desviada e posta a atuar em outra direção.T2 413.1

    Você necessita praticar a temperança em todas as coisas. Cultive as faculdades superiores da mente, e haverá menos força no crescimento da sensualidade. É-lhe impossível crescer em força espiritual enquanto seus apetites e paixões não estiverem sob perfeito controle. Diz o apóstolo inspirado: “Subjugo o meu corpo e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado.” 1 Coríntios 9:27.T2 413.2

    Meu irmão, levante-se, eu lhe rogo, e deixe que a obra do Espírito de Deus se aprofunde além da superfície; que ela atinja as profundezas da fonte de cada ação. O que se deseja é princípio, princípio firme e força de ação, tanto nas coisas espirituais como nas temporais. Falta fervor a seus esforços. Oh, quantos estão baixos na escala da espiritualidade, porque não negam o próprio apetite! A energia nervosa do cérebro é obscurecida e quase paralisada pelo excesso no comer. Quando tais pessoas vão aos sábados à casa de Deus, são incapazes de manter os olhos abertos. Os mais fervorosos apelos não conseguem despertar o seu intelecto inerte, insensível. A verdade pode ser apresentada com profundo sentimento, mas não desperta a sensibilidade moral, nem ilumina o entendimento. Têm tais pessoas procurado glorificar a Deus em todas as coisas?T2 414.1

    É impossível ter clara concepção das coisas eternas a menos que a mente seja treinada a demorar-se sobre temas elevados. Todas as paixões devem estar em perfeita sujeição às faculdades morais. Quando homens e mulheres professam sólida fé e zelo espiritual, sei que sua religião é falsa se eles não têm mantido todas as suas paixões sob controle. Deus requer isso. A razão pela qual tais trevas espirituais prevalecem é que a mente se satisfaz em manter um baixo nível e não é dirigida para o alto, por um conduto puro, santo e celestial.T2 414.2

    Com respeito à sua família, irmão M, vi que vocês não eram felizes. Sua esposa ficou desapontada e você também. Ela esperava encontrar em você uma pessoa de temperamento mais nobre e refinado, e tem se sentido muito infeliz. Ela é muito orgulhosa. Suas relações familiares, do lado da mãe, são naturalmente conscienciosas, todavia altivas e aristocráticas, e ela participa largamente desses traços de caráter. Ela não é comunicativa. Não lhe é natural manifestar afeições e antecipar-se no relacionamento. Considera como fraqueza e criancice a manifestação de afeto entre marido e mulher. Ela acha que se demonstrasse afeição, não seria correspondida com amor puro e elevado, mas com paixões baixas; que essas seriam fortalecidas em lugar de um amor casto, profundo e santo.T2 414.3

    Sua esposa deve fazer grande esforço para vencer a atitude esquiva, seu dignificado retraimento, e cultivar a simplicidade em todos os atos. E uma vez que sejam em você despertadas e fortalecidas pelo exercício as faculdades mais elevadas, compreenderá melhor as carências da mulher; você compreenderá que o coração suspira por um amor de espécie mais elevada e mais pura do que a que existe na ordem inferior das paixões sensuais. Essas paixões, você as fortaleceu, animando-as e exercitando-as. Se agora, no temor do Senhor, sujeitar o físico, e procurar ir ao encontro da esposa com amor puro e elevado, serão satisfeitas as necessidades da natureza dela. Achegue-a ao coração; tenha-a em alta consideração.T2 415.1

    Você tem se exaltado e tomado uma posição acima de sua esposa, e não compreendeu a si mesmo. Tem tido em alta apreciação sua experiência religiosa e progresso na vida espiritual. Esse fato tem servido de tropeço ao invés de ajudar sua esposa. Ela teme por você; teme que o irmão não tenha realmente compreendido a si mesmo e que está indo muito depressa. A união de vocês não tem sido feliz. Os irmãos têm incompatibilidades. Sua esposa possui uma natureza tímida, retraída e discreta. Você falhou totalmente em compreendê-la. Ela teme tomar iniciativas, porque receia estar indo rápido demais. Necessita confiar em si mesma e estimular-se à independência.T2 415.2

    Irmão M, você falhou em incentivar a confiança de sua esposa. Está em falta quanto à cortesia e quanto à constante e bondosa consideração por ela. Algumas vezes lhe manifesta amor, mas esse é de natureza egoísta. Não é hábito seu envolver-se profundamente e fundamentar todas as suas ações. Não é o amor abnegado que o leva a prover continuamente suas necessidades e a buscar tê-la junto a si, mostrando-lhe que prefere sua companhia acima de qualquer outra. Tem procurado a própria diversão, deixando-a em casa, sozinha e freqüentemente triste. Você já agia assim antes de mudar-se para esse lugar, e continuou esse procedimento em grau um pouco menor por falta de oportunidade ou pretexto.T2 415.3

    Sua esposa não se preocuparia em deixá-lo saber que observa suas deficiências. Ela tem medo de você. Se você possuísse amor genuíno, como a natureza dela requer, haveria de tocar em um ponto muito sensível do coração dela. Mas você é muito frio e inflexível. Às vezes manifesta afeição, mas sem despertar amor em retorno, porque não tem sido cortês e atencioso nem manifestado bondosa consideração por ela, promovendo sua felicidade. Você, muitas vezes, sentiu-se na liberdade de perambular em busca do próprio prazer, sem consultar de modo algum as preferências da esposa ou sua felicidade.T2 416.1

    O amor verdadeiro, puro, é precioso. É celeste em sua influência. É profundo e permanente. Não é espasmódico em suas manifestações. Não é uma paixão egoísta. Produz fruto. Levará a um constante empenho por tornar feliz sua esposa. Se você possuir esse amor, tornar-se-á natural fazer esse esforço. Não dará a impressão de ter sido forçado. Se sair a passeio ou para assistir a uma reunião, será tão natural quanto sua respiração escolher a esposa para acompanhá-lo e procurar fazê-la sentir-se feliz em sua companhia. Você considera os talentos espirituais dela como inferiores aos seus, mas vi que Deus Se agradava mais do espírito dela do que do seu.T2 416.2

    Você não é digno da esposa que tem. Ela é demasiado boa para você. É uma planta frágil, sensível; precisa ser cuidada ternamente. Ela deseja sinceramente fazer a vontade de Deus. Mas tem espírito altivo e é tímida, esquivando-se da censura. Para ela, ser sujeita a observações ou comentários, é como a morte. Que sua esposa seja amada, honrada e acariciada, de acordo com o voto matrimonial, e ela superará essa atitude reservada e tímida que lhe é natural.T2 416.3

    Permita-se tão-somente que uma mulher compreenda que é apreciada pelo esposo e é preciosa para ele, não meramente por ser útil e conveniente no lar, mas porque ela é uma parte dele, então responderá à afeição dele e refletirá o amor que lhe foi concedido. Permita que sua esposa seja objeto de sua especial e amorosa atenção. Quando você sentir como Deus gostaria que o fizesse, sentir-se-á perdido sem a companhia de sua mulher. Você pensa que a fé de sua esposa não tem valor, no entanto tal fé obterá respostas mais prontamente do que a fé que você possui.T2 416.4

    Irmão M, você não compreende o coração de uma mulher. Não arrazoa da causa para o efeito. Você sabe que sua esposa não é tão animada e feliz como gostaria que fosse, mas não procura saber a causa. Não analisa o próprio comportamento para ver se a dificuldade procede daí. Ame sua esposa. Ela anseia por um amor profundo, elevado e verdadeiro. Permita que tenha uma prova tangível que o cuidado, atenção e interesse que ela dispensa pelo seu conforto são apreciados e correspondidos. Busque sua opinião e aprovação no que quer que você faça. Respeite suas opiniões. Não pense que você sabe tudo que é importante saber.T2 417.1

    Um lar que tenha amor, onde o amor é expresso em palavras, olhares e ações, é um lugar onde os anjos gostam de manifestar sua presença e consagrar a cena pelos raios de luz da glória. Ali as humildes obrigações domésticas têm o seu encanto. Nenhum dos deveres da vida, sob tais circunstâncias, será desagradável para sua esposa. Ela os desempenhará com alegria de espírito e será como um raio de sol a todos que a rodeiam, e em seu coração haverá melodias ao Senhor. No momento ela sente que não é dona das afeições de seu coração. Você lhe tem dado ocasião de assim pensar. Você tem cumprido suas tarefas como cabeça da família, mas há uma falta. Há séria falta da preciosa influência do amor que leva a delicadas atenções. O amor deve ser visto no olhar e nas maneiras, e ouvido nos tons da voz.T2 417.2

    Sua esposa não se aventura a abrir coração a você, pois tão prontamente lhe expresse uma opinião diferente da sua, é repelida. Você lhe fala tão asperamente que ela não ousa dizer nenhuma palavra. Não estão unidos em um só coração. Você assume uma posição superior e mantém tal comportamento, como se as opiniões dela nada valessem. Considera os próprios talentos espirituais como muito superiores aos dela. Meu irmão, você não conhece a si mesmo. Deus olha para o coração e não para palavras ou profissão de fé. O exterior não tem peso para com Deus como tem para os homens. O Senhor valoriza um espírito humilde e contrito. Nosso Salvador está familiarizado com os conflitos de cada coração. Ele não julga de acordo com as aparências, mas julga justamente.T2 418.1

    Você tem espírito dominador. Quando toma uma posição, não pesa bem a questão nem considera qual pode ser o efeito de manter sua opinião de maneira independente, incluindo-a em suas orações e conversação, quando sabe que sua esposa não tem a mesma opinião. Em vez de respeitar os sentimentos de sua esposa, evitando bondosamente, como faria um homem cortês, os assuntos que você sabe serem controvertidos, persiste em se demorar em pontos objetáveis, e tem manifestado persistência em expressar sua opinião sem considerar as pessoas ao seu redor. Você tem admitido que outros não têm o direito de ver as coisas diferentemente. Tais frutos não são produzidos pela árvore cristã.T2 418.2

    No caso da irmã N, você não viu o problema sob sua verdadeira luz. Se ela houvesse sido curada em resposta às orações do irmão e dos outros, isso teria sido a ruína de dois, três ou mais de vocês. O sábio Deus supervisionou o caso. Ele viu os motivos e propósitos do coração.T2 418.3

    Sua esposa tem direito à própria opinião, tanto quanto você tem direito à sua. A relação matrimonial não destrói a identidade dela, pois ela tem responsabilidade individual. Você não terá clara compreensão até que remova os obstáculos do caminho dela e lhe manifeste mais caridoso e paciente espírito cristão. Também que considere os outros sob a luz que gostaria de ser considerado. Você ainda precisa aprender a não fazer nada “por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo”. Filipenses 2:3. “Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros. Não sejais vagarosos no cuidado; sede fervorosos no espírito, servindo ao Senhor.” Romanos 12:10, 11.T2 418.4

    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents