Larger font
Smaller font
Copy
Print
Contents

Testemunhos para a Igreja 5

 - Contents
  • Results
  • Related
  • Featured
No results found for: "".
    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents

    Capítulo 33 — A pecaminosidade da murmuração

    Caros amigos:

    Foi-me mostrado que vocês, como uma família, sofrem muita tristeza desnecessária. Deus não designou que os irmãos fossem desventurados. Vocês, no entanto, têm desviado a mente de Cristo e a centralizado sobremaneira em si mesmos. O grande pecado de sua família é a desnecessária murmuração sobre as providências divinas. Sua insubmissão a respeito é realmente alarmante. Vocês amplificam pequenas dificuldades e se demoram muito em falar sobre desânimo. Os irmãos possuem o hábito de revestir de lamentação tudo o que lhes diz respeito, e se fazem infelizes sem causa. Suas continuadas murmurações os estão separando de Deus.T5 309.2

    Vocês devem conservar-se afastados do terreno encantado de Satanás, e não permitir que a mente se desvie da fidelidade para com Deus. Por meio de Cristo podem e deve ser felizes, e adquirir hábitos de domínio próprio. Até seus pensamentos devem ser levados em sujeição à vontade de Deus, e seus sentimentos sob o domínio da razão e da religião. Sua imaginação não lhes foi dada para que se lhe permitisse correr desenfreada de acordo com sua vontade, sem nenhum esforço para restringi-la ou discipliná-la. Se os pensamentos forem maus, maus serão também os sentimentos; e os pensamentos e os sentimentos, combinados, constituem o caráter moral. Quando julgam que, como cristãos, não lhes é requerido restringir os pensamentos e sentimentos, vocês são levados sob a influência dos anjos maus, e convidam a presença e o domínio deles. Se derem atenção às suas impressões, e permitirem que os pensamentos sigam o rumo da suspeita, da dúvida, dos lamentos, vocês se acharão então entre os mais infelizes dos mortais, e sua vida se demonstrará um fracasso.T5 310.1

    Querida irmã F, você possui uma imaginação doentia; e desonra a Deus por permitir que seus sentimentos tenham completo controle sobre seu raciocínio e discernimento. Você tem vontade inflexível, que leva a mente a reagir sobre o corpo, desequilibrando a circulação e produzindo congestão em certos órgãos; e está sacrificando a saúde aos seus sentimentos.T5 310.2

    Você está cometendo um erro que, se não for corrigido, não acabará arruinando meramente sua própria felicidade. A irmã está fazendo positivo dano, não apenas a si mesma, mas também aos outros membros da família, especialmente sua mãe. Ela é muito nervosa e extremamente sensível. Se um de seus filhos está sofrendo, ela fica confusa e quase enlouquecida. Sua mente fica desequilibrada pelos freqüentes ataques de histeria que é compelida a testemunhar, e grande tristeza é lançada sobre todos ao seu redor. Você é capaz de controlar a imaginação e vencer esses acessos nervosos. Você tem força de vontade, e deve trazê-la em seu auxílio. Não tem feito isso, mas tem deixado a imaginação altamente agitada controlar a razão. Nisso você tem ofendido o Espírito de Deus. Se não tivesse poder sobre os seus sentimentos, isso não seria pecado; mas não há justificativa para ceder assim ao inimigo. Sua vontade precisa ser santificada e subjugada, em vez de dispor-se em oposição à de Deus.T5 310.3

    Meus queridos amigos, em vez de fazer um curso para combater enfermidades, estão acariciando-as e rendendo-se a seu poder. Devem evitar o uso de drogas, e observar cuidadosamente as leis de saúde. Se estimam sua vida, devem comer alimentos simples, preparados da maneira mais simples, e fazer mais exercícios físicos. Cada membro da família necessita dos benefícios da reforma de saúde. Mas o uso de drogas deve ser definitivamente abandonado; pois além de não curar qualquer mal, enfraquecem o organismo, tornando-o mais susceptível às enfermidades.T5 311.1

    O homem foi colocado num mundo de infortúnios, preocupações e perplexidades. Ele foi colocado aqui para ser testado e provado, como o foram Adão e Eva, a fim de que possa desenvolver um caráter reto e produzir harmonia a partir da discórdia e confusão. Temos muita coisa a fazer que é essencial à nossa felicidade e à de outros. E há muito a desfrutar. Através de Cristo somos colocados em contato com Deus. Sua misericórdia nos mantém sob contínua obrigação; sentindo-nos indignos de Seus favores, somos levados a apreciar mesmo a menor concessão.T5 311.2

    Por tudo o que vocês têm e são, queridos amigos, devem ser gratos a Deus. Ele lhes concedeu atributos que, em certo sentido, são semelhantes aos que Ele próprio possui; e vocês devem esforçar-se intensamente para desenvolver esses atributos, não para agradar e exaltar o eu, mas para glorificá-Lo. Vocês não tiraram a melhor vantagem de seus privilégios. Os irmãos deveriam preparar-se para assumir responsabilidades. O intelecto precisa ser cultivado. Se deixado na inação, torna-se envilecido.T5 311.3

    Este mundo pertence ao Senhor. Pode-se ver aqui que a natureza, animada e inanimada, obedece à Sua vontade. Deus criou o homem como um ser superior; unicamente ele foi formado à imagem de Deus, com capacidade para ser participante da natureza divina, para cooperar com o seu Criador e executar os Seus planos e somente ele acha-se em guerra contra os propósitos de Deus.T5 311.4

    Com que maravilhosa beleza foram modeladas todas as coisas na natureza! Por toda parte vemos as obras perfeitas do grande Artista. Os céus declaram a Sua glória; e a Terra, que foi formada para a felicidade do homem, nos fala de Seu inigualável amor. Sua superfície não é uma planície monótona, mas grandes cadeias de montanhas emergem para diversificar a paisagem. Há espumantes correntes e vales férteis, belos lagos, grandes rios e o oceano sem limites. Deus manda o orvalho e a chuva para refrescar a terra sedenta. As brisas, que promovem saúde ao purificar e refrigerar a atmosfera, são controladas por Sua sabedoria. Ele pôs o Sol nos céus para marcar o dia e a noite, e por seus benévolos raios fornece luz e calor à Terra, fazendo com que a vegetação cresça.T5 312.1

    Chamo sua atenção para essas bênçãos, advindas da generosa mão de Deus. Que o renovado brilho de cada manhã desperte louvor em seu coração por tais provas de Seu amoroso cuidado. Mas, ao mesmo tempo em que nosso bondoso Pai celestial dá tantas coisas para promover-nos a felicidade, também concede bênçãos disfarçadas. Ele compreende as necessidades do homem decaído, e enquanto nos confere benefícios por um lado, por outro designou inconveniências para estimular-nos ao uso das habilidades que nos outorgou. Elas desenvolvem em nós paciente diligência, perseverança e coragem.T5 312.2

    Há males que o homem pode atenuar, mas jamais remover. Ele deve vencer os obstáculos e formar seu ambiente, em vez de ser por ele moldado. Ele tem margem para pôr em prática seus talentos, pondo ordem e harmonia onde há confusão. Nesta obra pode ele ter auxílio divino, se o suplicar. Não é deixado a lutar com suas próprias forças contra as tentações e provas. Um que é poderoso foi autorizado a ajudar. Jesus deixou as cortes reais do Céu e sofreu e morreu num mundo degradado pelo pecado, para que pudesse ensinar o homem a passar pelas provas da vida e vencer as suas tentações. Aqui está um modelo para nós.T5 312.3

    À medida que os benefícios concedidos pelo Pai do Céu às Suas criaturas são contados minuciosamente, vocês não se sentem reprovados por suas ingratas lamentações? Por muitos anos Ele lhes concedeu uma filha e irmã, até que vocês começaram a considerá-la como sua e sentiram que tinham o direito a esse belo presente. Deus ouviu suas murmurações. Caso houvesse uma nuvem à vista, vocês pareciam se esquecer de que o Sol brilhava continuamente; então, nuvens e escuridão sempre lhes estiveram em volta. Deus enviou-lhes aflição. Ele removeu-lhes seu tesouro para que pudessem discernir entre prosperidade e sofrimento real. Mas os irmãos não humilharam o coração diante dele e não se arrependeram do grande pecado da ingratidão que os separou do seu amor. Como Jó, julgaram que tinham razão para a ansiedade, e não queriam ser confortados. Era razoável isso? Vocês sabem que a morte é um poder ao qual ninguém pode resistir, mas tornou sua vida quase inútil por sua inútil tristeza. Seus sentimentos têm sido pouco menos que rebelião contra Deus. Vi todos vocês a entregar-se ao luto, e cedendo aos seus agitados sentimentos, até que suas ruidosas demonstrações de tristeza levaram os anjos a esconder a face e afastar-se do cenário.T5 312.4

    Enquanto assim davam expressão a seus sentimentos, lembraram-se de que têm no Céu, um Pai que deu Seu Filho unigênito para morrer por nós, a fim de que a morte não fosse um sono eterno? Lembraram-se de que o Senhor da vida e glória passou pelo túmulo e o iluminou com Sua própria presença? Disse o discípulo amado: “Escreve: Bem-aventurados os mortos que, desde agora, morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem dos seus trabalhos, e as suas obras os sigam.” Apocalipse 14:13. Bem sabia o apóstolo acerca do que estava falando, ao escrever essas palavras; mas, quando vocês cedem a uma incontida tristeza, porventura sua conduta é coerente com o conforto que elas expressam?T5 313.1

    O Senhor é gracioso, misericordioso e fiel. Ele permitiu que alguém de seus laços domésticos, que era a mais inocente e a melhor preparada, descansasse durante os perigos dos últimos dias. Oh! não se excluam diante da melodia e do regozijo, lamentando como se não houvesse ressurreição dos mortos, mas louvem ao Senhor porque para ela não há mais morte, sofrimento, não mais tristeza. Ela descansa em Jesus até o Doador da vida chamar à gloriosa imortalidade Seus santos que dormem.T5 313.2

    F tem uma obra por fazer, mediante a graça de Cristo, para controlar seus sentimentos. Ela sabe que não está no Céu, mas num mundo onde a morte reina e onde nossos amados nos podem ser subtraídos a qualquer momento. Ela deveria sentir que a grande responsabilidade da vida é se preparar para um mundo melhor. Se F tiver um apego correto à vida eterna, isso não a desqualificará para viver neste mundo e portar nobremente as responsabilidades da vida, mas a ajudará no desempenho dos deveres de abnegação e sacrifício próprio.T5 314.1

    Como uma família, vocês têm falado tanto em trevas e queixas, que foram transformados à mesma imagem. Parecem querer atrair as simpatias uns dos outros e provocar excitação nervosa, até ficarem numa situação sombria, triste e desoladora. Os irmãos têm-se ocupado em lamentações, mas elas não atraem os anjos. Se não mudarem de conduta, Deus Se achegará e lidará com vocês em juízo. Não é este um tempo de ações de graças em seu lar, e de contar com júbilo as bênçãos que têm sido derramadas sobre vocês?T5 314.2

    O poder da verdade deve ser suficiente para suster e consolar em qualquer adversidade. É em habilitar seu possuidor a triunfar sobre a aflição, que a religião de Cristo revela seu verdadeiro valor. Põe os apetites, as paixões e as emoções sob o controle da razão e da consciência, e disciplina os pensamentos de modo a fluírem num conduto sadio. E então a língua não se permitirá desonrar a Deus por expressões de pecaminoso descontentamento.T5 314.3

    Nosso Criador reivindica com justiça o direito de fazer o que achar melhor com as criaturas de Suas mãos. Ele tem o direito de governar segundo Sua vontade e não como o homem escolhe. Deus, porém, não é um juiz severo, um cruel e exigente credor. Ele é a verdadeira fonte do amor, o doador de inumeráveis bênçãos. Vocês deveriam sentir o mais profundo pesar por desprezar tal amor e por não possuir gratidão e louvor brotando do coração, pela maravilhosa bondade de Deus. Não merecemos os Seus benefícios, mas eles são contínuos sobre nós, apesar de nossa indignidade e cruel ingratidão. Parem de se lamuriar como se fossem escravos sob um feitor tirano. Jesus é bom. Louvem-nO. Louvem Aquele que é auxílio a saúde e seu Deus.T5 314.4

    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents