Larger font
Smaller font
Copy
Print
Contents

Testemunhos para a Igreja 5

 - Contents
  • Results
  • Related
  • Featured
No results found for: "".
    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents

    Capítulo 36 — A educação dos filhos

    Prezados irmão e irmã G:

    Fiquei preocupada com seu caso. Vejo perigos que vocês parecem não compreender. Será que vocês consideraram cuidadosamente e com oração o dever que têm com relação aos filhos que trouxeram ao mundo? Consideraram os irmãos se esses filhos estão recebendo a educação e a disciplina que os conduzirá a honrar o Criador nos dias de sua mocidade? Vocês já pensaram que se falharem em ensinar os filhos a respeitar pai e mãe, e a se submeterem à sua autoridade, os estão educando para desonrar a Deus? Cada vez que vocês lhes permitem tripudiar sobre sua autoridade e a controlá-los, estão alimentando um defeito que levarão por toda a sua experiência religiosa e os ensinará a desrespeitar e pisotear a autoridade divina.T5 323.1

    A pergunta que lhes compete fazer é: “Estou formando uma família para fortalecer a influência e engrossar as fileiras dos poderes das trevas, ou estou suscitando filhos para Cristo?” Se vocês não governam seus filhos e não lhes modelam o caráter de modo que correspondam aos reclamos de Deus, então quanto menos filhos tiverem para sofrer as conseqüências de uma educação defeituosa, tanto melhor para vocês, seus pais, e melhor para a sociedade. A menos que os filhos possam ser educados e disciplinados desde o berço por mãe sábia e criteriosa, que seja conscienciosa e diligente, e que governe sua casa no temor do Senhor, talhando e moldando o caráter deles para que possam estar à altura das normas de justiça, é pecado aumentar a família. Deus lhes deu raciocínio, e quer que o usem.T5 323.2

    Vocês deveriam se sentir sob obrigação de formar o caráter de seus filhos, mediante esforço paciente, cuidadoso e oração fervente e intensa, tornando-os uma bênção para o lar, para a igreja e para a sociedade. Os irmãos não receberão nenhum mérito por seu trabalho se permitirem que os filhos sejam controlados pelo inimigo de toda justiça. A recompensa é prometida aos que formarem conscienciosamente seu caráter segundo o Modelo divino. Se vocês negligenciarem essa obra que é tão abrangente em seus resultados, porque lhes é mais cômodo agir assim, e seus filhos crescerem moralmente deformados e com os pés postos no largo caminho para a morte, como poderá Deus dizer-lhes: “Bem está”? Aqueles que não podem instruir-se e trabalhar inteligentemente e com todas as suas forças para levar seus filhos a Cristo, não deveriam assumir a responsabilidade de tornar-se pais.T5 324.1

    As mães devem estar dispostas e mesmo ansiosas por habilitar-se para sua importante obra de desenvolver o caráter de seus filhos, guiando, instruindo e controlando seu tenro rebanho. A fraqueza em exigir obediência e o falso amor e simpatia — a falsa noção de que é prudente condescender e não restringir — constituem um sistema de ensino que entristece os anjos, mas deleita a Satanás, pois traz centenas e milhares de filhos para as suas fileiras. É esse o motivo de ele cegar os olhos dos pais, amortecer-lhes as sensibilidades e confundir-lhes a mente. Vêem que seus filhos e filhas não são agradáveis, amáveis, obedientes e cuidadosos; no entanto, os filhos se aglomeram em casa, para lhes envenenar a vida, encher o coração de tristeza, e acrescentar o número daqueles a quem Satanás está usando para atrair outros para a destruição.T5 324.2

    Oh, quando serão sábios os pais? Quando verão e reconhecerão o caráter de sua obra ao negligenciarem exigir obediência e respeito segundo as instruções da Palavra de Deus? Os resultados dessa disciplina frouxa se vêem nas crianças quando saem para o mundo e assumem seu lugar à frente das próprias famílias. Perpetuam os erros dos pais. Seus traços defeituosos são largamente ampliados, e eles transmitem aos outros os gostos, hábitos e temperamentos maus que lhes foi permitido desenvolver em seu próprio caráter. Tornam-se assim uma maldição, em vez de uma bênção para a sociedade.T5 324.3

    Visto os homens e mulheres não obedecerem a Deus, antes escolherem seguir os próprios caminhos e à sua imaginação pervertida, permite-se a Satanás plantar sua bandeira infernal nas famílias e fazer com que seu poder seja sentido por intermédio dos bebês, crianças e jovens. Sua voz e sua vontade são expressas na vontade insubmissa e no caráter deturpado dos filhos, e por meio deles exerce poder controlador e executa seus planos. Deus é desonrado pela manifestação de temperamento perverso, que exclui a reverência a Ele e induz à obediência às sugestões de Satanás. O pecado cometido pelos pais em assim permitir que Satanás tenha predomínio vai além de qualquer imaginação. Eles estão lançando a semente que produzirá sarças e espinhos, sufocando a planta de celeste crescimento, e somente o Juízo poderá revelar a colheita que terão. Mas, quão triste é o pensamento de que quando a vida e seus erros forem vistos sob a luz da eternidade, será muito tarde para essa descoberta ser de qualquer proveito.T5 325.1

    A total negligência de educar os filhos para Deus tem perpetuado o mal e lançado nas fileiras do inimigo muitos que, com judicioso cuidado, poderiam ter sido coobreiros de Cristo. Idéias falsas e uma afeição tola e mal-direcionada formaram traços que tornaram os filhos infelizes e desencantados, amargurando a vida dos pais e estendendo sua funesta influência de geração em geração. Uma criança a quem se permite seguir os próprios caminhos, desonrará a Deus e envergonhará pai e mãe. Luz tem sido derramada da Palavra de Deus e dos testemunhos de Seu Espírito para que ninguém precise errar com relação a seu dever. Deus exige que os pais eduquem os filhos para conhecê-Lo e para respeitar Suas reivindicações. Devem eles preparar seus pequenos, como membros mais novos da família do Senhor, para ostentarem belo caráter e temperamento atraente, a fim de estar aptos a brilhar nas cortes celestiais. Negligenciando o dever e condescendendo com os erros dos filhos, os pais cerram para si mesmos os portais da cidade de Deus.T5 325.2

    Esses fatos devem impressionar os pais; eles precisam despertar e assumir a tarefa há tanto negligenciada. Há pais que professam amar a Deus e não estão atendendo à Sua vontade. Visto não restringirem e dirigirem corretamente os filhos, milhares estão crescendo com caráter deformado, com moral frouxa e com pouca educação nos deveres práticos da vida. É-lhes deixado fazer o que querem com seus impulsos, seu tempo e suas faculdades mentais. A perda desses talentos negligenciados para a causa de Deus é uma realidade diante de pais e mães; e que desculpas darão Àquele de quem são mordomos, encarregados que são do sagrado dever de preparar as crianças sob o seu cuidado para melhorarem todas as suas faculdades para a glória de seu Criador?T5 326.1

    Prezado irmão e irmã, que o Senhor lhes abra os olhos e lhes desperte a mente para que possam ver e corrigir suas falhas. Nenhum de vocês está vivendo com os olhos postos na glória de Deus. Vocês demonstram pouca disposição em permanecer ao lado de Jesus e na defesa da fé que uma vez foi entregue aos santos. Vocês negligenciaram seu dever em relação à família e provaram que os jovens que estão sob sua responsabilidade não estão seguros. Assim Deus vê a obra no lar e assim ela permanece registrada nos livros do Céu. Vocês poderiam ter trazido muitos a Jesus, mas sua falta de coragem moral fê-los infiéis em cada situação.T5 326.2

    Os erros havidos em seu frouxo sistema de governo familiar estão revelados na caráter dos filhos. Os irmãos não se prepararam para seguir as instruções dadas na Palavra de Deus. Os males resultantes do descumprimento do dever estão se tornando sérios e profundos. A irmã G não exerce boa influência. Ela se tem submetido à vontade forte dos obstinados filhos e condescendido com suas ofensas. Vocês deveriam ter ensinado os filhos desde a primeira infância, para que eles não assumissem o controle mas obedecessem à vontade paterna. Houvesse a irmã G recebido uma educação adequada em sua própria infância; houvesse ela sido educada e disciplinada de acordo com a Palavra de Deus, teria agora um caráter diverso e compreenderia melhor os deveres que lhe foram delegados. Saberia como educar seus filhos de forma a tornar seus caminhos aprazíveis a Deus. Mas as deficiências que resultaram de própria educação errônea são reproduzidas nos filhos. Qual será a natureza das obras deles quando chefiarem a própria família? A filha mais velha pode ter algum conhecimento dos deveres domésticos, mas, a despeito disso, é mera aprendiz.T5 326.3

    Com um direcionamento firme e sábio esses filhos poderiam ter sido membros úteis da sociedade, mas nas atuais circunstâncias, são uma maldição, uma vergonha para nossa fé. Eles são vaidosos, frívolos, voluntariosos e extravagantes. Têm pouco respeito por seus pais e sua consciência quase não tem sensibilidade. Gostam de seguir os próprios caminhos e seus desejos dirigem os pais, até ser quase impossível despertar-lhes alguma sensibilidade moral. As tendências naturais dos pais, particularmente as objetáveis, estão muito desenvolvidas nos filhos. Toda a família, pais e filhos, estão sob censura divina e nenhum deles pode esperar entrar nas pacíficas moradas de felicidade, a menos que venham a assumir seus deveres tão longamente negligenciados e, no espírito de Cristo, construam caráter que Deus possa aprovar.T5 327.1

    Os pais são responsáveis pelas obras de suas mãos. Eles deveriam possuir sabedoria e firmeza para fazer sua obra fielmente e no reto espírito. Precisam educar seus filhos para serem úteis, desenvolvendo os talentos que Deus lhes deu. O fracasso em levar avante essa missão não deveria ser passado por alto, mas constituir-se em motivo de disciplina na igreja, pois atrai a maldição divina sobre os pais, traz dificuldades para a igreja, além de vergonha e angustiantes julgamentos. Uma lepra moral que é contagiosa, poluente do corpo e espírito da juventude, freqüentemente resulta da deficiência em disciplinar e controlar os jovens. Agora é tempo de fazer alguma coisa para reprimir sua devastação.T5 327.2

    A Bíblia fornece diretrizes explícitas com relação ao importante trabalho de educar filhos: “Ouve, Israel, o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor. Amarás, pois, o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu poder. E estas palavras que hoje te ordeno estarão no teu coração.” Deuteronômio 6:4-6. Os pais devem estar ligados a Deus, temê-Lo e possuir conhecimento de Sua vontade. Então se apresenta sua obra: “E as intimarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te, e levantando-te. Também as atarás por sinal na tua mão, e te serão por testeiras entre os teus olhos. E as escreverás nos umbrais de tua casa e nas tuas portas.” Deuteronômio 6:7-9.T5 328.1

    O Senhor ordenou a Israel que não se unisse em casamento com as nações idólatras que o cercavam. “Não darás tuas filhas a seus filhos e não tomarás suas filhas para teus filhos; pois elas fariam desviar teus filhos de Mim, para que servissem a outros deuses; e a ira do Senhor se acenderia contra vós e depressa vos consumiria.” Deuteronômio 7:3-4. “Porque povo santo és ao Senhor, teu Deus; o Senhor, teu Deus, te escolheu, para que Lhe fosses o Seu povo próprio, de todos os povos que sobre a terra há. O Senhor não tomou prazer em vós, nem vos escolheu, porque a vossa multidão era mais do que a de todos os outros povos, pois vós éreis menos em número do que todos os povos, mas porque o Senhor vos amava; e, para guardar o juramento que jurara a vossos pais, o Senhor vos tirou com mão forte e vos resgatou da casa da servidão, da mão de Faraó, rei do Egito.” Deuteronômio 7:6-8.T5 328.2

    Aqui há positivas diretrizes que alcançam até o nosso tempo. Deus nos está falando nestes últimos dias e Ele será compreendido e obedecido. O Senhor falou a Israel através de Seus servos: “Não se aparte da tua boca o livro desta Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo quanto nele está escrito; porque, então, farás prosperar o teu caminho e, então, prudentemente te conduzirás.” Josué 1:8. “A lei do Senhor é perfeita e refrigera a alma; o testemunho do Senhor é fiel e dá sabedoria aos símplices.” Salmos 19:7. “A exposição das Tuas palavras dá luz e dá entendimento aos símplices.” Salmos 119:130. “Lâmpada para os meus pés é Tua palavra e luz, para o meu caminho.” Salmos 119:105.T5 328.3

    Aí os deveres dos pais são claramente dispostos. A Palavra de Deus deve ser seu monitor diário. Ela proporciona instruções tais que os pais não precisam errar com respeito à educação de seus filhos, porém não consente com a indiferença ou negligência. A lei de Deus deve ser mantida diante das mentes infantis como o grande padrão moral. Quando se levantam e quando se assentam, quando saem e quando entram, Sua lei deve-lhes ser ensinada como a grande regra de vida, e seus princípios devem ser entretecidos em toda a sua experiência. Os filhos precisam ser ensinados a ser honestos, verazes, sóbrios, econômicos e industriosos, e a amar a Deus com todo o seu coração. Isso os educará na doutrina e admoestação do Senhor e porá seus pés no caminho do dever e da segurança.T5 329.1

    Os jovens são despreparados e inexperientes, e o amor à Bíblia e às suas sagradas verdades não virá naturalmente. A menos que se façam dolorosos esforços para construir barreiras ao seu redor, para abrigá-los dos ardis de Satanás, estarão sujeitos às suas tentações e serão por ele levados cativos à sua vontade. Na tenra infância, as crianças devem ser ensinadas quanto aos reclamos da lei de Deus e a fé em Jesus, nosso Redentor, para purificar da mancha do pecado. Essa fé deve ser ensinada dia a dia, por preceito e exemplo.T5 329.2

    Solene responsabilidade repousa sobre os pais. Como pode o Senhor abençoá-los se estão positivamente negligenciando seu dever? Os filhos devem ser moldados quando ainda jovens. Mas, passam-se os anos quando seu coração é tenro e suscetível às impressões da verdade, e pouco tempo é dedicado à sua cultura moral. As preciosas lições da verdade e do dever deveriam ser instiladas diariamente em seu coração. Deveriam eles ter um conhecimento de Deus através de Suas obras criadas; isso lhes será de muito maior valor do que o conhecimento dos livros.T5 329.3

    “Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus” (Mateus 4:4), são palavras de nosso Salvador. Os erros em matéria de doutrina se multiplicam e se ligam com sutileza venenosa às afeições do povo. Não há uma só doutrina bíblica que não seja contraditada. As grandes verdades proféticas, mostrando nossa posição na história do mundo, têm sido despojadas de sua beleza e poder pelo clero, que procura tornar essas importantíssimas verdades obscuras e incompreensíveis. Em muitos casos, as crianças são desviadas dos antigos marcos. O Senhor ordenou a Seu povo Israel: “Quando teu filho te perguntar, pelo tempo adiante, dizendo: Quais são os testemunhos, e estatutos, e juízos que o Senhor, nosso Deus, vos ordenou? Então, dirás a teu filho: Éramos servos de Faraó, no Egito; porém o Senhor nos tirou com mão forte do Egito. E o Senhor fez sinais grandes e penosas maravilhas no Egito, a Faraó e a toda a sua casa, aos nossos olhos; e dali nos tirou, para nos levar e nos dar a terra que jurara a nossos pais. E o Senhor nos ordenou que fizéssemos todos estes estatutos, para temermos ao Senhor, nosso Deus, para o nosso perpétuo bem, para nos guardar em vida, como no dia de hoje. E será para nós justiça, quando tivermos cuidado de fazer todos estes mandamentos perante o Senhor, nosso Deus, como nos tem ordenado.” Deuteronômio 6:20-25.T5 330.1

    Aqui estão princípios que não podemos considerar com indiferença. Aqueles que compreenderam a verdade, sentiram sua importância e tiveram experiência nas coisas de Deus, devem ensinar a sã doutrina a seus filhos. Que tornem os filhos familiarizados com os grandes pilares de nossa fé e as razões por que somos adventistas do sétimo dia, por que fomos chamados, como foram os filhos de Israel, para ser um povo peculiar, uma nação santa, separados e distintos de todos os outros povos sobre a face da Terra. Essas coisas deveriam ser explicadas aos filhos em linguagem simples, fácil de ser entendida e, à medida que avançam em anos, as lições devem ser adaptadas à sua crescente capacidade, até que os fundamentos da verdade tenham sido lançados ampla e profundamente.T5 330.2

    Pais, vocês que professam ser filhos de Deus, são porventura filhos obedientes? Estão vocês fazendo a vontade de seu Pai celestial? Estão vocês seguindo Suas diretrizes ou andando segundo as fagulhas da própria iluminação? Estão vocês trabalhando diariamente para superar o inimigo e salvar os filhos de seus artifícios? Estão vocês descobrindo para eles as preciosas verdades da Palavra de Deus, explicando-lhes as razões de nossa fé, para que seus jovens pés estejam firmados sobre a plataforma da verdade?T5 330.3

    A Bíblia com suas preciosas gemas de verdade não foi escrita para o sábio somente. Ao contrário, destina-se ao povo comum; e a interpretação que lhe dá o povo comum, quando auxiliado pelo Espírito Santo, harmoniza-se melhor com a verdade como é em Jesus. As grandes verdades necessárias para a salvação tornam-se claras como a luz do meio-dia, e ninguém errará o caminho exceto os que seguem seu próprio juízo em vez da vontade de Deus, claramente revelada.T5 331.1

    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents