Larger font
Smaller font
Copy
Print
Contents

Beneficência Social

 - Contents
  • Results
  • Related
  • Featured
No results found for: "".
    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents

    Capítulo 3 — A prescrição divina — Isaías 58

    A religião pura e sem mácula, para com o nosso Deus e Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e a si mesmo guardar-se incontaminado do mundo. Tiago 1:27.

    O capítulo que define nossa obra — O conteúdo do capítulo cinqüenta e oito de Isaías deve ser considerado como uma mensagem para este tempo, mensagem a ser dada sempre e sempre. — Special Testimonies, Série B, 2:5.BS 29.1

    Que diz o Senhor no capítulo cinqüenta e oito de Isaías? O capítulo todo é da mais alta importância. — Testimonies for the Church 8:159.BS 29.2

    Tenho sido instruída a chamar a atenção de nosso povo para o capítulo cinqüenta e oito de Isaías. Lede cuidadosamente este capítulo e compreendei a espécie de ministério que levará vida às igrejas. A obra do evangelho deve ser promovida por meio de nossa liberalidade bem assim de nossos labores. Quando encontrardes almas sofredoras necessitando auxílio, dai-lho. Quando achardes os que estão famintos, alimentai-os. Assim fazendo estareis trabalhando nas linhas do ministério de Cristo. O santo trabalho do Mestre era um trabalho de benevolência. Que nosso povo em todos os lugares seja encorajado a tomar parte nele. — Manuscrito 7, 1908.BS 29.3

    A obra esboçada — Lede, por favor Isaías 58: “Seria este o jejum que escolhi, que o homem um dia aflija a sua alma, incline a sua cabeça como o junco e estenda debaixo de si pano de saco e cinza? chamarias tu a isto jejum e dia aceitável ao Senhor? Porventura não é este o jejum que escolhi, que soltes as ligaduras da impiedade, desfaças as ataduras da servidão, deixes livres os oprimidos e despedaces todo jugo? Porventura não é também que repartas o teu pão com o faminto, e recolhas em casa os pobres desabrigados, e se vires o nu, o cubras, e não te escondas do teu semelhante? Então romperá a tua luz como a alva, a tua cura brotará sem detença, a tua justiça irá adiante de ti, e a glória do Senhor será a tua retaguarda; então clamarás, e o Senhor te responderá; gritarás por socorro, e Ele dirá: Eis-Me aqui. Se tirares do meio de ti o jugo, o dedo que ameaça, o falar injurioso; se abrires a tua alma ao faminto, e fartares a alma aflita, então a tua luz nascerá nas trevas, e a tua escuridão será como o meio-dia. O Senhor te guiará continuamente, fartará a tua alma até em lugares áridos, e fortificará os teus ossos; serás como um jardim regado, e como um manancial, cujas águas jamais faltam.”BS 29.4

    Esta é a obra especial que está agora diante de nós. Toda nossa oração e abstinência de alimentos de nada valerá a menos que resolutamente lancemos mão nesta obra. Sobre nós repousam sagradas obrigações. Nosso dever é claramente exposto. O Senhor nos falou por meio do Seu profeta. Os pensamentos do Senhor e os Seus caminhos não são o que mortais cegos e egoístas crêem que são ou desejam que sejam. O Senhor olha para o coração. Se aí habita o egoísmo, Ele o sabe. Podemos procurar esconder de nossos irmãos e irmãs nosso verdadeiro caráter, mas Deus o conhece. DEle nada se pode esconder.BS 30.1

    O jejum que Deus aceita é descrito. É repartir o vosso pão com o faminto e recolher em vossa casa o pobre que fora lançado fora. Não espereis que eles venham a vós. Não repousa sobre eles o trabalho de procurar-vos e induzir-vos a conceder-lhes um lar. Deveis buscá-los e levá-los a vossa casa. Deveis abrir-lhes vossa alma. Com uma das mãos deveis pela fé alcançar o braço poderoso que traz salvação, enquanto com a outra, a mão do amor, deveis alcançar o oprimido e aliviá-lo. É-vos impossível estar seguros ao braço de Deus com uma das mãos, enquanto com a outra servis vossos próprios prazeres.BS 30.2

    Se vos empenhardes nesta obra de misericórdia e amor, parecer-vos-á ela demasiado difícil? Falhareis e sereis esmagados sob o fardo e vossa família ficará privada de vossa assistência e influência? Oh, não! Deus cuidadosamente removeu todas as dúvidas a este respeito, comprometendo-Se convosco mediante a condição de vossa obediência. Esta promessa cobre tudo que o mais exigente, o mais hesitante, poderia reclamar: “Então romperá a tua luz como a alva, e a tua cura brotará sem detença.” Tão-somente crede que é fiel Aquele que prometeu. Deus pode renovar a força física. E mais, aquilo que Ele diz, Ele o fará. E a promessa não termina aqui. “A tua justiça irá adiante de ti, e a glória do Senhor será a tua retaguarda.” Deus construirá uma fortaleza em torno de vós. Mas nem ainda aqui termina a promessa. “Então clamarás, e o Senhor te responderá; gritarás por socorro, e Ele dirá: Eis-Me aqui.” Se tirardes do meio de vós o jugo, o dedo que ameaça, o falar injurioso, se abrirdes vossa alma ao faminto, “então a tua luz nascerá nas trevas, e a tua escuridão será como o meio-dia. O Senhor te guiará continuamente, fartará a tua alma até em lugares áridos, e fortificará os teus ossos; serás como um jardim regado, e como um manancial, cujas águas jamais falham”. — Testimonies for the Church 2:33-35.BS 31.1

    A dupla reforma de Isaías 58 — A obra especificada nestas palavras (Isaías 58) é a obra que Deus pede que Seu povo faça. É uma obra indicada pelo próprio Deus. À tarefa de reivindicar os mandamentos de Deus e reparar a brecha que foi feita na lei de Deus, devemos acrescentar compaixão à humanidade sofredora. Devemos mostrar supremo amor a Deus, exaltar o Seu memorial, que foi calcado por pés ímpios; e com isto devemos manifestar misericórdia, benevolência e a mais terna piedade pela humanidade caída. “Amarás o teu próximo como a ti mesmo.” Como um povo precisamos pôr mãos nesta obra. O amor revelado pela humanidade sofredora dá sentido e poder à verdade. — Special Testimonies, Série A, 10:3, 4.BS 32.1

    A verdadeira interpretação do evangelho — Somente pela manifestação de interesse altruísta pelos que estão em necessidade é que podemos dar uma demonstração prática das verdades do evangelho. “Se o irmão ou a irmã estiverem nus e tiverem falta de mantimento cotidiano, e algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos e fartai-vos; e lhes não derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito virá daí? Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma.” “Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor.”BS 32.2

    Na pregação do evangelho está incluído muito mais que meramente fazer sermões. Deve esclarecer-se o ignorante, erguer-se o desanimado, os enfermos devem ser curados. A voz humana deve desempenhar sua parte na obra de Deus. Palavras de bondade, simpatia e amor devem dar testemunho da verdade. Ferventes e sinceras orações devem trazer para perto os anjos. ...BS 32.3

    O Senhor vos dará sucesso nesta obra. ... Ela está entretecida com a vida prática quando é vivida e praticada. A união de obra cristã para o corpo e obra cristã para a alma é a verdadeira interpretação do evangelho. — The Review and Herald, 4 de Março de 1902.BS 32.4

    O conselho é explícito — Nada tenho a temer de obreiros que se encontrem empenhados na obra representada no capítulo cinqüenta e oito de Isaías. Este capítulo é explícito, e basta para esclarecer qualquer pessoa que deseje fazer a vontade de Deus. Há oportunidades suficientes para que cada um seja uma bênção à humanidade. Não se deve dar à mensagem do terceiro anjo um lugar secundário nesta obra, ambas devem ser unidas. Pode haver, e há, o perigo de sepultar os grandes princípios da verdade quando se faz a obra que é correto fazer. Esta obra deve ser para a mensagem o que é a mão para o corpo. As necessidades espirituais da alma devem ser postas em preeminência. — Carta 24, 1898.BS 33.1

    Nosso trabalho indicado por Deus — Não posso ser demasiado veemente em insistir com todos os membros de nossas igrejas, todos quantos são verdadeiros missionários, todos quantos crêem na terceira mensagem angélica, todos quantos desviam o pé do sábado, para considerarem a mensagem do capítulo cinqüenta e oito de Isaías. A obra de beneficência recomendada nesse capítulo, é a obra que Deus requer de Seu povo neste tempo. É uma obra indicada por Ele próprio. Não somos deixados em dúvida quanto ao lugar da mensagem, e ao tempo de seu assinalado cumprimento, pois lemos: “E os que de ti procederem edificarão os lugares antigamente assolados; e levantarás os fundamentos de geração em geração; e chamar-te-ão reparador das roturas, e restaurador de veredas para morar.” V. 12. O memorial de Deus, o sábado do sétimo dia, o sinal da Sua obra em criar o mundo, foi removido pelo homem do pecado. O povo de Deus tem uma obra especial a fazer em reparar as brechas feitas em Sua lei; e quanto mais nos aproximamos do fim, tanto mais urgente se torna essa obra. Todos quantos amam a Deus mostrarão que Lhe trazem o sinal pela guarda de Seus mandamentos. ...BS 33.2

    Quando a igreja aceita a obra que lhe é dada por Deus, tem a promessa: “Então romperá a tua luz como a alva, e a tua cura apressadamente brotará, e a tua justiça irá adiante de tua face, e a glória do Senhor será a tua retaguarda.” — Testemunhos Selectos 2:503, 505.BS 34.1

    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents