Ellen G. White Writings

<< Indietro Avanti >>

«Indietro «Pubblicazione precedente «Cap. «Pag.   Pag.» Cap.» Pubblicazione successiva» Avanti»

Atos dos Apóstolos, Pagina 69

decidido propósito e inquebrantável coragem, possuía as próprias qualificações necessárias à igreja primitiva. AA 68.4

Enquanto Paulo pregava a Cristo em Damasco, todos os que o ouviam ficavam admirados, e diziam: “Não é este o que em Jerusalém perseguia os que invocavam este nome, e para isso veio aqui, para os levar presos aos principais dos sacerdotes?” Atos 9:21. Paulo declarava que sua mudança de fé não tinha sido gerada por impulso ou fanatismo, mas fora resultado de irresistível evidência. Em sua apresentação do evangelho, ele procurava tornar claras as profecias relativas à primeira vinda de Cristo. Mostrava irrefutavelmente que essas profecias se tinham cumprido literalmente em Jesus de Nazaré. O fundamento de sua fé era a segura palavra da profecia. AA 69.1

Enquanto continuava a apelar a seus assombrados ouvintes para “que se emendassem e se convertessem a Deus, fazendo obras dignas de arrependimento” (Atos 26:20), Saulo “se esforçava muito mais, e confundia os judeus que habitavam em Damasco, provando que Aquele era o Cristo”. Atos 9:22. Muitos, porém, endureceram o coração, recusando-se a atender a sua mensagem; e logo o espanto deles pela sua conversão foi mudado em ódio intenso, semelhante ao que haviam mostrado para com Jesus. AA 69.2

A oposição tornou-se tão violenta que não foi permitido a Paulo continuar suas atividades em Damasco. Um mensageiro do Céu ordenou-lhe retirar-se por algum tempo; e ele foi “para a Arábia”, onde encontrou um refúgio seguro. Gálatas 1:17. AA 69.3

Ali, na solidão do deserto, Paulo teve ampla oportunidade para sossegado estudo e meditação. Recapitulou calmamente sua experiência passada, possuindo-se de genuíno arrependimento. Buscou a Deus de todo o coração, não descansando até que tivesse a certeza de que seu arrependimento fora aceito e seus pecados perdoados. Anelava a certeza de que Jesus estaria com ele em seu ministério futuro. Esvaziou a mente dos preconceitos e tradições que lhe haviam, até então, modelado a vida e recebeu instruções da fonte da verdade. Jesus comungou com ele e confirmou-o na fé, conferindo-lhe uma rica medida de sabedoria e graça. AA 69.4

Quando a mente de um homem é posta em comunhão com a mente de Deus, o finito com o Infinito, o efeito sobre o corpo, a mente e o espírito vai além do admissível. Em comunhão tal é encontrada a mais alta educação. É o método de desenvolvimento usado por Deus. “Reconcilia-te com Ele”, é a mensagem do Senhor à humanidade. Jó 22:21. AA 69.5

A solene incumbência dada a Paulo por ocasião de seu encontro com Ananias, pesou-lhe mais e mais sobre o coração. Quando, em resposta à declaração: “Irmão Saulo, o Senhor Jesus... me enviou, para que tornes a ver”, Paulo olhou pela primeira vez a face desse devoto homem, Ananias, que sob a inspiração do Espírito Santo, disse-lhe: “O Deus de nossos pais de antemão te designou para que conheças a Sua vontade, e vejas aquele Justo, e ouças a voz de Sua boca. Porque hás de ser Sua testemunha para AA 69.6

«Indietro «Pubblicazione precedente «Cap. «Pag.   Pag.» Cap.» Pubblicazione successiva» Avanti»