Larger font
Smaller font
Copy
Print
Contents

A Ciência Do Bom Viver, A

 - Contents
  • Results
  • Related
  • Featured
No results found for: "".
    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents

    Capítulo 39 — Conhecimento Através da Palavra de Deus

    A Bíblia toda é uma revelação da glória de Deus em Cristo. Recebida, crida e obedecida, ela é o grande instrumento na transformação do caráter. É o grande estímulo, a constrangedora força que vivifica as faculdades físicas, mentais e espirituais, dando à existência a devida orientação.CBV 458.1

    O motivo por que os jovens, e mesmo os de idade madura, são tão facilmente induzidos à tentação e ao pecado é não estudarem a Palavra de Deus, nem meditarem nela como devem. A falta de firme e decidida força de vontade que se manifesta na vida e no caráter é resultante de negligência das sagradas instruções da Palavra de Deus. Eles não dirigem, mediante diligente esforço, a mente àquilo que lhes inspiraria pensamentos puros, santos, desviando-a do que é impuro e falso. Há poucos que escolham a melhor parte, que, qual Maria, se assentem aos pés de Jesus, a fim de aprender do divino Mestre. Poucos entesouram Suas palavras no coração, e as praticam na vida.CBV 458.2

    Recebidas, as verdades bíblicas elevarão a mente e a alma. Se a Palavra de Deus fosse apreciada como deveria ser, tanto os jovens como os idosos possuiriam uma retidão interior, uma firmeza de princípios que os habilitariam a resistir à tentação.CBV 459.1

    Ensinem os homens e escrevam as preciosas coisas das Santas Escrituras. Sejam o pensamento, a aptidão, o penetrante exercício da potência cerebral empregados no estudo dos pensamentos de Deus. Não estudeis a filosofia das conjeturas humanas, mas a dAquele que é a verdade. Nenhuma outra literatura pode se comparar com esta em valor.CBV 459.2

    A mente terrena não encontra prazer na contemplação da Palavra de Deus; mas, para a que foi renovada pelo Espírito Santo, irradiam da página sagrada divina beleza e luz celestial. Aquilo que, para a mente terrena, era um deserto, à mente espiritual se torna uma terra de correntes vivas.CBV 460.1

    O conhecimento de Deus segundo a revelação de Sua Palavra, eis o que deve ser dado a nossos filhos. Desde os primeiros lampejos da razão, eles devem ser postos em contato familiar com o nome e a vida de Jesus. As primeiras lições devem ensinar-lhes que Deus é seu Pai. Seu primeiro exercício, a obediência de amor. Reverente e ternamente lhes seja lida e repetida a Palavra de Deus, em porções apropriadas a sua compreensão e de molde a despertar o interesse. E, acima de tudo, fazei com que aprendam acerca de Seu amor segundo é revelado em Cristo, e a grande lição do mesmo: “Se Deus assim nos amou, também nós devemos amar uns aos outros.” I João 4:11.CBV 460.2

    Faça a juventude da Palavra de Deus o alimento do espírito e da alma. Torne-se a cruz de Cristo a ciência de toda educação, o centro de todo ensino e estudo. Seja ela introduzida na experiência diária da vida prática. Assim se tornará o Salvador para os jovens o companheiro e amigo de cada dia. Todo pensamento será levado cativo à obediência de Cristo. Como o apóstolo Paulo, deverão poder dizer: “Longe esteja de mim gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim e eu, para o mundo” (Gl 6:14).CBV 460.3

    “Também os Teus testemunhos são o meu prazer e os meus conselheiros” (Sl 119:24).

    Assim, mediante a fé, eles chegam a conhecer a Deus com um conhecimento experimental. Têm provado por si mesmos a realidade de Sua Palavra, a veracidade de Suas promessas. Têm provado, e visto que o Senhor é bom.CBV 461.1

    O amado João tinha conhecimento adquirido pela própria experiência. Pôde testificar: “O que era desde o princípio, o que vimos com os nossos olhos, o que temos contemplado, e as nossas mãos tocaram da Palavra da vida (porque a Vida foi manifestada, e nós a vimos, e testificamos dela, e vos anunciamos a vida eterna, que estava com o Pai e nos foi manifestada), o que vimos e ouvimos, isso vos anunciamos, para que também tenhais comunhão conosco; e a nossa comunhão é com o Pai e com Seu Filho Jesus Cristo.” I João 1:1-3.CBV 461.2

    Assim cada qual é capaz de, mediante a própria experiência, confirmar “que Deus é verdadeiro”. João 3:33. Ele pode testificar daquilo que por si mesmo tem visto e ouvido e sentido do poder de Cristo. Pode testificar: “Eu necessitava de auxílio, e o encontrei em Jesus. Toda necessidade foi suprida, satisfeita a fome de minha alma; a Bíblia é para mim a revelação de Cristo. Creio em Jesus porque Ele me é um divino Salvador. Creio na Bíblia porque achei nela a voz de Deus a minha alma.”CBV 461.3

    Aquele que adquiriu certo conhecimento de Deus e de Sua Palavra mediante a própria experiência acha-se apto a empenhar-se no estudo da ciência natural. Está escrito a respeito de Cristo: “NEle, estava a vida e a vida era a luz dos homens” (Jo 1:4). Antes da entrada do pecado, Adão e Eva no Éden, estavam circundados por uma bela e resplandecente luz - a luz de Deus. Essa luz iluminava tudo de que eles se aproximavam. Nada havia que lhes obscurecesse a percepção do caráter ou das obras de Deus. Quando, porém, cederam ao tentador, a luz se retirou deles. Perdendo as vestes da santidade, perderam a luz que havia iluminado a natureza. Não mais a podiam ler direito. Não podiam discernir o caráter de Deus em Suas obras. Assim hoje, o homem não pode por si mesmo ler devidamente o ensino da natureza. A menos que seja guiado por sabedoria divina, exalta-a e a suas leis acima do Deus que a criou. É por isso que as idéias meramente humanas quanto à ciência tantas vezes contradizem o ensino da Palavra de Deus. Mas, para os que recebem a luz da vida de Cristo, a natureza novamente se ilumina. Na luz que se irradia da cruz, podemos interpretar devidamente o ensino da natureza.CBV 461.4

    Aquele que conhece a Deus e a Sua Palavra por experiência pessoal tem uma firme fé na origem divina das Santas Escrituras. Tem provado que a Palavra de Deus é a verdade, e que a verdade não se pode nunca contradizer a si mesma. Não prova a Bíblia pelas idéias e a ciência humanas; submete-as, a estas, à prova da infalível norma. Sabe que, na verdadeira ciência, nada pode haver que esteja em contradição com o ensino da Palavra; uma vez que procedem ambas do mesmo Autor, a verdadeira compreensão delas demonstrará sua harmonia. Seja o que for, nos chamados ensinos científicos, que contradiga o testemunho da Palavra de Deus não passa de conjetura humana.CBV 462.1

    A esse estudante, a pesquisa científica abrirá vastos campos de pensamentos e informações. Ao ele contemplar as coisas da natureza, advém-lhe uma nova percepção da verdade. O livro da natureza e a Palavra escrita derramam luz um sobre o outro. Ambos o fazem relacionar-se melhor com Deus, ensinando-lhe o que concerne ao Seu caráter e às leis por meio das quais Ele opera.CBV 462.2

    A experiência do salmista pode ser obtida por todos mediante o recebimento da Palavra de Deus através da natureza e da Revelação. Diz ele:CBV 462.3

    “Tu, Senhor, me alegraste com os Teus feitos;
    Exultarei nas obras das Tuas mãos”
    CBV 463.1

    (Sl 92:4).

    “A Tua misericórdia, Senhor, está nos céus,
    E a Tua fidelidade chega até às mais excelsas nuvens.
    A Tua justiça é como as grandes montanhas;
    Os Teus juízos são um grande abismo. ..”
    CBV 463.2

    (Sl 36:5, 6).

    “Quão preciosa é, ó Deus, a Tua benignidade! ...
    Os filhos dos homens se abrigam à sombra das Tuas asas. ...
    E os farás beber da corrente das Tuas delícias;
    Porque em Ti está o manancial da vida;
    Na Tua luz veremos a luz”
    CBV 463.3

    (Sl 36:7-9).

    “Bem-aventurados os que trilham caminhos retos
    E andam na lei do Senhor.
    Bem-aventurados os que guardam os Seus testemunhos
    E O buscam de todo o coração”
    CBV 463.4

    (Sl 119:1, 2).

    “Como purificará o jovem o seu caminho?
    Observando-o conforme a Tua Palavra.
    Escolhi o caminho da verdade;
    Propus-me seguir os Teus juízos”
    CBV 463.5

    (Sl 119:9, 30).

    “Escondi a Tua Palavra no meu coração,
    Para eu não pecar contra Ti.
    E andarei em liberdade,
    Pois busquei os Teus preceitos”
    CBV 463.6

    (Sl 119:11, 45).

    “Desvenda os meus olhos,
    Para que veja as maravilhas da Tua lei.
    Também os Teus testemunhos são o meu prazer
    E os meus conselheiros.
    Melhor é para mim a lei da Tua boca
    Do que inúmeras riquezas em ouro ou prata”
    CBV 463.7

    (Sl 119:18, 24, 72).

    “Oh! Quanto amo a Tua lei!
    É a minha meditação em todo o dia!
    Maravilhosos são os Teus testemunhos;
    Por isso, a minha alma os guarda.
    Os Teus estatutos têm sido os meus cânticos
    No lugar das minhas peregrinações”
    CBV 463.8

    (Sl 119:97, 129, 54).

    “A Tua Palavra é muito pura;
    Por isso, o Teu servo a ama”
    CBV 463.9

    (Sl 119:140).

    “A Tua Palavra é a verdade desde o princípio,
    E cada um dos Teus juízos dura para sempre”
    CBV 464.1

    (Sl 119:160).

    “Viva a minha alma e louvar-Te-á;
    Ajudem-me os Teus juízos.”
    CBV 464.2

    Sal 119:175.

    “Muita paz têm os que amam a Tua lei,
    E para eles não há tropeço”
    CBV 464.3

    (Sl 119:165).

    “Senhor, tenho esperado na Tua salvação
    E tenho cumprido os Teus mandamentos.
    A minha alma tem observado os Teus testemunhos;
    Amo-os extremamente”
    CBV 464.4

    (Sl 119:166, 167).

    “A exposição das Tuas palavras dá luz
    E dá entendimento aos símplices.
    Tu, pelos Teus mandamentos,
    Me fazes mais sábio que meus inimigos,
    Pois estão sempre comigo.
    Tenho mais entendimento do que todos os meus mestres,
    Porque medito nos Teus testemunhos.
    Sou mais prudente do que os velhos,
    Porque guardo os Teus preceitos.
    Pelos Teus testemunhos, alcancei entendimento;
    Pelo que aborreço todo falso caminho.
    Os Teus testemunhos tenho eu tomado por herança para sempre,
    Pois são o gozo do meu coração”
    CBV 464.5

    (Sl 119:130, 98-100, 104, 111).

    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents