Larger font
Smaller font
Copy
Print
Contents

Conselhos aos Idosos

 - Contents
  • Results
  • Related
  • Featured
No results found for: "".
    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents

    Cristo nos conduzirá com segurança para o lar

    Já houve alguma ocasião em que um cristão moribundo desse aos amigos que o vigiam um testemunho de que foram enganados, de que não há Deus e de que não há realidade na religião de Cristo? Mas quantos dos que se cercaram com as negras vestes do ateísmo tiveram de se prostrar diante do implacável mensageiro da morte. Poderíamos mencionar muitas ocasiões nas quais homens cultos se vangloriaram em sua descrença e alardearam seu ateísmo, mas, quando a morte os reclamou, olharam com horror para um futuro sem estrelas, e suas últimas palavras foram: “Esforcei-me para crer que não há Deus, não há recompensa para o fiel e nem castigo para o ímpio; contudo, quão vã foi essa tentativa. Agora sei que preciso me defrontar com o destino dos perdidos.”CId 153.2

    Em seus últimos momentos, Sir Thomas Scott clamou: “Até este momento, cria que não havia Deus nem inferno. Agora sei e sinto que existem ambos e que estou condenado à perdição pelos justos juízos de Deus.”CId 153.3

    Voltaire era no seu tempo o leão da hora. Vivia numa esplêndida mansão e estava cercado por todo o luxo que seu coração pudesse desejar. Reis o honravam. Os grandes do mundo buscavam sua companhia. Certa ocasião, alguns homens tiraram os cavalos da carruagem dele e a puxaram eles mesmos em triunfo pela cidade. ...CId 154.1

    Vá agora ao leito de morte de um cristão — Halburton da Escócia. Estava na pobreza e sofria de grandes dores. Nada tinha dos confortos que Voltaire possuía, mas era infinitamente mais rico. Disse ele: “Dentro de pouco tempo, morrerei. Na ressurreição, sairei para ver o meu Deus e para viver eternamente. Abençoado seja o Seu nome porque O encontrei e morro regozijando-me nEle. Bendito seja Deus porque nasci.”CId 154.2

    Relatando os últimos dias de Sir Davis Brewster, sua filha escreveu: “Ele agradeceu a Deus porque o caminho da salvação era tão simples: não exigia argumento elaborado algum, nenhuma consecução difícil. Crer no Senhor Jesus Cristo era viver. Confiava nEle e desfrutava Sua paz.” As últimas palavras desse grande cientista foram: “A vida foi brilhante para mim e agora existe o brilho do além. Verei Jesus, que criou todas as coisas e que fez os mundos. Vê-Lo-ei como é. Sim, tive a luz por muitos anos. Oh, como ela é brilhante! Sinto-me tão seguro, tão satisfeito.”CId 154.3

    “O caminho do transgressor é trabalhoso” (Provérbios 13:15), mas os da sabedoria “são deliciosos e todas as suas veredas, paz”. Provérbios 3:17. No caminho que desce, o portal pode ser brilhante e florido, mas nele há espinhos. A luz da esperança que brilha na sua entrada desaparece na escuridão do desespero; e a alma que segue pelos seus caminhos mergulha nas sombras de uma noite infinita.CId 154.4

    Mas, tomando Cristo por guia, seremos conduzidos com segurança para o lar. A estrada pode ser acidentada, a subida, íngreme; pode haver ciladas à direita e à esquerda; é possível que tenhamos de suportar fadigas na jornada. Quando cansados e suspirando por repouso, é possível que tenhamos de labutar; quando desfalecidos é possível que tenhamos de lutar; quando desanimados, ainda devemos ter esperança porque, tomando Cristo como guia, não falharemos na chegada final ao porto desejado. Antes de nós, Cristo trilhou o áspero caminho e alisou a estrada para nossos pés.CId 155.1

    Os que andam pelos caminhos da sabedoria são extremamente alegres, mesmo na tribulação porque, invisivelmente, Aquele a quem sua alma ama está do seu lado. A cada passo que dão para cima, discernem mais distintamente o toque da Sua mão. Em cada passo, vêem que cintilações mais brilhantes de glória vindas do Invisível incidem sobre seus caminhos. Seus hinos de louvor alcançam notas cada vez mais altas e sobem para se juntar às dos anjos diante do trono. “A vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito”. Provérbios 4:18. — The Signs of the Times, 3 de Agosto de 1904.CId 155.2

    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents