Larger font
Smaller font
Copy
Print
Contents

Testemunhos para a Igreja 2

 - Contents
  • Results
  • Related
  • Featured
No results found for: "".
    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents

    Capítulo 37 — Severidade no governo da família

    Irmão L:

    Em Junho último foi-me mostrado que há uma obra que você precisa fazer para corrigir seus caminhos. Você não se enxerga. Sua vida tem sido um erro. Não adota uma sábia e compassiva conduta com sua família. Você é exigente. Se continuar a agir assim com sua esposa e filhos, os dias dela serão abreviados, e seus filhos o temerão em vez de amá-lo. Você acha que sua conduta está baseada na sabedoria cristã, mas engana-se.T2 253.1

    Você tem pontos de vista peculiares com respeito à orientação da família. Exerce um poder independente e arbitrário, que não permite liberdade a seu redor. Você se acha apto para ser líder em sua família e entende que sua cabeça é suficiente para mover todos os membros, como uma máquina funciona nas mãos do operador. Você é ditatorial e assume autoridade. Isto desagrada o Céu e entristece os compassivos anjos. Tem-se conduzido em sua família como se unicamente fosse capaz de governar por si mesmo. Fica ofendido se sua esposa se aventure a opor-se a suas opiniões ou questione suas decisões.T2 253.2

    Após muita resignação e paciência com os caprichos do irmão, ela se rebelou contra a injusta autoridade e ficou nervosa e perturbada, menosprezando seu procedimento. Você tirou o máximo proveito dessas manifestações, e acusou-a de pecado e de ser conduzida pelo espírito do diabo, quando era você quem estava em falta. Levou-a quase ao desespero e posteriormente a censurou por isso. Quão fácil teria sido para você tornar a vida de sua esposa alegre e agradável. Mas aconteceu o contrário.T2 253.3

    Você tem sido um tanto indolente. Não tem ambicionado exercitar a força que o Senhor lhe deu. Essa é o seu capital. O uso prudente dessa força e hábitos perseverantes e diligentes, tê-lo-iam capacitado a obter os confortos da vida. Você tem errado, pensando que fosse orgulho o que levou sua esposa a desejar mais conforto. Ela tem sido restringida por você e tratada com mesquinhez. Ela precisa de um regime mais liberal, mais abundante suprimento de alimento sobre sua mesa; e em casa precisa de objetos os mais confortáveis e convenientes que você puder conseguir, coisas que lhe tornem o trabalho o mais fácil possível. Mas você tem considerado isso sob um prisma errado. Tem pensado que quase tudo que pudesse ser comido fosse bastante bom, se com isso você pudesse viver e manter as forças. Tem insistido na necessidade de um regime escasso para sua débil esposa. Não pode ela, porém, ter bom sangue nem robustez, com o regime ao qual você se adapta e tem saúde. Pessoas há que não podem subsistir com o mesmo alimento com o qual outros passam bem, mesmo que seja preparado de igual maneira.T2 254.1

    Você está em perigo de tornar-se extremista. Seu organismo pode converter em bom sangue um regime muito inferior e pobre. Seus órgãos produtores de sangue estão em boas condições. Sua esposa, porém, requer regime mais escolhido. Deixe-a comer o mesmo alimento que o seu organismo é capaz de converter em bom sangue, e o organismo dela não o poderá fazer. Falta-lhe vitalidade, e precisa de um regime generoso, fortalecedor. Deve ela ter bom suprimento de frutas, não se limitando aos mesmos pratos, dia a dia. Sua saúde é delicada. Ela é doentia, e as necessidades de seu organismo são muito diversas das de uma pessoa sadia.T2 254.2

    Irmão L, você possui considerável dignidade, mas por acaso a tem merecido? Oh, não! Você apenas pretende ser digno. Ama o sossego. Você e trabalho árduo não combinam. Houvesse sido diligente nos negócios, e poderia ter tido muitas comodidades que agora não tem condições de obter. Você prejudicou sua esposa e filhos por seus hábitos ociosos. Horas que deveriam ser gastas em trabalho diligente foram passadas em conversa, leitura e repouso.T2 254.3

    Você é tão responsável por seu capital de força, como o rico o é por suas riquezas. Ambos são mordomos. A cada um é dada a sua obra. Você não deve abusar da força, mas usá-la para adquirir o quanto possa para suprir as necessidades da família, e ter o que dar a Deus em auxílio da verdade presente. Tem estado ciente da existência de orgulho, exibição e vaidade em _____, e determinou-se a dar um exemplo que não apoiasse tal orgulho e extravagância. Em seu esforço por levar avante tal objetivo, seu pecado foi igualmente grande no lado oposto.T2 255.1

    O irmão tem estado grandemente em falta em sua experiência religiosa. Tem permanecido como um vigia, um espectador, observando as deficiências e faltas alheias, e orgulha-se por achar defeitos nos outros. Você tem sido cuidadoso e correto nos negócios, e quando vê negligência a esse respeito naqueles que fazem alta profissão de fé, contrasta os erros deles com seus princípios e diz em seu coração: “Sou melhor do que eles”, enquanto se mantém distante da igreja vigiando e descobrindo erros, não “vindo em socorro do Senhor” (Juízes 5:23) para remediar o mal. Você tem tido um padrão com o qual medir os outros. Se eles deixam de harmonizar-se com suas idéias, não têm sua aprovação, e você tem sentimentos de complacência própria.T2 255.2

    Você tem sido exigente em sua experiência religiosa. Lidasse Deus com você como o irmão faz com aqueles que supõe estar em erro na igreja, e como você tem lidado com a própria família, estaria realmente em má situação. Mas o Deus misericordioso, ternamente piedoso, cuja misericórdia não muda, é perdoador e não o lança fora nem o extirpa por causa de suas transgressões, seus numerosos erros e apostasia. Oh, não! Ele ainda o ama.T2 255.3

    Tem realmente considerado que “com a medida com que” medir, será medido? Marcos 4:24. Você tem visto orgulho, vaidade e espírito amante do mundo em alguns que professam ser cristãos em _____. Esse é um grande mal; e porque essa disposição é acariciada, os anjos se entristecem. Aqueles que seguem o exemplo dos não consagrados estão exercendo uma influência que afasta de Cristo, e estão manchando suas vestes com o sangue das almas. Se continuarem no mesmo procedimento, perder-se-ão e saberão, um dia, quão terrível é o peso das outras almas que foram desviadas por sua falta de consagração, enquanto professavam ser governados por princípios religiosos.T2 256.1

    Você tem justa razão em estar entristecido com o orgulho e a falta de simplicidade daqueles que professam coisas mais elevadas. Mas, você tem falado dos erros e desvios deles, e negligenciado a você mesmo. Você não é responsável por qualquer dos pecados dos irmãos, a menos que seu exemplo lhes cause tropeço e desvie seus pés do caminho estreito. Você tem uma grande e solene obra a fazer para controlar e subjugar a si mesmo, tornar-se “manso e humilde de coração” (Mateus 11:29) e educar-se em ser terno e compassivo para com sua família, e possuir aquela nobreza de espírito e a verdadeira generosidade interior que abomina a avareza.T2 256.2

    Você pensou que demasiado trabalho foi feito na casa de culto e comentou sobre as desnecessárias despesas. Seus conscienciosos escrúpulos especiais são desnecessários. Nada há naquela casa que tenha sido preparado com demasiado cuidado, esmero e ordem. O trabalho não é tão aprimorado. Os arranjos não são extravagantes. Será que aqueles que se queixam dessa casa de adoração consideram para quem ela foi construída? Que foi construída especialmente para ser a casa de Deus, para ser dedicada a Ele; para ser um lugar onde o povo se reúne para encontrar-se com Deus? Muitos agem como se o Criador dos céus e da terra, Aquele que fez todas as coisas belas e admiráveis em nosso mundo, Se agradasse em ver uma casa a Ele dedicada sem ordem nem beleza. Muitos constroem grandes e confortáveis casas para si, mas não permitem que se invista muito num edifício dedicado a Deus. Cada dólar que está em suas mãos é do Senhor. Ele lhes confiou por um pouco de tempo a fim de usá-los para Sua glória. Entretanto, ao usarem esses recursos para o avanço da causa de Deus, consideram cada dólar assim gasto como um total desperdício.T2 256.3

    Deus não quer que Seu povo despenda recursos extravagantemente para ostentação ou decoração, mas que observe ordem, bom gosto, asseio e beleza ao prepararem uma casa para Ele, na qual deve Se encontrar com Seu povo. Aqueles que constroem uma casa para Deus devem manifestar muito maior interesse, cuidado e bom gosto em seus preparativos, assim como o objetivo com que ela é edificada é muito mais alto e santo do que aquele vinculado à construção de residências comuns.T2 257.1

    O Senhor lê os intentos e propósitos dos homens. Aqueles que possuem elevada visão de Seu caráter sentirão ser seu alto privilégio fazer tudo o que se relacione com Ele da melhor maneira, e mostrando o maior bom gosto. Mas os que relutantemente edificam uma casa inferior para dedicar a Deus, que não aceitariam morar fosse ela para si mesmos, mostram sua falta de reverência por Deus e pelas coisas sagradas. Sua obra revela que as temporais preocupações pessoais são de maior valor a seus olhos do que assuntos de natureza espiritual. As coisas eternas ficam em segundo plano. Não é considerado essencial ter coisas boas e convenientes para usar no serviço de Deus, mas essas são consideradas altamente essenciais aos interesses desta vida. Os homens revelarão seu verdadeiro caráter moral pelos princípios que lhes regem o coração.T2 257.2

    Muitos dentre nosso povo se tornaram limitados em seus pontos de vista. Ordem, asseio, bom gosto e conveniência são rotulados de orgulho e amor ao mundo. Isto é um erro. Orgulho vão, que é exibido em vistosos adornos e ornamentos desnecessários, não agrada a Deus. Mas Aquele que criou para o homem um mundo formoso e plantou um lindo jardim no Éden, com toda variedade de árvores frutíferas e ornamentais, que decorou a Terra com as mais encantadoras flores de inúmeras espécies e matizes, deu provas tangíveis de que Ele Se agrada com o que é belo. Aceitará, porém, a mais humilde oferenda dos Seus mais pobres e fracos filhos, se esses não tiverem nada melhor a apresentar. É a sinceridade de coração que o Senhor aceita. O homem que tem a Deus entesourado no coração e exaltado acima de tudo será levado a total submissão à vontade divina, e sujeitar-se-á inteiramente a Seu governo e reino.T2 258.1

    Mortais de visão curta não compreendem os caminhos e obras de Deus. Seus olhos não estão voltados para o alto, para Ele, como devem. Não possuem elevada visão das coisas eternas. Apenas divisam as coisas com visão nublada. Não têm nenhum especial deleite em contemplar o amor de Deus, a glória e esplendor dos Céus, o caráter elevado dos santos anjos, a majestade e o inexprimível encanto de Jesus, nosso Redentor. Por tanto tempo têm eles estado envolvidos com as coisas terrenas, que as cenas eternas são-lhes vagas e indistintas. Sua concepção sobre Deus, o Céu e a eternidade é limitada.T2 258.2

    As coisas sagradas são rebaixadas a um nível comum; assim, em seu trato com Deus, eles manifestam o mesmo espírito estreito e miserável que demonstram a seus companheiros. Suas ofertas ao Senhor são mutiladas, fracas e imperfeitas. Roubam-nO da mesma forma como roubam a seus semelhantes. Sua mente não alcança um elevado padrão moral, mas permanece em baixos níveis, e estão constantemente respirando os impuros miasmas das regiões inferiores da Terra.T2 258.3

    Irmão L, você governa sua família com vara de ferro. É exigente no controle de seus filhos. Com esse método de governo não conquistará o amor deles. Você não é terno, amável, afetuoso e cortês com sua esposa, porém ríspido e implacável, culpando-a e censurando-a. Uma família bem ordenada é agradável a Deus e aos anjos ministradores. Você precisa aprender como tornar o lar agradável, bem ordenado e confortável. Então, adorne o lar com apropriada dignidade e esse espírito será reconhecido pelas crianças; ordem, regularidade e obediência serão mais prontamente conseguidas por ambos.T2 259.1

    Irmão L, já considerou o que é uma criança e para onde vai? Seus filhos são os membros mais novos da família do Senhor — irmãos e irmãs confiados a seu cuidado, por seu Pai celestial, a fim de que os prepare e eduque para o Céu. Quando os está conduzindo com tanta aspereza como freqüentemente o faz, considera que Deus o chamará às contas por esse tratamento? Não deve tratar seus filhos com tal aspereza. A criança não é um cavalo ou um cão para ser dirigida autoritariamente segundo sua imperiosa vontade, ou, em todas as circunstâncias, ser controlada com um cacete ou chicote, ou com tapas. Algumas crianças têm um temperamento tão viciado que é necessário provocar-lhes dor, mas em muitíssimos casos se tornam muito piores com tal disciplina.T2 259.2

    Você precisa controlar-se. Nunca corrija seus filhos com impaciência ou irritação, nem quando sob influência da ira. Discipline-os com amor, manifestando a indisposição que sente em causar-lhes dor. Nunca levante a mão para lhes dar um tapa, a não ser que possa, com clara consciência, curvar-se diante de Deus e pedir Sua bênção sobre a correção que está prestes a dar. Incentive o amor no coração de seus filhos. Apresente-lhes motivos elevados e corretos para o domínio próprio. Não lhes dê a impressão de que se devem submeter ao controle porque essa é a sua vontade arbitrária, porque são fracos e você é forte, porque você é o pai e eles os filhos. Se desejar arruinar a sua família, continue a governar pela força bruta, e certamente terá êxito.T2 259.3

    Sua esposa é sensível e se abala com facilidade. Ela sente a dureza de sua disciplina e isso a conduz ao extremo oposto, buscando contrabalançar sua severidade. Você acha que ela está em falta no cumprimento de seu dever e em controlar os filhos. Acha que ela é condescendente, afetuosa demais e branda. Você não pode ajudá-la a esse respeito até corrigir-se, e manifestar aquela ternura paternal que deve à família. É sua conduta errônea que leva a esposa a ser frouxa na disciplina. Você precisa ter sua natureza abrandada. Necessita ser aperfeiçoado pela influência do Espírito de Deus. Precisa de uma completa conversão; então poderá agir corretamente. Você precisa receber o amor no coração e permitir que ele ocupe o lugar do mérito próprio; o eu precisa morrer.T2 260.1

    Sua esposa precisa de ternura e amor. O Senhor a ama. Ela está mais próxima do reino dos Céus do que você, porém está morrendo pouco a pouco, e o irmão é o único que lentamente lhe consome a vida. Você pode fazer sua esposa feliz, se quiser. Pode animá-la a apoiar-se em sua grande afeição, a confiar em você e amá-lo. Está afastando de você o coração dela. Ela tem se esquivado a demonstrar-lhe todas as emoções do coração, porque você tem tratado os sentimentos dela com desprezo, ridicularizado-lhe os temores e arrogantemente expressado as próprias opiniões como se nada daquilo tivesse valor. O respeito dela por você certamente desaparecerá se você continuar a comportar-se como tem feito; e quando o respeito se vai, o amor não permanece por muito tempo.T2 260.2

    Rogo-lhe que faça meia-volta e humilhe-se, confessando que prejudicou sua esposa. Ela não é perfeita, tem suas faltas, mas deseja sinceramente servir a Deus e pacientemente suportar seu comportamento para com ela e os filhos. Você é pronto a descobrir os erros de sua esposa, e quando pode apanhar uma falha, não deixa por menos. Ela é fraca, contudo, glorifica a Deus mais do que você com suas grandes habilidades.T2 261.1

    Battle Creek

    17 de Janeiro de 1869

    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents