Larger font
Smaller font
Copy
Print
Contents

Testemunhos para a Igreja 2

 - Contents
  • Results
  • Related
  • Featured
No results found for: "".
    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents

    Capítulo 4 — O falar pecaminoso

    O irmão F tem tido tão profundamente a causa de Deus no coração, que assume mais responsabilidades do que tem condição de suportar. Assim, sua saúde tem sido prejudicada. Ele algumas vezes vê os assuntos de um ponto de vista mais extremado e ficado ansioso para que todos vejam os fatos sob o mesmo prisma. E como as pessoas se recusam a agir assim, F se sente quase esmagado. Magoa-se intensamente e está em perigo de impor seus pontos de vista de maneira muito autoritária.T2 50.1

    A irmã F deseja ser cristã, mas não tem cultivado discrição e verdadeira cortesia. Ela é muito decidida, impetuosa e autoconfiante. Revela uma parte áspera de seu caráter, o que não lhe é benéfico. É movida por impulso, agindo exatamente como sente; algumas vezes seus sentimentos têm estado muito agitados e intensos. Ela possui fortes desejos e aversões, e permite que esse desafortunado traço de caráter se desenvolva grandemente, em detrimento do próprio progresso espiritual e prejuízo da igreja. Fala demais e desavisadamente, assim como vai em seu coração. Isto tem exercido forte influência sobre o marido e, às vezes, levado-o a agir sob o impulso das emoções, quando se houvesse esperado e considerado os assuntos com calma e ponderado de maneira adequada, teria sido melhor para ele mesmo e para a igreja. Nada se obtém de um agir precipitado, acionado por impulso ou fortes sentimentos.T2 50.2

    Agindo por impulso, a irmã F descobre faltas e tem muitíssimo a dizer contra seus irmãos e irmãs. Isso causa confusão em qualquer igreja. Se ela controlasse o próprio espírito, grande vitória seria obtida. Se buscasse os adornos celestiais, os ornamentos “de um espírito manso e quieto” (1 Pedro 3:4), o qual Deus, o Criador, dos Céus e da Terra, considera de grande valor, ela seria uma verdadeira ajuda à igreja. Se acariciasse o espírito de Cristo e se tornasse pacificadora, sua vida floresceria e seria uma bênção à igreja, aonde quer que fosse. A menos que se converta e uma completa mudança nela se opere; a menos que se eduque a ser tardia “para falar”, tardia “para se irar” (Tiago 1:19), e cultive a verdadeira cortesia cristã, sua influência se provará danosa, e afetará a felicidade daqueles que lhe estão ligados. Ela manifesta uma independência que lhe é danosa e que afasta seus amigos. Isso tem lhe causado muitos problemas e ferido seus melhores amigos.T2 51.1

    Quando aqueles que possuem recursos se associavam comercialmente a seu marido, e não o favoreciam nas transações comerciais mais do que os mundanos o fariam, ela se ressentia e falava, e despertava sentimentos de insatisfação onde anteriormente nada existia. Esse é um mundo egoísta, na melhor das hipóteses. Muitos dos que professam a verdade não são santificados por ela. Eles não têm coração para abaixar um pouco que seja os preços dos produtos quando negociam com um irmão pobre, de preferência a fazê-lo para um mundano em boas condições financeiras. Não amam a seu próximo como a si mesmos. Seria mais agradável a Deus se houvesse menos egoísmo e mais desinteressada benevolência.T2 51.2

    Como a irmã F manifesta um espírito egoísta, tem cometido um pecado mais grave pelo ressentir-se e falar a respeito do assunto. Ela tem errado em manter expectativas grandes demais. A língua é um membro ingovernável, “um mundo de iniqüidade” (Tiago 3:6), arde com o fogo do inferno, indomada e indomável. A irmã F possui um espírito de retaliação, manifestado por seu comportamento quando se sente ofendida. Tudo está errado. Ela acaricia sentimentos amargos, que são estranhos ao espírito de Cristo. Ira, ressentimento e todo tipo de temperamento desapiedado são acariciados, ao falar ela contra aqueles que a desagradam, e por enumerar erros, falhas e pecados de seus semelhantes. Desejos concupiscentes são satisfeitos.T2 51.3

    Irmã F, se você se sente ofendida por que seu semelhante ou amigo está agindo erradamente para dano próprio, e foi surpreendido nalguma falta, siga a regra bíblica: “Vai e repreende-o entre ti e ele só.” Mateus 18:15. Quando você se achega a alguém que supõe estar em erro, fale-lhe num espírito manso e quieto; “porque a ira do homem não opera a justiça de Deus”. Tiago 1:20. Os que erram não podem ser restaurados senão com um espírito de mansidão, bondade e terno amor. Seja cuidadosa. Evite qualquer coisa que passe a idéia de orgulho ou auto-suficiência seja por olhar, gesto, palavra ou entonação da voz. Guarde-se contra uma palavra ou olhar que exalte a si mesma, ou coloque sua bondade e justiça em contraste com suas fraquezas. Previna-se contra a mais leve aproximação do desdém, arrogância ou desrespeito. Evite cuidadosamente toda aparência de ira; e embora você possa usar de franqueza no falar, não permita que haja reprovação, nenhuma acusação injuriosa, nenhum falar irritadiço, mas amor sincero. Acima de tudo, que não haja sombra de ódio ou má vontade, nenhuma amargura ou acidez na expressão. Nada senão bondade e cortesia podem fluir de um coração que ama. Todavia, todos esses preciosos frutos não devem impedi-la de falar de maneira séria, solene, como se os anjos a estivessem olhando e você estivesse agindo tendo em vista o juízo vindouro. Tenha em mente que o sucesso da repreensão depende grandemente do espírito com que é dada. Não negligencie a oração fervorosa a fim de que você possa ser humilde, e que os anjos de Deus possam ir adiante de você, trabalhando no coração daqueles a quem busca alcançar, suavizando-o mediante celestiais impressões para que seus esforços sejam proveitosos. Se algum bem for conseguido, não tome o crédito para si mesma. Somente Deus deve ser exaltado. Foi Ele quem fez tudo.T2 52.1

    Você se tem desculpado por falar mal de seu irmão, irmã ou semelhante, antes de ir a eles e dar os passos que Deus ordenou. Você diz: “Mas por quê? Eu nada falei senão depois de estar tão sobrecarregada que não mais podia conter-me.” O que a sobrecarregou? Não foi, porventura, a negligência do próprio dever, de um “assim diz o Senhor”? Ageu 1:5. Você está sob culpa de pecado porque não foi e falou ao ofensor de sua falta entre você e ele só. Se você não fez isso, se desobedeceu a Deus, como poderia ter sido de outro modo, porquanto seu coração estava endurecido enquanto pisoteava o mandamento de Deus e em seu coração odiava seu irmão ou semelhante? E que modo você descobriu para se aliviar? Deus a censura pelo pecado de omissão, em não dizer ao irmão a sua falta, e você se desculpa e se conforta por um pecado de responsabilidade, dizendo as faltas de seus irmãos a terceiros. Seria esse o modo correto de conseguir bem-estar, cometendo pecado?T2 53.1

    Todos os seus esforços para salvar os que erram podem ser em vão. Eles podem pagar-lhe o bem com o mal. Eles podem ficar enfurecidos em vez de convencidos. O que ocorrerá se eles não ouvirem nada de bom, e prosseguirem na má conduta que escolheram? Isso ocorre com frequência. Algumas vezes a branda e terna reprovação não surtirá bom efeito. Nesse caso, a bênção que você desejava que o outro recebesse ao seguir o caminho da justiça, cessando “de fazer mal” e aprendendo “a fazer o bem”, retornará ao seu seio. Isaías 1:16, 17. Se os que erram persistirem no pecado, trate-os bondosamente e deixe-os com o Pai celestial. Você livrou sua alma; o pecado dele não mais permanece sobre você, pois não é mais participante de seu pecado. Mas se eles perecerem, seu sangue cairá sobre a cabeça deles. Ezequiel 33:9.T2 53.2

    Querida amiga, é preciso ocorrer uma inteira transformação em você, ou será pesada na balança e achada em falta. Daniel 5:27. A igreja de _____, especialmente as mulheres falantes, tem uma lição a aprender. “Se alguém entre vós cuida ser religioso e não refreia a sua língua, antes, engana o seu coração, a religião desse é vã.” Tiago 1:26. Muitos serão pesados na balança e achados em falta nessa questão de tanta importância. Onde estão os cristãos que andam segundo essa regra? Quem receberá a parte de Deus contra o falar pecaminoso? Quem agradará a Deus e porá uma vigilância contínua sobre a boca, e guardará a porta dos lábios? Salmos 141:3. Não fale mal de pessoa alguma. Não ouça mal de ninguém. Se não houver quem ouça, não haverá quem fale mal. Se alguém fala mal em sua presença, restrinja-o. Recuse ouvi-lo, embora suas maneiras possam ser agradáveis e seus acentos suaves. Ele pode professar amizade e todavia revelar segredos, apunhalando a pessoa pelas costas.T2 54.1

    Resolutamente recuse-se a ouvi-lo, embora o murmurador queixe-se de estar sobrecarregado e não poder conter-se. Sobrecarregado, realmente, com uma secreta maldição que separa verdadeiros amigos! Vão, sobrecarregados, e livrem-se de suas cargas pelo modo apontado por Deus. Primeiro falem a sós com seu irmão acerca de sua falta. Se isso não der certo, levem com vocês um ou dois amigos e falem com o faltoso, na presença deles. Se esses passos falharem, digam-no à igreja. Nenhum incrédulo deve estar ciente desse assunto particular. Dizê-lo à igreja é o último passo a ser dado. Não o tornem conhecido dos inimigos de nossa fé. Eles não têm o direito de saber de certos assuntos da igreja, e muito menos devem ser-lhes expostos as fraquezas e erros dos seguidores de Cristo.T2 54.2

    Aqueles que estão se preparando para a vinda de Cristo devem ser sóbrios e vigiar em oração, “porque o diabo”, nosso “adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar; ao qual” devemos resistir “firmes na fé”. 1 Pedro 5:8, 9. “Porque quem quer amar a vida e ver os dias bons, refreie a sua língua do mal, e os seus lábios não falem engano; aparte-se do mal e faça o bem; busque a paz e siga-a. Porque os olhos do Senhor estão sobre os justos, e os Seus ouvidos, atentos às suas orações.” 1 Pedro 3:10-12.T2 54.3

    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents