Larger font
Smaller font
Copy
Print
Contents

Testemunhos para a Igreja 2

 - Contents
  • Results
  • Related
  • Featured
No results found for: "".
    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents

    Capítulo 26 — Portadores de responsabilidades na igreja

    Prezados irmão e irmã N:

    Em 12 de Junho de 1868, foram-me mostradas algumas coisas a seu respeito. Têm um trabalho a fazer, mas não conseguem divisá-lo; vocês não têm sido portadores de responsabilidades. Devem sentir maior interesse na obra e causa de Deus do que possuem. Estão tão cegados pelo amor ao mundo que não vêem quão grande é a influência que ele exerce sobre vocês. Não sentem o peso específico de responsabilidade que repousa sobre vocês, nem compreendem a importância do tempo e a obra que têm a fazer. Estão como que adormecidos. Unidade é força. Há grande fraqueza na igreja porque nela existem muitos relutantes que não assumem responsabilidades. Vocês não são obreiros com Cristo. O espírito mundano fechou-lhes o coração às impressões que a verdade deve produzir.T2 165.3

    É importante que todos agora se envolvam na obra e procedam como pessoas vivas, trabalhando pela salvação dos que perecem. Se todos na igreja viessem “em socorro do Senhor” (Juízes 5:23), veríamos tal reavivamento da Sua obra como nunca antes testemunhamos. Deus solicita isso de vocês e de cada membro da igreja. Não está a seu critério decidir se é melhor obedecer ao chamado divino. A obediência é requerida, e a menos que obedeçam, estarão em pior situação do que ficando em terreno neutro. Se não forem favorecidos pela bênção de Deus, suportarão a Sua maldição. Ele requer que estejam dispostos e sejam obedientes, e diz que vocês comerão “a fartura da terra”. Êxodo 45:18. Amarga maldição é pronunciada sobre aqueles que não vêm em socorro do Senhor: “Amaldiçoai a Meroz, diz o Anjo do Senhor; duramente amaldiçoai os seus moradores, porquanto não vieram em socorro do Senhor, em socorro do Senhor, com os valorosos.” Juízes 5:23. Satanás e seus anjos estão em campo para opor-se a cada avanço do povo de Deus, portanto, é requerida a ajuda de todos.T2 165.4

    Irmão e irmã N, a influência dos amigos descrentes os afeta mais do que imaginam. Eles não trazem nenhuma força, mas escuridão e incredulidade. Vocês têm uma obra individual a fazer na vinha do Senhor. Pensam e se preocupam muito consigo mesmos. Ponham o coração em ordem e sejam diligentes. Perguntem: “Senhor, que queres que faça?” Atos dos Apóstolos 9:6. Deus pede que Lhe estendam resolutamente a mão. Ele solicita que examinem diligentemente o coração, para descobrir tudo o que os impede de dar muito fruto, e fruto que permanecerá. A razão de não possuírem mais do Espírito de Deus é não carregarem de bom grado a cruz de Cristo. Na última visão vi que vocês estavam enganados com relação ao poder de seu amor pelo mundo. Os cuidados desta vida e o engano das riquezas sufocam a palavra e vocês se tornam infrutíferos. Deus requer de nós que produzamos muito fruto. Ele não dará ordens sem providenciar poder para cumpri-las. Ele não fará nossa parte do trabalho, nem exige que façamos a Sua. É Deus quem atua em nós, mas precisamos efetuar nossa “salvação com temor e tremor”. Filipenses 2:12. “A fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma.” Tiago 2:17. A fé deve ser confirmada pelas obras; os praticantes das obras são justificados perante Deus. Vocês desagradam a Deus ao falarem de sua pobreza, enquanto gozam abundância. Tudo o que possuem Lhe pertence, contudo, Ele achou por bem torná-los mordomos por um curto tempo. Deus os está testando e provando. Como enfrentarão o teste? O Senhor requer Sua parte com juros.T2 166.1

    Vocês fixaram os olhos sobre aquilo que têm dado aos diferentes empreendimentos, e isso lhes parece demasiado. Mas se tivessem feito muito mais, se o coração tivesse se expandido e as mãos dado para a causa de Deus e para os necessitados, nada mais teriam feito do que o dever, e se sentiriam muito mais felizes. O Senhor pede que tragam a oferenda ao altar e não apenas que a segurem próximo dele, mas que a deponham sobre ele. O altar santifica a oferta quando ela ali é posta, e não antes.T2 167.1

    Vocês não estão separados do mundo como Deus requer, e não vêem e compreendem o perigo. Desviaram-se por amor ao mundo. Ambos necessitam beber a largos goles da Fonte da verdade. A menos que mudem para uma diferente condição em que possam honrar a Deus com sua influência e recursos, Sua maldição lhes sobrevirá. Vocês poderão juntar, mas Ele espalhará. Em lugar de saúde exuberante, tornar-se-ão como um ramo seco. O Senhor convoca obreiros — homens que anseiam a salvação das pessoas, e que tudo sacrificarão para que sejam redimidas. Ninguém mais pode fazer essa obra por vocês; as ofertas de outros, mesmo que liberais, não podem substituir as suas. Precisam submeter-se a Deus e nisso ninguém pode tomar-lhes o lugar. É somente o poder do Espírito, operando através de poderosa fé, que pode capacitá-los a resistirem com sucesso às muitas armadilhas que Satanás lhes prepara para os pés. As palavras e exemplos de nosso Redentor serão a luz e a força do coração. Se vocês O seguirem e nEle confiarem, Ele não os deixará perecer. Vocês temem cair no desagrado daqueles que não amam e servem a Deus. Por que desejariam manter a amizade dos inimigos do Senhor ou ser influenciados por suas opiniões? “Não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus?” Tiago 4:4. Se o coração for reto, haverá mais decidida separação do mundo.T2 167.2

    O Senhor teria feito uma grande e boa obra nessa vizinhança, na primavera passada, houvessem todos sentido a necessidade do trabalho, e vindo “em socorro do Senhor”. Juízes 5:23. Não houve unidade de ação. Ninguém sentiu as necessidades do trabalho nem se empenhou nele de coração. Não houve entrega de tudo a Deus. Vocês me foram mostrados como estando perturbados e perplexos, com uma nuvem de escuridão sobre si. Questionavam e não estavam em posição de receber força e nem de partilhá-la com os outros. Este é um tempo solene e temível. Não é agora o tempo de acariciar ídolos, não há lugar para acordo com Belial ou amizade com o mundo. Aqueles a quem Deus aceita e santifica para Si mesmo são chamados a serem diligentes e fiéis em Seu serviço, sendo separados e consagrados a Ele. Não é uma forma de piedade ou o nome registrado nos livros da igreja que se constitui uma “pedra viva” no edifício espiritual. É o fato de ser renovado no conhecimento e na verdadeira santidade, o estar crucificado para o mundo e vivo em Cristo, que une a mente a Deus. Os seguidores de Cristo têm um objetivo principal em vista, uma grande obra, a salvação de seus semelhantes. Qualquer outro interesse deve ser inferior a esse; essa obra deve envolver o mais zeloso esforço e o mais sincero empenho.T2 168.1

    Deus requer primeiro o coração, as afeições. Ele pede que Seus seguidores O amem e sirvam “de todo o coração, ... e de toda a alma, e de todas as forças”. Marcos 12:33.T2 168.2

    Seus mandamentos e graça são adaptados às nossas necessidades, e sem eles não podemos ser salvos, não importa o que façamos. Ele requer obediência espontânea. A oferta de bens ou de qualquer serviço não será aceita sem o coração. A vontade precisa ser mantida em sujeição. O Senhor pede maior consagração a Ele e maior separação do espírito e influência do mundo.T2 169.1

    “Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes dAquele que vos chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz.” 1 Pedro 2:9. Cristo os chamou para serem Seus seguidores, imitarem Sua vida de sacrifício próprio e abnegação; para estarem interessados na grande obra de redenção da raça decaída. Vocês não têm idéia exata da obra que Cristo requer que façam. Cristo é nosso padrão. O que lhes falta é amor. Esse princípio puro e santo é o que faz distinção entre o caráter e a conduta do cristão e os dos mundanos. O amor divino tem uma influência poderosa e purificadora. É encontrado apenas em corações renovados e flui naturalmente para os semelhantes.T2 169.2

    “Que vos ameis uns aos outros”, disse nosso Salvador, “assim como Eu vos amei. Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a sua vida pelos seus amigos.” João 15:12, 13. Cristo nos deu o exemplo do puro e desinteressado amor. Vocês não têm percebido sua deficiência a esse respeito e a grande necessidade dessa celeste aquisição, sem a qual todos os bons propósitos e zelo, mesmo que sejam de natureza que possam dar seus bens “para sustento dos pobres”, e entregar o próprio “corpo para ser queimado”, nada significam. Vocês precisam do amor que “tudo sofre”, “não se irrita” facilmente, “tudo crê, tudo espera, tudo suporta”. 1 Coríntios 13:3, 5, 7. Sem o espírito de amor, ninguém pode ser semelhante a Cristo. Com esse princípio vivo na mente, ninguém pode ser como o mundo.T2 169.3

    A conduta do cristão é como a de seu Senhor. Ele ergueu o estandarte e deixou a nosso cargo dizer se desejamos ou não nos arregimentar em volta dele. Nosso Senhor e Salvador deixou de lado Seu domínio, riquezas e glória, e veio até nós para que pudesse salvar-nos da miséria, e fazer-nos semelhantes a Ele. Humilhou-Se e tomou nossa natureza para que pudéssemos ser capazes de aprender dEle e, imitando Sua vida de benevolência e abnegação, segui-Lo passo a passo ao Céu. Vocês não podem igualá-Lo, mas podem parecer-se com Ele e, de acordo com sua capacidade, agir de igual modo. “Amarás ao Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças, e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo.” Lucas 10:27. Tal amor precisa habitar-lhes no coração, para que possam estar preparados para dar os tesouros e honras deste mundo, se desse modo puderem influenciar uma pessoa a envolver-se no serviço de Cristo.T2 169.4

    Deus lhes solicita que com uma das mãos, a fé, apoderem-se de Seu forte braço, e com a outra, o amor, alcancem os que estão a perecer. Cristo é “o caminho, e a verdade, e a vida”. João 14:6. Sigam-nO. Não andem “segundo a carne, mas segundo o Espírito”. Romanos 8:1. Andem assim “como Ele andou”. 1 João 2:6. “Esta é a vontade de Deus, a vossa santificação.” 1 Tessalonicenses 4:3. A obra que têm a realizar, é fazer a vontade dAquele que lhes sustém a vida, para Sua glória. Se trabalharem para vocês mesmos, de nada lhes aproveitará. Trabalhar para o bem dos outros, ser menos cuidadosos do próprio interesse e mais zelosos em consagrar tudo a Deus, ser-Lhe-á aceitável, e será recompensado com a riqueza de Sua graça.T2 170.1

    Deus não lhes distribuiu sua porção para meramente zelarem por ela e cuidarem de si mesmos. É-lhes requerido ministrar a outros e zelar por eles, e nesse exercício serão revelados aqueles maus traços de caráter que necessitam ser corrigidos e os pontos fracos que precisam ser fortalecidos. Essa é a parte do trabalho que temos de fazer; não impaciente, desassossegada e relutantemente, mas com animação e alegria, para alcançar a perfeição cristã e remover de nós tudo o que não é aceitável nem imita a Cristo. Vocês devem ser muito zelosos da honra de Deus. Quão ponderados devem andar, justamente onde agora sua conduta não está sendo como deveria. Se pudessem ver os puros anjos com seus brilhantes e inquiridores olhos atentamente fixados sobre vocês, observando para registrar como os cristãos glorificam a seu Mestre. Ou pudessem observar o exultante e escarnecedor triunfo dos anjos maus, enquanto eles expõem cada afastamento do caminho, e então citam as Escrituras que foram violadas e comparam a vida com os textos que vocês professam seguir, mas dos quais se desviam, vocês mesmos ficariam assombrados e alarmados. Para fazer um valoroso cristão é necessário um homem em sua totalidade. Oh, que criaturas cegas e curtas de vista somos nós! Quão pouco discernimos as coisas sagradas, e quão fracamente compreendemos as riquezas de Sua graça!T2 170.2

    Uma coisa desejo imprimir-lhes na mente. Agentes satânicos especiais lhes estão intimamente ligados, e seu poder e influência têm evidente efeito sobre vocês, porque não permanecem suficientemente perto de Deus para assegurarem a ajuda especial dos anjos excelentes em poder. Sua união com os inimigos do Senhor é muito forte, e vocês não percebem que estão em perigo de naufragar na fé. Se encorajarem, num mínimo que seja, as tentações de Satanás, colocar-se-ão em seu campo de batalha, e então o conflito será longo e doloroso antes que possam obter a vitória e triunfar em nome de Jesus, Aquele que o derrotou.T2 171.1

    Satanás tem grandes vantagens. Ele possuía o admirável poder intelectual de um anjo, do qual poucos têm uma idéia exata. Satanás estava cônscio de seu poder, do contrário não se teria empenhado em um conflito com o poderoso Deus, o eterno Pai, e o Príncipe da Paz. Satanás observa atentamente os acontecimentos, e quando encontra alguém que possua um espírito especialmente forte de oposição à verdade de Deus, ele lhe revelará até acontecimentos ainda não cumpridos, a fim de poder mais firmemente assegurar um lugar em seu coração. Aquele que não hesitou em enfrentar um conflito com quem mantém em Seu poder a criação, tem malignidade para perseguir e enganar. Ele segura os mortais em suas armadilhas nos dias de hoje. Não perdeu, em sua experiência de quase seis mil anos, coisa alguma de sua habilidade e astúcia. Durante todo esse tempo, tem sido atento observador de tudo quanto diz respeito a nossa raça.T2 171.2

    Os que se têm oposto severamente à verdade de Deus, Satanás emprega como médiuns. A esses aparece ele na falsa forma e personalidade de outro, talvez um amigo do médium. Aumenta-lhes a fé empregando as palavras desse amigo, e mencionando circunstâncias prestes a ocorrer, ou que realmente já tiveram lugar, e de que o médium nada sabia. Por vezes, antes de uma morte ou de um acidente, ele dá um sonho ou, personificando outra pessoa, conversa com o médium, comunicando até mesmo conhecimento por meio de suas sugestões. É, porém, sabedoria debaixo e não de cima. A sabedoria ensinada por Satanás está em oposição à verdade; a menos que, para servir aos próprios fins, ele se revista aparentemente com a luz que envolve os anjos. Para certa classe de mentes, ele vem aprovando parte daquilo que os seguidores de Cristo crêem ser a verdade, ao passo que os adverte a rejeitarem outra parte como erro perigoso e fatal.T2 172.1

    Satanás é um mestre em seu ofício. Sua sabedoria infernal é por ele empregada com êxito. Está pronto para ensinar os que rejeitam o conselho de Deus contra o próprio entendimento, e é capaz de fazê-lo. A isca encontrada por ele será proveitosa em levar as pessoas a sua rede, e a fim de nelas firmar as garras diabólicas, ele a revestirá da maneira mais atrativa possível. Todos quantos são assim enredados, aprenderão à custa de terrível preço, a loucura que é vender o Céu e a imortalidade por um engano fatal em suas conseqüências. Nosso adversário, o diabo, não é destituído de sabedoria ou de força. Ele “anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar”. 1 Pedro 5:8. Trabalhará “com todo o poder, e sinais, e prodígios de mentira, e com todo o engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para se salvarem”. 2 Tessalonicenses 2:9, 10. Como rejeitaram a verdade, “Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira; para que sejam julgados todos os que não creram a verdade, antes tiveram prazer na iniqüidade”. 2 Tessalonicenses 2:9-12. Temos de lutar com um inimigo poderoso, enganador, e nossa única segurança está nAquele que há de vir, o qual consumirá este arquienganador com o espírito de Sua boca, e o destruirá com o resplendor de Sua vinda. 2 Tessalonicenses 2:8.T2 172.2

    Eu lhes recomendo isso no temor de Deus, e imploro que se levantem dentre os mortos, e Cristo dará vida a vocês.T2 173.1

    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents