Larger font
Smaller font
Copy
Print
Contents

Testemunhos para a Igreja 4

 - Contents
  • Results
  • Related
  • Featured
No results found for: "".
    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents

    Capítulo 62 — Simplicidade no vestuário

    No Sermão do Montanha, Cristo exorta Seus seguidores a não permitirem que sua mente se absorva com as coisas terrenas. Diz Ele claramente: “Não podeis servir a Deus e a Mamom. Por isso, vos digo: Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem, quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir: Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo mais do que a vestimenta?” “E, quanto ao vestuário, por que andais solícitos? Olhai para os lírios do campo, como eles crescem: não trabalham nem fiam; e Eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles.” Mateus 6:24, 25, 28, 29.T4 628.1

    Palavras cheias de significado são essas. Eram aplicáveis aos dias de Jesus, assim como são para os nossos dias. Jesus contrasta aqui a natural simplicidade das flores do campo com o adorno artificial do vestuário. Declara que a glória de Salomão não era para se comparar com uma flor em sua beleza natural. Aqui se encontra uma lição para todos quantos desejam conhecer e cumprir a vontade de Deus. Jesus observou o cuidado e a atenção dados às vestimentas, e advertiu, ou melhor, ordenou-nos a não lhes dar demasiada atenção. É importante que consideremos cuidadosamente Suas palavras. Salomão absorveu-se tanto com a ostentação exterior, que se esqueceu de elevar o espírito pela constante ligação com o Deus da sabedoria. A perfeição e a beleza de caráter foram passadas por alto em sua tentativa de alcançar a beleza exterior. Vendeu a honra e a integridade do caráter na busca da glorificação própria diante do mundo, e tornou-se afinal um déspota, mantendo sua extravagância por meio de opressivos impostos sobre o povo. Primeiro, corrompeu-se no coração, depois apostatou de Deus e se tornou por fim adorador de ídolos.T4 628.2

    Quando vemos nossas irmãs se desviando da simplicidade no vestuário, e cultivando o amor pelas modas do mundo, sentimo-nos perturbados. Adiantando-se passo a passo nessa direção, vão-se separando de Deus, e negligenciando o adorno interior. Elas não devem sentir-se na liberdade de gastar o tempo que lhes é dado por Deus com a desnecessária ornamentação de seu vestuário. Quão melhor seria ele empregado em examinar as Escrituras, obtendo assim um conhecimento cabal das profecias e das lições práticas de Cristo!T4 628.3

    Como cristãos, não devemos empenhar-nos em nenhum empreendimento sobre o qual não possamos pedir conscienciosamente a bênção do Senhor. Vocês sentem, minhas irmãs, a consciência limpa, no desnecessário esforço que dedicam ao vestuário? Podem, enquanto tornam perplexa a mente a respeito de franzidos, laços e fitas, estar elevando a alma a Deus em oração para que Ele lhes abençoe os esforços? O tempo gasto dessa maneira poderia ser dedicado a fazer o bem aos outros e a cultivar a própria mente.T4 629.1

    Muitas de nossas irmãs são pessoas de boa habilidade, e se seus talentos fossem usados para a glória de Deus, seriam elas bem-sucedidas na conquista de almas para Cristo. Não serão elas responsáveis pelas almas que poderiam ter salvado se a extravagância do vestuário e os cuidados deste mundo não tivessem prejudicado e reduzido as faculdades que Deus lhes deu, de modo que não sentissem responsabilidade pelo trabalho? Satanás inventou as modas a fim de manter a mente das mulheres tão obcecada com o tema do vestuário a ponto de não poderem pensar em mais nada.T4 629.2

    Os deveres que recaem sobre as mães de criarem seus filhos “na doutrina e admoestação do Senhor” (Efésios 6:4) não podem ser cumpridos enquanto elas continuarem em sua atual maneira de vestir-se. Não têm tempo de orar nem de pesquisar as Escrituras para que possam entender a verdade e ensiná-la a seus filhos. Não é apenas privilégio, mas dever de todos, crescer diariamente no conhecimento de Deus e da verdade. Todavia, o objetivo de Satanás é conseguido se ele puder inventar qualquer coisa que atraia de tal modo a mente que isso não venha a acontecer. A razão por que tantas não estão desejosas de assistir às reuniões de oração e empenhar-se em exercícios religiosos é que a sua mente está concentrada em outras coisas. Estão se conformando com o mundo na questão do vestuário; e enquanto fazem assim, almas que elas poderiam ter ajudado ao deixar sua luz brilhar por meio de boas obras, são fortalecidas em sua incredulidade pela conduta incoerente dessas professas cristãs.T4 629.3

    Deus Se agradaria de ver nossas irmãs trajadas com roupas simples e de bom gosto, e diligentemente empenhadas na obra do Senhor. Não lhes falta habilidade, e caso empregassem na devida maneira os talentos que já possuem, sua eficiência seria grandemente aumentada. Se o tempo que agora empregam em trabalho desnecessário fosse dedicado a pesquisar a Palavra de Deus e a explicá-la aos outros, sua mente seria enriquecida com as gemas da verdade, e seriam fortalecidas e enobrecidas pelo esforço feito para compreenderem as razões de nossa fé. Fossem nossas irmãs conscienciosas cristãs bíblicas, buscando aproveitar toda oportunidade para esclarecer a outros, e veríamos dezenas e dezenas de almas abraçando a verdade, unicamente mediante seus abnegados esforços. Irmãs, no dia em que forem ajustadas as contas de todos, experimentarão vocês alegria ao ser passada em revista sua vida, ou sentirão que a beleza do homem exterior é que foi buscada, enquanto a beleza interior da alma ficou quase de todo negligenciada?T4 630.1

    Não terão nossas irmãs suficiente zelo e força moral para se colocarem, sem desculpas, sobre a plataforma bíblica? O apóstolo deu orientações muito explícitas sobre esse ponto: “Quero, pois, que... as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos, mas (como convém a mulheres que fazem profissão de servir a Deus) com boas obras.” 1 Timóteo 2:8-10. Aqui o Senhor, por meio de Seu apóstolo, fala expressamente contra o uso de ouro. Que as que têm tido experiência cuidem em não fazer com que outros se desviem nesse ponto por causa de seu exemplo. Aquele anel que cerca seu dedo, talvez seja muito simples, mas é inútil, e seu uso exerce errônea influência sobre outros.T4 630.2

    Especialmente as esposas de nossos pastores devem ser cuidadosas em não se afastarem dos claros ensinos da Bíblia em questão do vestuário. Muitos consideram essas recomendações como demasiado antiquadas para merecerem atenção; Aquele, porém, que as deu a Seus discípulos, compreendia os perigos do amor ao vestuário em nossos tempos, e mandou-nos essa advertência. Dar-lhe-emos ouvidos e seremos sábios? A extravagância no vestuário está em constante progresso. Ainda não é o fim. A moda muda sempre, e nossas irmãs seguem-lhe os rastos, a despeito do tempo ou das despesas. Grande é a quantia despendida com o vestuário, quando devia voltar a Deus, o doador.T4 630.3

    O vestuário simples e de bom gosto da classe mais pobre aparece muitas vezes em marcante contraste com a vestimenta de suas irmãs mais ricas, e esta diferença produz freqüentemente certo constrangimento da parte dos pobres. Algumas procuram imitar suas irmãs mais ricas, enfeitam, franzem e adornam fazendas de qualidade inferior, de maneira que se aproximam delas o máximo possível no vestir-se. Moças pobres, que não recebem mais do que dois dólares por semana pelo seu trabalho, gastarão cada centavo para se vestirem como as outras que não são obrigadas a ganhar a própria manutenção. Essas jovens não possuem coisa alguma para colocar na tesouraria de Deus. E seu tempo é tão completamente absorvido em tornar seus vestidos tão na moda como os de suas irmãs, que elas não dispõem de nenhum tempo para o aperfeiçoamento da mente, o estudo da Palavra de Deus, a oração particular ou para a reunião de oração. A mente é inteiramente absorvida em planejar como aparecer tão bem como suas irmãs. Para alcançar este objetivo, a saúde física, mental e moral é sacrificada. A felicidade e a aprovação de Deus são colocadas sobre o altar da moda.T4 631.1

    Muitas deixarão de assistir ao culto no sábado, porque seu vestuário pareceria diferente em estilo e adorno, do de suas irmãs cristãs. Considerarão as minhas irmãs estas coisas como são, e perceberão completamente o peso de sua influência sobre os outros? Ao andarem elas próprias num caminho proibido, levam outros pelo mesmo trajeto de desobediência e apostasia. A simplicidade cristã é sacrificada pela exibição exterior. Minhas irmãs, de que maneira mudaremos tudo isso? Como nos libertaremos da cilada de Satanás e despedaçaremos as cadeias que nos têm conservado escravas da moda? Como recuperaremos nossas oportunidades perdidas? Como conservaremos nossas energias em ação sadia e vigorosa? Existe um modo apenas, este é tornar a Bíblia nossa norma de vida. Todos devem trabalhar zelosamente para fazer o bem aos outros, vigiar em oração, tomar a cruz há tanto negligenciada, e atender às advertências e ordens dAquele que disse: “Se alguém quer vir após Mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-Me.” Lucas 9:23.T4 631.2

    Minhas irmãs cristãs, defrontem o espelho, a lei de Deus, e testem a sua conduta pelos primeiros quatro mandamentos. Eles explicitamente definem o nosso dever para com Deus. Ele reivindica as afeições não divididas; e qualquer coisa que tenda a absorver a mente e desviá-la de Deus assume a forma de um ídolo. O Deus vivo e verdadeiro é eliminado dos pensamentos e corações, e o templo da alma é contaminado pela adoração de outros deuses diante do Senhor. “Não terás outros deuses diante de Mim” (Êxodo 20:3), diz o mandamento. Pesquisemos o coração, comparemos a vida e caráter com os estatutos e preceitos de Jeová, e então busquemos diligentemente corrigir os nossos erros.T4 632.1

    Os últimos seis mandamentos especificam os deveres do homem para com seus semelhantes. Aqui é trazido à tona as solenes obrigações que são espezinhadas todo dia pelos professos observadores dos mandamentos. Aqueles que têm sido iluminados pela graça de Deus, que foram adotados na família real, não deviam ser sempre crianças na obra do Senhor. Se sabiamente se apropriarem das graças dadas, sua capacidade aumentará, e seu conhecimento se tornará mais extenso, e se lhes confiará uma maior medida do poder divino. Ao empreender esforços zelosos, empenho bem direcionado para levar os seus semelhantes ao conhecimento da verdade, tornar-se-ão fortes no Senhor; e ao fazerem justiça na Terra, receberão a recompensa da vida eterna no reino do Céu. Este é o privilégio de nossas irmãs. E quando as vemos empregando tempo e o dinheiro de Deus na desnecessária exibição de vestuário, não podemos senão adverti-las de que estão transgredindo não só os primeiros quatro, mas os últimos seis mandamentos. Não tornam a Deus o supremo objeto de sua adoração, nem amam os seus semelhantes como a si mesmas.T4 632.2

    Cristo é o nosso exemplo. Devemos conservar o Modelo continuamente diante de nós, e contemplar o sacrifício infinito que foi feito para redimir-nos da servidão do pecado. Se nos acharmos condenados ao contemplarmos o espelho, não nos aventuremos mais longe na transgressão, mas demos meia-volta, e lavemos nossas vestes de caráter no sangue do Cordeiro para que possam ser sem mancha. Clamemos, como Davi: “Desvenda os meus olhos, para que veja as maravilhas da Tua lei.” Salmos 119:18. Aqueles a quem Deus confiou tempo e recursos para que pudessem ser uma bênção à humanidade, mas que desperdiçaram esses talentos desnecessariamente consigo mesmos e com seus filhos, terão terríveis contas a prestar à barra do tribunal de Deus.T4 632.3

    “Porque eis que aquele dia vem ardendo como forno; todos os soberbos e todos os que cometem impiedade serão como palha; e o dia que está para vir os abrasará, diz o Senhor dos Exércitos, de sorte que lhes não deixará nem raiz nem ramo.” Malaquias 4:1. O mundo descrente logo terá algo em que pensar além de seu vestuário e aparência; e ao ser sua mente desviada dessas coisas pela angústia e perplexidade, nada têm a que recorrer. São prisioneiros de esperança (Zacarias 9:12), e, portanto, não se volvem à Fortaleza. Seu coração lhes definhará com lamentos e temor. Não fizeram de Deus o seu refúgio e Ele não será o seu Consolador. Ele rirá de sua calamidade, e zombará quando lhes sobrevier temor.T4 633.1

    Aqueles entre os observadores do sábado que sucumbiram à influência do mundo devem ser provados. Os perigos dos últimos dias estão sobre nós. E uma prova, que muitos não anteciparam, está diante do professo povo de Deus. A genuinidade de sua fé será provada. Muitos se uniram aos mundanos em orgulho, vaidade e busca de prazer, lisonjeando-se de que podiam assim agir e ainda ser cristãos. Mas tais condescendências os separam de Deus e os tornam filhos do mundo. Cristo não nos deixou tal exemplo. Somente aqueles que negarem a si mesmos e viverem uma vida de sobriedade, humildade e santidade são verdadeiros seguidores de Jesus; e esses não podem desfrutar a companhia dos amantes do mundo.T4 633.2

    Muitos se vestem semelhante ao mundo, a fim de exercer influência sobre os descrentes; eles, porém, cometem aqui um erro lamentável. Se quiserem ter verdadeira e salvadora influência, vivam de acordo com a sua profissão de fé, mostrem sua fé pelas suas obras de justiça, e façam clara distinção entre o cristão e o mundano. As palavras, o vestuário e as ações devem testemunhar de Deus. Então uma santa influência se espalhará sobre todos os que lhes estão ao redor, e até os descrentes tomarão conhecimento de que eles têm estado com Jesus. Caso alguém deseje que sua influência fale em favor da verdade, que viva de acordo com a sua profissão de fé e dessa forma imitem o humilde Modelo.T4 633.3

    O orgulho, a ignorância e a loucura são companheiros inseparáveis. O Senhor está descontente com o orgulho manifestado entre o Seu povo professo. Ele é desonrado por sua conformidade com as modas prejudiciais, imodestas e dispendiosas dessa era degenerada.T4 634.1

    A moda governa o mundo; e ela é uma senhora tirânica, muitas vezes obrigando os seus devotos a se submeterem às maiores inconveniências e desconforto. A moda domina sem razão e exige sem misericórdia. Ela tem um poder fascinante, e está pronta a criticar e ridicularizar os pobres se não a seguirem a qualquer custo, mesmo com o sacrifício da própria vida. Satanás exulta de que seus ardis tenham tanto êxito, e a Morte ri da loucura insalubre e zelo cego dos adoradores do altar da moda.T4 634.2

    Para proteger o povo de Deus da corruptora influência do mundo, bem como para promover a saúde física e moral, foi a reforma do vestuário introduzida entre nós. Não foi ela planejada para ser um jugo de escravidão, mas uma bênção; não para aumentar o trabalho, senão para poupar trabalho; para poupar gastos, e não para acrescentar gasto com vestuário. Faria distinção entre o povo de Deus e o mundo, e dessa forma serviria de barreira contra suas modas e loucuras. Aquele que conhece o fim desde o princípio, que compreende nossa natureza e nossas necessidades — nosso compassivo Redentor — viu nossos perigos e dificuldades, e condescendeu em dar-nos oportuna advertência e instrução atinentes a nossos hábitos de vida, até mesmo na escolha apropriada da alimentação e do vestuário.T4 634.3

    Satanás está inventando constantemente novo estilo de vestuário que se provará uma maldição para a saúde física e moral; exulta quando vê professos cristãos aceitarem avidamente as modas por ele inventadas. Não se pode calcular a quantidade de sofrimento físico originado pelo vestuário anormal e prejudicial à saúde. Muitos se têm tornado eternos doentes por causa de sua condescendência com os preceitos da moda. Deslocamentos e deformidades, câncer e outras doenças terríveis estão entre os males resultantes do vestuário da moda.T4 634.4

    Muitos estilos de vestuário que são impróprios e mesmo ridículos têm sido geralmente adotados por estarem na moda. Entre essas modas perniciosas estavam as grandes saias-balão, que freqüentemente causavam indecente exposição da pessoa. Em contraste com estas foi apresentada uma vestimenta simples, modesta e decente, a qual deveria dispensar as saias-balão e os vestidos de cauda, e proveria a devida proteção aos membros. Mas a reforma do vestuário compreendia mais do que encurtar o vestido e proteger os membros. Incluía toda peça de vestuário que está sobre a pessoa. Aliviava o peso de sobre os quadris, fazendo penderem as saias dos ombros. Removia os apertados espartilhos, que comprimem os pulmões, o estômago e outros órgãos internos, e induz à curvatura da espinha e a quase uma incontável série de enfermidades. A devida reforma do vestuário provia a proteção e o desenvolvimento de cada parte do corpo.T4 635.1

    Para aqueles que coerentemente adotaram o vestido da reforma, apreciando suas vantagens, e alegremente colocando-se em oposição ao orgulho e à moda, ele se provou uma bênção. Quando apropriadamente feito, é um vestuário coerente e adequado, e recomenda-se às pessoas mentalmente sinceras, mesmo entre aqueles que não são de nossa fé.T4 635.2

    Pode ser feita a pergunta: “Por que esse vestido foi deixado de lado? E por que razão a reforma do vestuário deixou de ser defendida?” Em poucas palavras declararei a razão para essa mudança. Embora muitas de nossas irmãs aceitassem essa reforma por princípio, outras se opuseram ao estilo simples e saudável de vestuário que ela defendia. Requeria muito esforço introduzir essa reforma entre o nosso povo. Não foi suficiente apresentar perante nossas irmãs as vantagens de tal vestido, e convencê-las de que obteriam a aprovação de Deus. A moda tinha tão forte domínio sobre elas, que foram vagarosas em desligar-se de seu controle, até mesmo de obedecer aos ditames da razão e da consciência. E muitas que professavam aceitar a reforma não fizeram mudança em seus hábitos errôneos de vestuário, exceto em encurtar as saias e cobrir os membros.T4 635.3

    Isso não foi tudo. Algumas que adotaram a reforma não estavam contentes em mostrar pelo exemplo as vantagens do vestuário, dando, quando indagadas, suas razões por adotá-lo, e deixando que a questão aí parasse. Buscavam controlar a consciência de outros por sua própria. Se o adotavam, outros deveriam adotá-lo. Esqueceram-se de que ninguém era obrigado a usar o vestido da reforma.T4 636.1

    Não era meu dever impor o assunto às minhas irmãs. Após apresentá-lo a elas, como me fora mostrado, deixei-o a seu critério. O ato de reformar é sempre acompanhado de sacrifício. Requer que o amor ao conforto, o interesse egoísta e a concupiscência da ambição sejam mantidos em sujeição aos princípios do que é correto. Quem quer que tenha a coragem de reformar encontrará obstáculos. O conservadorismo daqueles cujos negócios ou prazer lhes colocam em contato com os defensores da moda e que perderão sua posição social pela mudança, opor-se-á a tal pessoa.T4 636.2

    Muito sentimento infeliz foi suscitado por aqueles que estavam constantemente impondo a reforma do vestuário sobre suas irmãs. Com os extremistas, essa reforma parecia constituir a síntese e a substância de sua religião. Era o tema de conversação e a preocupação de seu coração; e a mente deles era assim desviada de Deus e da verdade. Deixaram de abrigar o espírito de Cristo e manifestaram uma grande falta de verdadeira cortesia. Em vez de apreciar o traje por suas reais vantagens, pareciam orgulhar-se de sua singularidade. Talvez nenhuma questão tenha jamais surgido entre nós que ocasionasse tal desenvolvimento de caráter como a reforma do vestuário.T4 636.3

    Enquanto muitas das jovens adotaram esse traje, algumas se empenharam em evitar a cruz condescendendo com adornos extras, tornando-o assim uma maldição em vez de bênção. Àquelas que o adotaram relutantemente, por um senso de dever, tornou-se ele um jugo pesado. Outras ainda, que eram aparentemente as reformadoras mais zelosas, manifestaram uma triste falta de ordem e capricho em seu traje. Ele não fora feito segundo o modelo aprovado. Algumas tinham um traje variado — vestido de um tecido, casaco de outro e calças de outro ainda. Outras usavam saia longa demais, de modo que apenas uma polegada da calça podia ser vista, tornando-se assim um traje desproporcional e de mau gosto. Esses trajes grotescos e desleixados desgostaram muito as que se agradariam com a apropriada reforma do vestuário.T4 636.4

    Algumas ficaram grandemente perturbadas por eu não ter tornado o vestuário uma questão de prova, e outras ainda porque eu recomendei àquelas que tinham maridos ou filhos descrentes a não adotarem o traje da reforma, pois poderia acarretar infelicidade que neutralizaria todo o bem a ser derivado de seu uso. Por anos assumi a responsabilidade dessa obra e esforço para estabelecer a uniformidade do vestuário entre nossas irmãs.T4 637.1

    Numa visão que me foi dada em Battle Creek, em 3 de Janeiro de 1875, foi-me mostrado o estado de coisas que aqui tenho apresentado, e que a ampla diversidade em vestuário era um dano à causa da verdade. Aquilo que poderia ter-se provado uma bênção, se uniformemente adotado e apropriadamente usado, havia se tornado uma vergonha, e, em alguns casos, mesmo uma desgraça.T4 637.2

    Algumas que adotaram o traje suspiravam a respeito dele como se fosse um pesado fardo. A linguagem de seu coração era: “Qualquer coisa menos isto! Se nos sentíssemos livres para deixar de lado este estilo peculiar, nós voluntariamente adotaríamos um vestido simples, sem adornos, de comprimento comum. Os membros poderiam ser protegidos como antes, e poderíamos garantir todos os benefícios físicos com menos esforço. Requer muito trabalho preparar o traje da reforma da maneira apropriada.” Murmuração e queixas estavam rapidamente destruindo a religiosidade vital.T4 637.3

    Não tive peso de testemunho sobre o assunto do traje. Não fiz referência a ele de maneira alguma, seja para defender ou condenar. Era propósito do Senhor provar o Seu professo povo e revelar os motivos de Seu coração. Em campais raramente tive algo a dizer sobre o assunto. Evitei todas as perguntas e não respondi nenhuma carta.T4 637.4

    Um ano atrás o assunto do traje foi novamente apresentado perante mim. Vi que nossas irmãs estavam se afastando da simplicidade do evangelho. As próprias irmãs que sentiam que a reforma do vestuário requeria trabalho desnecessário, que reivindicavam que não seriam influenciadas pelo espírito do mundo, agora adotaram as modas que antes condenavam. Seus vestidos foram arranjados com todos os adornos desnecessários dos mundanos, de maneira inadequada aos cristãos, e inteiramente em contradição com nossa fé.T4 637.5

    Assim se tem desenvolvido o orgulho de coração a que se submete um povo que professa ter saído do mundo, e ser separado. A Inspiração declara que a amizade do mundo é inimizade contra Deus; contudo, o Seu professo povo gastou o seu tempo e recursos concedidos por Deus sobre o altar da moda.T4 638.1

    Nosso povo tem estado firmemente recuando na obra da reforma. Sabedoria e discernimento parecem paralisados. O egoísmo e o amor à exibição têm corrompido o coração e deteriorado o caráter. Há uma crescente disposição de sacrificar a saúde e o favor de Deus sobre o altar da moda sempre mutante e nunca satisfatória.T4 638.2

    Não há estilo de vestido mais apropriado para ser usado no hospital do que o traje da reforma. A idéia acolhida por alguns, de que ele diminuiria a dignidade ou utilidade daquela instituição, é um erro. É exatamente esse traje que se esperaria ser ali encontrado, e não devia ser descartado. Com tal traje, as auxiliares poderiam realizar o seu trabalho com muito menos esforço do que é agora requerido. Tal vestimenta pregaria o seu próprio sermão aos devotos da moda. O contraste entre suas vestes insalubres, com cauda e babados, e o vestuário da reforma, apropriadamente apresentado, sugerindo conveniência e conforto no uso dos membros, teria sido instrutivo ao máximo. Muitas das pacientes teriam obtido maior nível de recuperação se tivessem aceitado o traje da reforma.T4 638.3

    Lamentamos que qualquer influência tenha sido exercida contra esse traje modesto, saudável e de bom gosto. O coração natural está sempre pleiteando em favor de costumes mundanos, e qualquer influência fala com poder dez vezes maior quando exercido na direção errada.T4 638.4

    Embora ninguém fosse compelido a adotar o traje da reforma, nosso povo podia e devia ter apreciado suas vantagens, e tê-lo aceitado como uma bênção. Os maus resultados de uma conduta oposta podem ser agora vistos. No hospital, médicos e auxiliares se desviaram grandemente das instruções do Senhor a respeito do vestuário. A simplicidade agora é rara. Em vez de um traje de bom gosto e sem adornos, que a pena da Inspiração tem prescrito, quase todo estilo de vestimenta da moda pode ser visto. Aqui, como em outras partes, as mesmas pessoas que se queixam do trabalho requerido para preparar o traje da reforma, agora têm ido a grandes extremos em adornos desnecessários. Tudo isso envolve tanto tempo e trabalho que muitas são obrigadas a contratar os que lhes fazem o trabalho, a um custo duas vezes maior do que se as vestes tivessem sido feitas com simplicidade, como seria adequado a mulheres que professam religiosidade. A confecção desses trajes da moda freqüentemente custa mais do que o próprio traje. E o dobro do valor do tecido é muitas vezes gasto para os adornos. Aqui o orgulho e a vaidade são exibidos, e uma grande falta de verdadeiro princípio é percebida. Se estivessem contentes com o vestuário simples e sem ostentação, muitas que agora dependem de seus ganhos semanais podiam tirar o máximo do próprio trabalho de costurar. Isso, porém, é agora impossível e a conta da costureira requer de seus baixos salários uma soma considerável.T4 639.1

    Deus designou o traje da reforma como uma barreira para impedir que o coração de nossas irmãs se afastasse dEle por seguirem a moda do mundo. Aqueles que removeram essa barreira não tomaram sobre si a responsabilidade para impedir os perigos que devem seguir-se. Algumas pessoas em posições de responsabilidade têm exercido influência em favor de práticas mundanas, e estão totalmente em desacordo com o padrão bíblico. Elas tiveram parte em acarretar a presente condição de mundanismo e apostasia.T4 639.2

    Deus tem provado o Seu povo. Ele permitiu que o testemunho concernente ao vestuário fosse silenciado para que nossas irmãs pudessem seguir a própria inclinação, e assim mostrar o verdadeiro orgulho existente em seu coração. Foi para impedir o presente estado de mundanismo que o traje da reforma foi recomendado. Muitas zombaram da idéia de que esse traje fosse necessário para salvaguardá-las de seguir as modas; mas o Senhor permitiu-lhes demonstrar que o orgulho fora acariciado em seu coração e que isso era exatamente o que fariam. É agora revelado que precisavam da restrição que o traje da reforma impunha.T4 639.3

    Se todas as nossas irmãs adotassem um vestido simples e sem adornos, de comprimento modesto, a uniformidade assim estabelecida seria muito mais agradável a Deus e exerceria influência mais salutar sobre o mundo do que a diversidade apresentada quatro anos atrás. Sendo que nossas irmãs geralmente não aceitavam o traje da reforma como devia ser usado, outro estilo menos objetável é agora apresentado. Ele é desprovido de enfeites desnecessários e de sobre-saias com ilhoses, amarradas atrás. Consiste de uma túnica simples ou blusa de ajuste livre e saia, a última curta o suficiente para evitar a lama e sujeira das ruas. O tecido devia ser isento de xadrezes e estampas grandes, e de uma só cor. A mesma atenção devia ser dada à proteção dos membros como no vestido curto.T4 640.1

    Aceitarão minhas irmãs esse estilo de vestuário e recusarão imitar as modas que são planejadas por Satanás, e que mudam constantemente? Ninguém pode dizer que moda extravagante surgirá a seguir. Os mundanos cuja única preocupação é “que havemos de comer e que havemos de vestir?” não devem ser o nosso critério.T4 640.2

    Algumas têm dito: “Depois de eu usar esse vestido, farei o próximo mais simples.” Se a conformidade com as modas do mundo é correta e agradável a Deus, que necessidade há de fazer então uma mudança? Contudo, se for errada, seria melhor continuar no erro por mais tempo do que fazer a mudança positivamente necessária? Exatamente agora eu lhes lembraria do zelo, fervor, habilidade e perseverança que manifestaram em preparar seu traje segundo a moda. Não seria digno de louvor manifestar pelo menos igual zelo e fazê-lo conforme o padrão bíblico? Tempo e recursos preciosos dados por Deus foram empregados para adaptar essas vestes à moda; e agora o que se dispõem a sacrificar para corrigir o mau exemplo que vêm dando a outros?T4 640.3

    É uma vergonha para nossas irmãs, esquecerem tanto seu santo caráter e o dever que têm para com Deus, que imitem as modas do mundo. Não há desculpas para nós, senão na perversidade de nosso coração. Não ampliamos nossa influência com tal maneira de proceder. É tão incoerente com a fé que professamos, que nos torna ridículas aos olhos dos mundanos.T4 641.1

    Muitas almas convencidas da verdade têm sido levadas a decidir-se contra ela por causa do orgulho e do amor ao mundo manifestado por nossas irmãs. A doutrina pregada parecia clara e harmônica e os ouvintes sentiam deverem levantar uma pesada cruz, com a aceitação da verdade. Quando essas pessoas viram nossas irmãs fazendo tanta ostentação no vestuário, disseram: “Esse povo veste-se mesmo como nós. Não podem realmente crer o que professam; afinal, devem estar enganados. Se na verdade pensassem que Cristo havia de vir em breve, e o caso de cada alma devia ser decidido para a vida eterna ou morte eterna, não podiam dedicar tempo e dinheiro para se vestirem de acordo com as modas existentes.” Mal sabiam aquelas professas irmãs crentes o sermão que seu vestuário estava pregando!T4 641.2

    Nossas palavras, ações e vestidos são diariamente pregadores vivos, juntando com Cristo, ou espalhando. Isto não é coisa insignificante para ser passada por alto com um gracejo. A questão do vestuário exige séria reflexão e muita oração. Muitos incrédulos sentiram que não estavam procedendo bem em se permitirem ser escravos da moda; mas quando vêem alguns que fazem elevada profissão de piedade vestindo-se da mesma maneira que os mundanos, fruindo a sociedade dos frívolos, entendem que não pode haver mal em tais coisas.T4 641.3

    “Somos”, disse o inspirado apóstolo, “feitos espetáculo ao mundo, aos anjos e aos homens.” 1 Coríntios 4:9. Todo o Céu está notando a influência diária que os professos seguidores de Cristo exercem sobre o mundo. Minhas irmãs, seu vestuário está falando ou em favor de Cristo e da sagrada verdade, ou em favor do mundo. De qual deles? Lembrem-se de que havemos todos de responder a Deus pela influência que exercemos.T4 641.4

    Não quereríamos, de maneira alguma, incentivar a negligência no vestuário. Que as roupas sejam adequadas e decentes. Ainda que seja apenas um tecido de pouco preço, deve estar limpo e bem assentado. Caso não haja babados, a dona de casa não somente poderá economizar alguma coisa fazendo-o ela própria, como também economizará lavando-o e passando-o ela mesma. Famílias há que tomam sobre si pesados fardos vestindo as crianças de acordo com a moda. Que perda de tempo! As pequenas haviam de parecer muito atrativas com um vestido livre de babados e adornos, mas limpinho e bem-arranjado. É tão fácil lavar e passar um vestido assim, que esse trabalho não parecerá uma carga.T4 641.5

    Por que hão de nossas irmãs roubar a Deus do serviço que Lhe é devido, e a Seu tesouro do dinheiro que cumpria dar-Lhe à causa, para servir às modas deste século? Os primeiros e os melhores pensamentos são dados ao vestuário; desperdiça-se tempo e gasta-se dinheiro. Negligencia-se a cultura do espírito e do coração. O caráter é considerado de menos importância que o vestido. É de infinito valor o ornamento “de um espírito manso e quieto”. 1 Pedro 3:4. A pior das loucuras é gastar em frívolos empreendimentos nossas oportunidades de adquirir esse precioso ornamento da alma.T4 642.1

    Irmãs, podemos realizar uma nobre obra para Deus, se o quisermos. As mulheres não conhecem o poder que possuem. Deus não pretende que suas aptidões sejam todas absorvidas em indagar: Que comerei? que beberei? e com que me vestirei? Há para a mulher um mais elevado desígnio, mais grandioso destino. Ela deve cultivar e desenvolver as próprias faculdades, pois Deus as pode empregar na grande obra de salvar almas da ruína eterna.T4 642.2

    No domingo, as igrejas populares parecem mais um teatro do que um lugar de adoração a Deus. Todo o estilo de veste da moda é ali exibido. Os pobres não têm coragem de entrar nessas casas de culto. Os seguintes comentários chegaram aos meus ouvidos quando assistia a uma dessas igrejas da moda: “Isso me permite uma tão ótima oportunidade para estudar as modas. Posso ver o efeito de diferentes estilos de vestuário; e, sabe de uma coisa? Obtenho grande benefício em meu negócio, observando o efeito dos vários vestidos sobre diferentes formas e diferentes compleições. Notou aquela grande cauda e aquele maravilhoso chapéu? Sei exatamente como foram feitos. Tenho estado tomando lições o dia todo, que depois colocarei em prática.”T4 642.3

    Nenhuma palavra foi dita de Cristo ou do sermão pregado. Como, pensei eu, pode Jesus considerar esse grupo, com sua ostentação de ornamentos e vestuário extravagante? Que desonra é revelada à casa de Deus! Estivesse Cristo na Terra, e visitasse tais igrejas, não expulsaria os profanadores da casa de Seu Pai?T4 643.1

    Mas o mal maior é a influência que se exerce sobre as crianças e os jovens. Ao virem ao mundo, por assim dizer, já se acham sujeitos às exigências da moda. As criancinhas ouvem mais de vestuário do que da salvação. Vêem as mães mais diligentes em consultar os figurinos do que a Bíblia. Fazem-se mais visitas à loja e à modista do que à igreja. A exibição do vestuário se torna de mais importância do que o adorno do caráter. Há rigorosas repreensões por sujar os finos trajes, e o espírito se torna impertinente, irritável sob as contínuas restrições.T4 643.2

    Um caráter deformado não preocupa tanto a mãe como um vestido sujo. A criança ouve mais acerca de roupas do que da virtude, pois a mãe se acha mais familiarizada com a moda do que com seu Salvador. O exemplo dela muitas vezes circunda os jovens com uma atmosfera envenenada. O vício, disfarçado sob as roupagens da moda, introduz-se entre os filhos.T4 643.3

    O vestuário simples fará com que uma mulher sensata se apresente sob o melhor aspecto. Julgamos o caráter de uma pessoa pelo estilo do seu traje. O vestuário pomposo indica um espírito fraco e vaidoso. A mulher modesta e piedosa se trajará modestamente. Fino gosto e espírito culto se revelarão na escolha de traje simples e apropriado.T4 643.4

    Existe um ornamento imperecível, o qual promoverá a felicidade das pessoas que convivem conosco, e manterá seu brilho no futuro. É o adorno de um espírito manso e humilde. Deus nos manda usar na alma o mais precioso vestido. A cada olhar ao espelho, devem os adoradores da moda lembrar-se da negligência da alma. Toda hora desperdiçada em frente ao espelho, deve reprová-los por deixarem ao abandono o intelecto. Então poderia haver uma reforma que elevasse e enobrecesse todos os objetivos e desígnios da vida. Em lugar de buscar ornamentos de ouro para o exterior, cumpria fazer-se diligente esforço para obter aquela sabedoria que é mais valiosa que o fino ouro, sim, mais preciosa que os rubis.T4 643.5

    Os adoradores do altar da moda são dotados de pequena resistência de caráter e pouca energia física. Não vivem para qualquer objetivo elevado, e sua existência não preenche nenhuma finalidade digna. Encontramos em toda a parte mulheres cuja mente e coração se acham inteiramente absorvidos com o amor ao vestuário e à ostentação. A alma feminina torna-se atrofiada e amesquinhada, e seus pensamentos se centralizam no pobre e desprezível eu. Ao passar na rua uma jovem trajada na moda, observada por vários homens, um deles fez algumas perguntas a seu respeito. E a resposta foi: “Ela é um bonito adorno em casa de seu pai, mas não tem nenhuma utilidade.” É deplorável que pessoas que professam ser discípulas de Cristo julguem coisa desejável imitar o vestuário e as maneiras desses ornamentos inúteis.T4 644.1

    Pedro dá valiosas instruções quanto ao vestuário das mulheres cristãs: “O enfeite delas não seja o exterior, no frisado dos cabelos, no uso de jóias de ouro, na compostura de vestes; mas o homem encoberto no coração, no incorruptível trajo de um espírito manso e quieto, que é precioso diante de Deus. Porque assim se adornavam também antigamente as santas mulheres que esperavam em Deus.” 1 Pedro 3:3-5. Tudo quanto insistentemente lhes recomendamos, é o cumprimento das determinações da Palavra de Deus. Somos nós leitores da Bíblia, e seguidores de seus ensinos? Obedeceremos a Deus, ou nos conformaremos com os costumes do mundo? Serviremos a Deus ou a Mamom? Podemos nós esperar fruir paz de espírito e a aprovação de Deus, ao passo que andamos diretamente em contradição aos ensinos de Sua Palavra?T4 644.2

    O apóstolo Paulo exorta os cristãos a não se conformarem com o mundo, mas se transformarem pela renovação do entendimento “para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus”. Romanos 12:2. Alguns que professam ser filhos de Deus, no entanto, não sentem escrúpulos de se adaptarem aos costumes do mundo no uso de ouro, pérolas e vestes dispendiosas. Os que são demasiado conscienciosos e não usam essas coisas são considerados como espíritos estreitos, supersticiosos, e mesmo fanáticos. É Deus, porém, que condescende em dar-nos essas instruções; elas são declarações da infinita Sabedoria; e os que as desconsideram o fazem com perigo e perda para si mesmos. Os que se apegam aos adornos proibidos na Palavra de Deus, nutrem orgulho e vaidade no coração. Desejam atrair a atenção. Seu vestuário diz: Olhem para mim; admirem-me. Assim cresce decididamente a vaidade inerente ao coração humano, devido à condescendência. Quando a mente está firme na idéia de apenas agradar a Deus, desaparecem todos os desnecessários embelezamentos pessoais.T4 645.1

    O apóstolo coloca o adorno exterior em positivo contraste com um espírito manso e quieto, e dá então testemunho em favor do valor relativo deste — “que é precioso diante de Deus”. 1 Pedro 3:4. Há um claro contraste entre o amor aos adornos exteriores e a graça da mansidão, do espírito quieto. Unicamente quando buscamos em tudo conformar-nos à vontade de Deus, é que reinarão na alma essa paz e alegria.T4 645.2

    O amor ao vestuário põe em perigo a moral e faz com que a mulher seja o contrário do que é uma senhora cristã, que se caracteriza pela modéstia e sobriedade. O vestuário extravagante muitas vezes incute concupiscência no coração da que o usa, despertando baixas paixões no que o contempla. Deus vê que a ruína do caráter é freqüentemente precedida pela condescendência com o orgulho e a vaidade no vestir, que os caros enfeites sufocam o desejo de fazer o bem.T4 645.3

    Quanto mais as pessoas gastam em roupas, menos podem ter para alimentar os famintos e vestir os nus; e os fluxos de beneficência que deviam estar constantemente jorrando se tornam secos. Cada centavo poupado mediante o negar-se o uso inútil de ornamentos pode ser dado aos necessitados ou posto no tesouro do Senhor para sustentar o evangelho, enviar missionários aos países estrangeiros ou multiplicar publicações que levem raios de luz às almas que estão nas trevas do erro. Cada centavo usado desnecessariamente priva o seu possuidor de uma preciosa oportunidade de fazer o bem.T4 645.4

    Minha irmã, quanto tempo você tem gasto em adornos desnecessários — tempo pelo qual deve prestar contas a Deus? Quanto dinheiro gastou para agradar a sua fantasia, e obter admiração de corações tão vãos quanto o seu? Era dinheiro de Deus. Quanto maior bem poderia ter feito com ele! E que perda você sofreu nesta vida e na futura vida imortal, por não fazer isso! Toda alma será julgada de acordo com as obras feitas no corpo. Deus lê os propósitos e motivos. Todo trabalho e toda coisa secreta está aberta aos Seus olhos que tudo vêem. Nenhum pensamento, palavra ou ação escapam de Sua observação. Ele sabe se nós O amamos e O glorificamos ou agradamos e exaltamos a nós mesmos. Ele sabe se colocamos nossas afeições nas coisas de cima, onde Cristo Se assenta à direita de Deus, ou nas coisas terrenas, sensuais e diabólicas.T4 646.1

    Ao você colocar uma peça de vestuário inútil ou extravagante, está retendo o que pertence aos desnudos. Ao pôr em sua mesa uma variedade desnecessária de alimentos caros, está negligenciando alimentar os famintos. Como se acha o seu registro, professa cristã? Não gaste, peço-lhe, com condescendências tolas e prejudiciais aquilo que Deus requer em Sua tesouraria, e a parte que deve ser dada aos pobres. Que não nos vistamos com roupas dispendiosas, mas, como mulheres que professam piedade, com boas obras. Não permitamos que o clamor da viúva e do órfão cheguem até o Céu contra nós. Não permitamos que o sangue das almas seja encontrado em nossas vestes. Que o precioso tempo de graça não seja esbanjado em nutrir orgulho no coração. Não há nenhum pobre para ser visitado? Olhos cegos aos quais possa ler a Palavra de Deus? Alguma pessoa desapontada e desanimada que necessite de suas palavras de conforto e de suas orações?T4 646.2

    Na medida em que Deus a fez prosperar, a condescendência do orgulho e vaidade não têm estado continuamente crescendo? Enquanto está dedicando precioso tempo ao estudo do vestuário, o adorno interior é negligenciado; não há crescimento na graça. Em vez de tornar a mente mais voltada ao Céu, está se tornando cada vez mais voltada às coisas terrenas. A insensata e prejudicial concupiscência e os apetites vorazes anuviam sua percepção das coisas sagradas. Por que todos que professam amar a Jesus não fogem dessas condescendências destruidoras da alma? O mundo está obcecado por exibição, moda e prazer. A licenciosidade está firme e terrivelmente aumentando. Por que os cristãos não serão leais a sua elevada profissão de fé?T4 646.3

    Cristo Se envergonha de Seus professos seguidores. Em que apresentamos qualquer semelhança com Ele? Em que nossa maneira de vestir se harmoniza com as exigências bíblicas? Não quero que recaiam sobre mim os pecados do povo, e darei à trombeta um sonido certo. Tenho por anos dado um testemunho claro e decidido acerca desse assunto, seja pela imprensa, seja do púlpito. Não tenho me esquivado a declarar todo o conselho de Deus. Preciso estar limpa do sangue de todos. O mundanismo e o orgulho que dominam por toda a parte não servem de desculpa para um cristão fazer o que os outros fazem. Disse Deus: “Não seguirás a multidão para fazeres o mal.” Êxodo 23:2.T4 647.1

    Não brinquem, minhas irmãs, por mais tempo com sua própria alma e com Deus. Foi-me mostrado que a principal causa de sua apostasia é o amor que têm ao vestuário. Isto leva à negligência de sérias responsabilidades, e mal se acham possuidoras de uma centelha do amor de Deus no coração. Renunciem, sem demora, à causa de seu desvio, pois é pecado contra sua própria alma e contra Deus. Não se endureçam pelo engano do pecado. A moda está deteriorando o intelecto e carcomendo a espiritualidade de nosso povo. A obediência à moda está penetrando em nossas igrejas adventistas do sétimo dia, e fazendo mais que qualquer outro poder para separar de Deus nosso povo. Foi-me mostrado que as regras de nossa igreja são muito deficientes. Todas as manifestações de orgulho no vestuário, proibidas na Palavra de Deus, devem ser motivo suficiente para disciplina na igreja. Caso haja continuação em face de advertências, apelos e ameaças, perseverando a pessoa em seguir sua vontade perversa, isto poderá ser considerado como prova de que o coração não foi absolutamente levado à semelhança com Cristo. O eu, e unicamente o eu, é objeto de adoração, e um professo cristão assim induzirá muitos a se afastarem de Deus.T4 647.2

    Há sobre nós, como um povo, um terrível pecado — termos permitido que os membros de nossa igreja se vistam de maneira incoerente com sua fé. Precisamos erguer-nos imediatamente, e fechar a porta contra as seduções da moda. A menos que façamos isso, nossas igrejas se tornarão desmoralizadas.T4 648.1

    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents