Larger font
Smaller font
Copy
Print
Contents

Testemunhos para a Igreja 4

 - Contents
  • Results
  • Related
  • Featured
No results found for: "".
    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents

    Reavivamentos sensacionalistas

    Os interesses em _____ têm estado muito divididos. Ao surgir uma novidade, alguns exercem sua influência em sentido errôneo. Todo homem e toda mulher devem estar alertas quando se espalham enganos destinados a desviar da verdade. Há pessoas sempre prontas a ver e ouvir qualquer coisa nova e estranha; e o inimigo das almas tem nessas grandes cidades muita coisa com que inflamar a curiosidade e manter a mente distraída das grandes e santificadoras verdades para estes últimos dias.T4 73.3

    Se todo fervor religioso que paira no ar leva alguns a negligenciarem prestar inteiro apoio, seja pela sua presença, seja pela influência exercida, à minoria que crê na verdade impopular, haverá na igreja muita fraqueza, onde deve haver força. Satanás emprega vários meios para conseguir seus fins; e, se sob o disfarce de religião popular, ele puder desviar pessoas vacilantes e incautas da senda da verdade, muito haverá conseguido quanto a dividir a força do povo de Deus. Esse instável entusiasmo de reavivamento, que vem e vai como a maré, apresenta um exterior ilusório que engana muitas pessoas sinceras, levando-as a crer que seja o verdadeiro Espírito do Senhor. Isso multiplica os conversos. Os de natureza agitada, os fracos e fáceis de ser levados, ajuntam-se em torno de sua bandeira; ao retroceder a onda, no entanto, encontram-se como náufragos na praia. Não sejam eles iludidos por falsos mestres, nem levados por palavras vãs. O inimigo das almas por certo terá suficientes iguarias de fábulas aprazíveis adequadas ao paladar de todos.T4 73.4

    Sempre surgirão meteoros flamejantes; mas a esteira luminosa que deixam imediatamente se dissipa, ficando após uma escuridão que parece mais densa que a anterior. Essas manifestações religiosas sensacionais criadas pela narração de anedotas e exibições de excentricidades e singularidades são todas obras superficiais. Os de nossa fé que estão encantados e fascinados por esses lampejos nunca edificarão a causa de Deus. Estão prontos a retirar sua influência ao mais leve motivo, e a induzir outros a assistirem àquelas reuniões onde ouvem o que enfraquece a alma e traz confusão à mente. É o retirar assim o interesse da obra que faz com que a causa de Deus enfraqueça. Precisamos estar firmes na fé; ser inabaláveis. Temos diante de nós a obra que nos cabe realizar — fazer com que a luz da verdade, tal como se revela na lei de Deus, brilhe sobre outros para desviá-los das trevas. Essa obra requer decidida e perseverante energia e um firme propósito de vencer.T4 74.1

    Alguns há na igreja que precisam firmar-se às colunas de nossa fé, aprofundar-se e encontrar um fundamento sólido, em vez de vacilar na superfície da agitação, agindo por impulsos. Há na igreja dispépticos espirituais. Fazem de si mesmos inválidos; sua debilidade espiritual é resultado da própria conduta instável. São atirados daqui para lá, pelos mutáveis ventos de doutrina, ficando freqüentemente confusos e lançados na incerteza por serem inteiramente movidos pelo sentimento. São cristãos sensacionalistas, sempre sedentos de alguma coisa nova e diferente; doutrinas estranhas confundem sua fé e eles são inúteis à causa da verdade.T4 74.2

    Deus pede homens e mulheres estáveis, de propósitos firmes, nos quais se possa confiar em tempos de perigo e provação, tão firmemente arraigados e fundados na verdade como as colinas eternas, que não sejam movidos para a direita nem para a esquerda, mas que marchem sempre avante e se encontrem sempre no lado certo. Alguns há que em tempos de perigo religioso quase sempre podem ser procurados nas fileiras do inimigo; se alguma influência exercem, é do lado errado. Não se sentem sob a obrigação moral de dar toda a força à verdade que professam. Esses serão recompensados segundo suas obras.T4 75.1

    Os que pouco fazem pelo Salvador para a salvação de almas e em se manterem retos diante de Deus não adquirem muita fibra espiritual. Precisamos empregar continuamente a força que possuímos a fim de que esta se desenvolva e aumente. Como a doença é o resultado da violação das leis naturais, assim é o declínio espiritual resultante de contínua transgressão da lei de Deus. E todavia os próprios transgressores podem professar guardar todos os mandamentos divinos.T4 75.2

    Precisamos, para conservar-nos espiritualmente sãos, aproximar-nos mais de Deus, pôr-nos em mais íntima ligação com o Céu e seguir os princípios da lei nas mínimas ações de nossa vida diária. Deus deu a Seus servos aptidões, talentos a serem usados para Sua glória, e não para jazerem inativos ou serem desperdiçados. Ele lhes deu luz e conhecimento de Sua vontade para que fossem comunicados a outros; e assim fazendo, tornamo-nos vivos condutos de luz. Uma vez que não exercitemos nossa força espiritual, tornamo-nos fracos, da mesma maneira que os membros do corpo se debilitam quando o enfermo é forçado a permanecer por longo tempo inativo. É a atividade que vitaliza.T4 75.3

    Coisa alguma dará maior resistência espiritual e mais acréscimo de fervor e profundidade de sentir do que visitar e servir os doentes e desanimados, ajudando-os a verem a luz e a firmarem em Jesus a sua fé. Há deveres desagradáveis a serem cumpridos por alguém, do contrário almas serão deixadas a perecer. Os cristãos encontrarão bênçãos em cumprir esses deveres, por desagradáveis que sejam. Cristo empreendeu a penosa tarefa de vir da morada da pureza e glória para viver, como homem entre os homens, em um mundo cauterizado e enegrecido por crime, violência e iniqüidade. E fez isto para salvar almas; hão de os objetos de tão surpreendente amor e incomparável condescendência justificar sua vida de comodidade egoísta? Buscarão o próprio prazer, seguirão suas inclinações e deixarão as almas perecerem nas trevas pelo fato de terem de enfrentar decepções e contrariedades se trabalharem para salvá-las? Cristo pagou preço infinito pela redenção do homem, e há de este dizer: “Meu Senhor, não quero trabalhar em Tua vinha; ‘rogo-Te que me hajas por escusado’”? Lucas 14:18.T4 75.4

    Deus chama os que estão ociosos em Sião a que se levantem e atuem. Não darão eles ouvidos à voz do Mestre? Ele quer obreiros de oração, fiéis, que semeiem “junto a todas as águas”. Isaías 32:20. Os que assim trabalham ficarão surpresos ao verificar que as provas, suportadas resolutamente em nome e na força de Jesus, darão firmeza à fé e renovarão o ânimo. No caminho da obediência humilde, encontram-se segurança e poder, conforto e esperança; a recompensa, porém, será finalmente perdida pelos que nada fazem por Jesus. As mãos fracas serão incapazes de agarrar-se ao Poderoso, os joelhos débeis deixarão de servir de sustentáculos no dia da adversidade. Os obreiros bíblicos e obreiros cristãos receberão a gloriosa recompensa e ouvirão o: “Bem está, servo bom e fiel. ... Entra no gozo do teu Senhor.” Mateus 25:21.T4 76.1

    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents