Larger font
Smaller font
Copy
Print
Contents

Testemunhos para a Igreja 4

 - Contents
  • Results
  • Related
  • Featured
No results found for: "".
    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents

    Capítulo 8 — O processo de prova

    Prezado irmão G:

    Sinto-me bastante ansiosa de que aceite a luz e saia das trevas. Você tem sido grandemente tentado por Satanás; ele o tem utilizado como seu instrumento para atrapalhar a obra de Deus. Até aqui ele tem tido êxito com você; mas isto não significa que você deva continuar no caminho do erro. Tenho examinado o seu caso com grande temor. Sei que Deus lhe concedeu grande luz. Em sua enfermidade, no último outono, a providência de Deus estava trabalhando com você para que produzisse frutos para a Sua glória.T4 83.2

    A descrença estava se apossando de sua alma, e o Senhor o afligiu para que obtivesse a experiência que necessitava. Ele nos abençoou ao orarmos por você, e o abençoou em resposta às nossas orações. O Senhor planejou unir nossos corações em amor e confiança. O Espírito Santo deu testemunho ao seu espírito. O poder de Deus em resposta à oração lhe sobreveio; mas Satanás veio com tentações, e você não lhe fechou a porta. Ele entrou e tem-se mantido bem ocupado. É plano do maligno trabalhar primeiro sobre a mente da pessoa e então, através dela, sobre outras. Ele tem assim buscado bloquear nosso caminho e impedido nossos esforços exatamente onde exerceríamos maior influência em favor da prosperidade da causa.T4 83.3

    O Senhor o levou a ligar-se a Sua obra em _____ para um sábio propósito; Ele planejou que você descobrisse seus defeitos de caráter e os vencesse. Sabe quão rapidamente o seu espírito se agita quando as coisas não saem segundo idealizou. Gostaria que entendesse como toda essa impaciência e irritabilidade devem ser vencidas, ou sua vida se provará um completo fracasso, perderá o Céu, e seria melhor que nunca tivesse nascido.T4 84.1

    Nosso caso acha-se pendente no tribunal celeste. Aí estamos prestando nossas contas dia a dia. Cada um será recompensado segundo suas obras. As ofertas queimadas e os sacrifícios não eram aceitáveis a Deus, na antigüidade, a menos que fosse reto o espírito com que eram oferecidos. Disse Samuel: “Tem, porventura, o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios como em que se obedeça a palavra do Senhor? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar; e o atender melhor é do que a gordura de carneiros.” 1 Samuel 15:22. Todo o dinheiro da Terra não pode comprar a bênção de Deus, nem assegurar-lhe uma única vitória.T4 84.2

    Muitos fariam todo e qualquer sacrifício, menos exatamente aquele que devem fazer, que é entregarem-se, submeterem sua vontade à vontade de Deus. Disse Cristo a Seus discípulos: “Se não vos converterdes e não vos fizerdes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos Céus.” Mateus 18:3. Aí está uma lição de humildade. Devemos todos tornar-nos humildes como crianças a fim de herdar o reino.T4 84.3

    Nosso Pai celeste vê o coração dos homens, e conhece melhor seu caráter do que eles próprios. Vê que alguns possuem aptidões e faculdades que, devidamente dirigidas, poderiam ser empregadas para Sua glória, para ajudar a promover Sua obra. Ele submete à prova essas pessoas, e em Sua sábia providência as leva a posições diversas e variadas circunstâncias, provando-as de maneira a revelarem o que lhes está no coração e os pontos fracos em seu caráter, pontos até então ocultos a elas próprias. Dá-lhes oportunidade para corrigirem essas fraquezas, polirem todas as arestas de sua natureza, e habilitarem-se para Seu serviço, para que, quando as chamar à ação, estejam preparadas, e para que os anjos celestes possam unir seu esforço ao esforço humano na obra que precisa ser feita na Terra.T4 84.4

    Aos homens a quem Deus pretende que ocupem posições de responsabilidade, Ele revela, misericordiosamente, os ocultos defeitos que têm, a fim de se olharem interiormente e examinarem com olhos críticos as complicadas emoções e atitudes do próprio coração, verificando o que está errado. Poderão assim modificar sua disposição e aperfeiçoar suas maneiras. Em Sua providência o Senhor leva os homens a situações em que lhes possa provar a força moral e revelar os motivos de suas ações, de maneira que desenvolvam o que é correto em si mesmos, e afastem de si o que é errado. É vontade de Deus que Seus servos se familiarizem com o mecanismo moral do próprio coração. Para fazer isso, permite freqüentemente que o fogo da aflição os assalte, a fim de que sejam purificados. “Mas quem suportará o dia da Sua vinda? E quem subsistirá, quando Ele aparecer? Porque Ele será como o fogo do ourives e como o sabão dos lavandeiros. E assentar-Se-á, afinando e purificando a prata; e purificará os filhos de Levi e os afinará como ouro e como prata; então, ao Senhor trarão ofertas em justiça.” Malaquias 3:2, 3.T4 85.1

    A purificação do povo de Deus não pode ser efetuada sem que eles sofram. Deus permite que o fogo da aflição lhes consuma a escória, para separar o imprestável do que é valioso, a fim de que o metal puro possa brilhar. Passa-nos de uma a outra fornalha, provando nosso verdadeiro valor. Se não podemos suportar essas provas, que faremos no tempo de angústia? Se a prosperidade ou a adversidade descobre falsidade, orgulho ou egoísmo em nosso coração, que faremos nós quando Deus provar a obra de todo homem como pelo fogo e puser a descoberto os segredos de todos os corações?T4 85.2

    A graça genuína está disposta a ser provada; se relutamos em ser esquadrinhados pelo Senhor, nossa condição é realmente séria. Deus é o refinador e purificador de almas; no calor da fornalha separa-se para sempre a escória da prata e do ouro verdadeiros do caráter cristão. Jesus observa a prova. Sabe o que é preciso para purificar o precioso metal a fim de que Lhe reflita a glória do divino amor.T4 86.1

    Deus leva Seu povo para perto de Si através de dolorosas experiências, mostrando-lhes suas próprias fraquezas e incapacidade, e ensinando-lhes a confiar nEle como seu único auxílio e salvaguarda. Então se cumpre Seu desígnio. São preparados para ser usados em qualquer emergência, para ocupar importantes posições de confiança e realizar os grandes desígnios para que lhes foram dadas as suas faculdades. Deus aceita os homens depois de prová-los; prova-os à direita e à esquerda, e assim são educados, exercitados e disciplinados. Jesus, nosso Redentor, representante e cabeça do homem, suportou esse difícil processo. Sofreu mais do que podemos ser chamados a suportar. Levou sobre Si nossas enfermidades e foi em tudo tentado, como nós o somos. Não sofreu isso por Sua própria causa, mas por nossos pecados; e agora, confiantes nos méritos de nosso Vencedor, podemos tornar-nos vitoriosos em Seu nome.T4 86.2

    A divina obra de refinar e purificar precisa ir avante até que Seus servos estejam tão humilhados, tão mortos para o próprio eu que, ao serem chamados para serviço ativo, tenham em vista unicamente a glória de Deus. Então Ele lhes aceitará os esforços; eles não agirão imprudentemente, por impulso; não se precipitarão, pondo em risco a causa do Senhor, sendo escravos de tentações e paixões, seguindo a própria mente carnal incendiada por Satanás. Oh! quão terrível é ser a causa de Deus manchada pela vontade perversa do homem e seu temperamento não subjugado! Quanto sofrimento traz ele sobre si por seguir as obstinadas paixões que o dominam! Deus muitas vezes abate o homem até ao pó, aumentando a pressão até que a perfeita humildade e a transformação do caráter o ponham em harmonia com Cristo e o espírito do Céu, e tenha a vitória sobre si mesmo.T4 86.3

    Deus tem chamado homens de diferentes Estados e os tem experimentado e provado para ver que caráter desenvolveriam, se lhes poderia confiar a defesa da causa em _____, se eles poderiam ou não suprir as deficiências dos homens que ali já estavam e, vendo os erros cometidos por esses, deixariam de seguir o exemplo dos que não se acham aptos para a santíssima obra de Deus. Ele tem acompanhado os homens de _____ com advertências, reprovações e conselhos contínuos. Tem derramado grande luz sobre os que oficiam em Sua causa ali, de maneira que o caminho lhes seja claro. Caso, porém, prefiram seguir a própria sabedoria, desdenhando a luz, como fez Saul, extraviar-se-ão por certo, e envolverão a causa em perplexidade. Diante deles foram postas a luz e as trevas, mas demasiadas vezes têm preferido as trevas.T4 86.4

    A mensagem laodiceana aplica-se ao povo de Deus que professa crer na verdade presente. A maior parte deles são professos mornos, tendo nome, mas não zelo. Deus deu a conhecer que queria que os homens localizados no grande coração da obra corrigissem o estado de coisas ali existente, e se mantivessem como fiéis sentinelas em seu posto de dever. Deu-lhes luz acerca de todos os pontos, para instruir, animar e confirmar esses homens segundo o caso o exigisse. Mas, apesar de tudo isso, os que deviam ser fiéis e verdadeiros, fervorosos no zelo cristão, de temperamento benévolo, conhecendo e amando sinceramente a Jesus, encontram-se a ajudar o inimigo a enfraquecer e desanimar aqueles a quem Deus está usando para edificar a obra. Aplica-se a esta classe o termo “morno”. Professam amar a verdade, todavia são deficientes no fervor e no devotamento cristãos. Não ousam desistir inteiramente e correr o risco dos incrédulos; não se acham, no entanto, dispostos a morrer para o próprio eu e seguir exatamente os princípios de sua fé.T4 87.1

    A única esperança para os laodiceanos é uma clara visão de sua condição diante de Deus, o conhecimento da natureza de sua enfermidade. Nem são frios nem quentes; ocupam uma posição neutra e, ao mesmo tempo, lisonjeiam-se de não necessitar de coisa alguma. A Testemunha Verdadeira aborrece essa mornidão. Causa-Lhe desgosto a indiferença dessa classe de pessoas. Diz Ele: “Quem dera fosses frio ou quente!” Apocalipse 3:15. Como água morna, são nauseantes a Seu paladar. Nem são desinteressados nem egoistamente obstinados. Não se empenham inteiramente e de coração na obra de Deus, identificando-se com seus interesses; mas se mantêm afastados e estão prontos a deixar seus postos quando os mundanos interesses pessoais o exijam. Precisam da obra interior da graça no coração; acerca desses se diz: “Pois dizes: Estou rico e abastado e não preciso de coisa alguma, e nem sabes que tu és infeliz, sim, miserável, pobre, cego e nu.” Apocalipse 3:17.T4 87.2

    A fé e o amor são as verdadeiras riquezas, o ouro puro que a Testemunha Verdadeira aconselha os mornos a comprar. Por mais ricos que sejamos em tesouros terrestres, toda a nossa riqueza não nos habilitará a comprar os preciosos remédios que curam a doença da alma chamada mornidão. A inteligência e as riquezas da Terra eram impotentes para remover os defeitos da igreja de Laodicéia, ou remediar-lhes a deplorável condição. Eram cegos, não obstante achavam que estavam bem. O Espírito de Deus não lhes iluminava a mente, e não percebiam sua pecaminosidade; não sentiam, portanto, necessidade de auxílio.T4 88.1

    Estar sem as graças do Espírito de Deus é realmente triste; mais terrível condição, porém, é estar assim destituído de espiritualidade e de Cristo, e ainda buscar justificar-nos dizendo aos que se sobressaltam por nós que não necessitamos de seus temores nem piedade. Temível é o poder do engano próprio na mente humana! Que cegueira! tomar a luz por trevas e as trevas por luz! A Testemunha Verdadeira aconselha-nos a comprar dEle ouro provado no fogo, vestidos brancos e colírio.T4 88.2

    O ouro aqui recomendado como tendo sido provado no fogo é fé e amor. Ele enriquece o coração, pois foi limpo até tornar-se puro; e quanto mais é provado, mais intenso é seu brilho. A vestidura branca é a pureza de caráter, a justiça de Cristo comunicada ao pecador. Esta é, na verdade, uma vestimenta de textura celeste, que somente pode ser comprada de Cristo por uma vida de voluntária obediência. O colírio é aquela sabedoria e graça que nos habilitam a discernir entre o mal e o bem e a detectar o pecado sob qualquer disfarce. Deus deu a Sua igreja olhos aos quais requer dos crentes que unjam com sabedoria, para que vejam claramente; muitos, porém, se pudessem, tirariam os olhos da igreja; pois não quereriam que suas ações viessem à luz, para não serem reprovados. O colírio divino comunicará clareza ao entendimento. Cristo é o depositário de todas as graças. Ele diz: “Aconselho-te que de Mim compres.” Apocalipse 3:18.T4 88.3

    Talvez alguns digam que esperar favor de Deus por meio de nossas obras é exaltar os próprios méritos. Certamente não podemos comprar uma vitória sequer com nossas boas obras; todavia, nos é impossível ser vitoriosos sem elas. A compra que Cristo nos recomenda é simplesmente cumprir as condições que Ele nos propõe. A verdadeira graça, que é de inestimável valor e que resistirá à experiência da provação e da adversidade, só se obtém pela fé, e pela humilde obediência apoiada pela oração. As graças que resistem às provas da aflição e da perseguição, e demonstram sua pureza e sinceridade, são o ouro que é provado no fogo e achado genuíno. Cristo oferece vender este precioso tesouro ao homem: “Aconselho-te que de Mim compres ouro provado no fogo.” Apocalipse 3:18. O morto, frio cumprimento do dever não nos faz cristãos. Devemos sair do estado de mornidão e experimentar conversão real, ou perderemos o Céu.T4 89.1

    Minha atenção foi encaminhada para a providência de Deus entre Seu povo, e foi-me mostrado que toda prova feita pelo processo de refinamento e purificação sobre os professos cristãos demonstra que alguns são escória. Nem sempre aparece o fino ouro. Em toda crise religiosa alguns caem sob a tentação. O peneiramento de Deus lança fora multidões como folhas secas. A prosperidade multiplica a massa dos que professam. A adversidade os leva para fora da igreja. Como uma classe, não têm o espírito firme em Deus. Saem de nós, porque não são dos nossos; pois quando surge tribulação ou perseguição por causa da palavra, muitos se escandalizam.T4 89.2

    Olhem essas pessoas alguns meses atrás, quando elas consideravam o caso de outras que se achavam em condições idênticas àquela que elas hoje ocupam. Recordem cuidadosamente o que pensavam quanto aos tentados. Houvesse alguém lhes dito então que, apesar de seu zelo e trabalho para endireitar a outros, seriam afinal achados em semelhantes condições de trevas, e haveriam dito como disse Hazael ao profeta: “Pois quê? é teu servo um cão, para fazer esta tão grande coisa?” 2 Reis 8:13 (TT).T4 89.3

    Estão iludidos consigo mesmos. Na calma, que firmeza manifestam! Que corajosos navegantes são! Mas quando as furiosas tempestades da prova e tentação sobrevêm, ai! sua alma naufraga. Os homens podem ter excelentes dons, boas aptidões, qualidades esplêndidas; um defeito, porém, um pecado secreto nutrido, demonstrar-se-á para o caráter o que a prancha carcomida pelo verme é para o navio — completo desastre e ruína!T4 90.1

    Prezado irmão, Deus em Sua providência trouxe-o de sua fazenda para _____, a fim de suportar os testes e provas que não poderiam ter onde se achava. Ele lhe concedeu alguns testemunhos de reprovação, que professamente aceitou; mas o seu espírito estava continuamente agitado sob a repreensão. Você se assemelha àqueles que não mais caminharam com Jesus após Ele lhes indicar objetivamente verdades práticas. Não se firmou na fé para corrigir os defeitos assinalados em seu caráter. Não humilhou o orgulhoso espírito perante Deus. Manteve-se em guerra contra o Espírito de Deus como revelado na reprovação. Seu coração carnal e insubmisso não se sujeita a controle. Você não se disciplinou. Vez após vez o seu temperamento indomável, o seu espírito de insubordinação, tem obtido completo domínio sobre você. Como pode uma alma tão impulsiva e insubmissa viver entre anjos puros? Não pode ser admitida no Céu, como você mesmo sabe. Se assim for, nunca será cedo demais para começar a corrigir a maldade de sua natureza. Converta-se e torne-se como uma criancinha.T4 90.2

    Irmão, você tem espírito altivo, pensando e tendo elevadas idéias a seu próprio respeito. Tudo isso precisa ser deixado de lado. Os seus parentes têm aprendido a temer essas explosões de temperamento. Sua mãe, terna e temente a Deus, tem feito o seu melhor para acalmá-lo e agradá-lo, e tem tentado remover todo motivo que possa produzir essa rebeldia, essa incontrolável disposição no filho. Mas bajular, implorar e procurar apaziguá-lo tem levado você a pensar que esse temperamento impulsivo é incurável, e que é dever de seus amigos suportá-lo. Todos esses agrados e desculpas não têm remediado o mal; ao contrário, têm dado a ele liberdade.T4 90.3

    Você não tem lutado contra esse espírito iníquo e o derrotado. Quando o seu caminho é atravessado, você tem sentido a provocação em escala suficiente para esquecer-se de sua hombridade, e que foi criado à imagem de Deus, segundo a Sua semelhança. Você tem lamentavelmente deturpado e arruinado essa imagem. Não tem tido domínio próprio nem poder sobre a sua vontade. Tem sido teimoso e se submetido ao poder de Satanás. Toda vez que você se entrega à ira e ao critério próprio, e deixa seus sentimentos desviarem-se do bom senso, isso tem fortalecido essa vontade obstinada e incontrolável. O Senhor viu que você não se conhecia, e que a menos que visse a si mesmo e a pecaminosidade de sua conduta sob verdadeira luz, a menos que visse quão agravantes à vista de Deus eram essas explosões de temperamento que se fortaleciam a cada exibição, certamente você fracassaria em obter um lugar ao lado do Homem sofredor do Calvário.T4 91.1

    Deus apela a você, irmão G, a que se arrependa e se converta, e se torne como uma criancinha. A menos que a verdade tenha uma influência santificadora sobre a sua vida para moldar-lhe o caráter, você deixará de ter herança no reino de Deus. O Senhor, em Sua providência, o escolheu para estar mais diretamente ligado a Sua causa e obra. Ele o tomou como um soldado indisciplinado, novo no exército, conduziu-o sob regras, regulamentos e responsabilidades, e através do processo de treinamento. A princípio você agiu nobremente e tentou ser fiel ao seu dever. Suportou a prova melhor do que jamais o fizera na vida. Mas Satanás veio-lhe com suas ilusórias tentações, e você caiu como presa delas. O Senhor teve piedade de você e estendeu Sua mão para o salvar. Ele lhe concedeu uma rica experiência da qual você não tirou proveito, como devia. Como os filhos de Israel, você logo se esqueceu do procedimento de Deus e Suas grandes misericórdias. Irmão G, você foi levantado em resposta à oração, e Deus lhe deu um tempo adicional de vida; mas você permitiu que o ciúme e a inveja lhe penetrassem a alma, e muito O desagradou. Ele planejou levá-lo aonde poderia desenvolver o caráter, e onde veria e corrigiria os seus defeitos.T4 91.2

    Houve uma evidente falha em sua educação e disciplina durante a infância e juventude. Agora tem que aprender as grandes lições de domínio próprio que deveriam ter sido dominadas em tempos anteriores. Deus o levou aonde o seu meio ambiente seria alterado, e onde poderia ser disciplinado por Seu Espírito Santo, para que pudesse adquirir poder moral e domínio próprio a fim de fazer de você um vencedor. Será requerido o mais forte empenho, a mais perseverante e inabalável determinação e a mais vigorosa energia para controlar o eu. Seu espírito tem por muito tempo se irritado sob restrição, e quando sua vontade é contrariada, seu temperamento se desequilibra como um leão enjaulado. A disciplina que os seus pais deveriam ter-lhe ajudado a adquirir precisa agora ser obtida inteiramente por você mesmo. Quando tenro e pequeno, o ramo devia ter sido facilmente vergado; mas agora, após ter crescido torcido, torto e forte, quão difícil é a tarefa! Seus pais permitiram que você fosse assim deformado; e agora somente pela graça de Deus, unida aos próprios esforços persistentes, poderá tornar-se vencedor sobre sua vontade. Através dos méritos de Cristo, você poderá livrar-se daquilo que deixa escaras e deformações na alma, e que desenvolve um caráter deformado. Você precisa abandonar o velho homem com seus erros, e assumir o novo homem, Cristo Jesus. Adote Sua vida como seu guia, e então seus talentos e intelecto serão dedicados ao serviço de Deus.T4 92.1

    Oh, se tão-somente as mães trabalhassem com sabedoria, com calma e determinação para educar e subjugar o temperamento carnal dos filhos, que quantidade de pecado seria podada ao germinar, e que grande número de provações na igreja seria evitado! Quantas famílias que agora são infelizes seriam felizes! Muitas almas estarão eternamente perdidas devido à negligência dos pais quanto a disciplinar devidamente os filhos e lhes ensinar na juventude submissão à autoridade. Desculpar as faltas e apaziguar as explosões de ira não é pôr o machado à raiz do mal, mas confirma a ruína de milhares de almas. Oh, como responderão os pais a Deus por essa terrível negligência de seu dever!T4 92.2

    Irmão G, você está desejoso de estar à frente e dar ordens aos demais; mas não se deixará ser mandado. O seu orgulho se inflama num instante diante da tentativa. O amor-próprio e espírito altivo são elementos indomáveis em seu caráter, impedindo-lhe o progresso espiritual. Os que têm tal temperamento devem assumir o trabalho zelosamente e morrer para o eu, ou perderão o Céu. Deus não Se compromete com tal indivíduo, como o fazem pais condescendentes e enganados.T4 93.1

    Em minha última visão foi-me mostrado que se você recusar a reprovação e correção, preferir o próprio caminho e não desejar ser disciplinado, Deus não o utilizará mais em relação a Sua santa obra. Se tivesse começado a obra de pôr sua alma em harmonia com o Senhor, teria visto um trabalho tão grandioso a ser realizado por você que não teria despendido tanto tempo com os supostos erros do irmão H, demorando-se neles às escondidas. O trabalho dos últimos trinta anos deve inspirar confiança na integridade do irmão H. “A quem honra, honra.” Romanos 13:7.T4 93.2

    Os homens que ocupam posições de responsabilidade devem melhorar continuamente. Não devem se ancorar numa antiga experiência e achar que não precisam tornar-se obreiros capazes. O homem, embora a mais indefesa criatura de Deus ao vir ao mundo, e de natureza mais perversa, é não obstante capaz de constante progresso. Pode ser esclarecido pela ciência, enobrecido pela virtude e progredir em dignidade mental e moral até que chegue à perfeição da inteligência e a uma pureza de caráter apenas um pouco inferiores às dos anjos. Com a luz da verdade a brilhar na mente humana, e o amor de Deus derramado em seu coração, é inimaginável o que se podem tornar, e que grande obra podem fazer.T4 93.3

    Sei que o coração humano é cego a sua verdadeira condição; não posso deixá-lo, porém, sem fazer um esforço em seu auxílio. Nós o amamos, e queremos vê-lo apressando-se para a vitória. Jesus o ama. Morreu por você; e quer que se salve. Não temos nenhuma disposição para segurá-lo em _____; queremos, porém, que faça obra completa quanto à própria alma, que endireite ali todo erro, e faça todo esforço para dominar o próprio eu, para que não perca o Céu. Isto você não pode permitir-se. Por amor de Cristo, “resisti ao diabo, e ele fugirá de vós”. Tiago 4:7.T4 93.4

    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents