Larger font
Smaller font
Copy
Print
Contents

Testemunhos para a Igreja 4

 - Contents
  • Results
  • Related
  • Featured
No results found for: "".
    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents

    Capítulo 12 — Exaltação própria

    Prezado irmão N:

    Em minha última visão o seu caso foi apresentado perante mim. Foi-me mostrado que há defeitos em seu caráter cristão que precisam ser vencidos antes que possa aperfeiçoar santidade no temor do Senhor. Você ama a verdade, mas precisa ser santificado por ela. Você não é egoísta nem mesquinho em hospitalidade ou em sustentar a causa da verdade; mas há um tipo de egoísmo que reside em seu coração. Está apegado à própria opinião e exalta o próprio julgamento sobre o de outros. Está em perigo de exaltar-se acima de seus irmãos. Você é exigente e inclinado a levar adiante as próprias idéias, independentemente de seus irmãos, porque considera sua inteligência e experiência superiores às deles. Nisto deixa de acatar a recomendação do apóstolo: “Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo.” Filipenses 2:3. Você tem suas noções, seus propósitos e planos, e imagina que nunca podem estar incorretos.T4 125.3

    Em seu lar você tem sempre assumido exageradamente a direção das coisas. Tem se sentido aborrecido e ferido quando suas opiniões ou planos são contrariados, em vez de fazer concessões ou aceitar a posição daqueles que se lhe opõem, considerando que eles, como você mesmo, têm direito a julgamento independente. Não podia suportar que sua família questionasse seus planos, ou oferecesse sugestões que difiram de suas opiniões. Em conseqüência desse desagradável estado de coisas, sua família geralmente tem renunciado os próprios desejos em favor dos seus, e permitido que você faça as coisas a seu modo, a fim de preservar a harmonia no lar. Portanto, em sua família tem prevalecido muita tolerância e paciente condescendência para com seus caprichos. Isso lhe parece somente um adequado reconhecimento de sua legítima autoridade; você considera isso como administração correta e sensata de sua parte.T4 126.1

    Toda vez que sua determinação de exercer a todo custo o próprio julgamento tem levado seus amigos ao extremo oposto e a sentirem desprezo pelo seu espírito arbitrário, você tem sentido e sugerido que toda essa oposição foi instigada pelas tentações do inimigo. Isso o tem tornado mais persistente em pôr em prática as próprias idéias, sem levar em conta os desejos de outros.T4 126.2

    Você está em perigo de ter problemas pela sua indisposição de conceder liberdade de julgamento e opinião àqueles que estão relacionados com você. Convém que se lembre que as opiniões e métodos deles podem ser-lhes tão caros quanto lhe são os seus. Corremos o risco de perder de vista este fato quando censuramos outros por não concordarem conosco. Você controla os membros de sua família com muita rigidez. É muito meticuloso ao estabelecer-lhes “regra sobre regra” e “preceito sobre preceito”; e se alguém aventurar-se em divergir de você, isso somente o torna mais determinado a agir segundo a própria opinião, e mostrar que você é o mestre em sua própria casa, e que não devem interferir.T4 126.3

    Parece considerar ser-lhe suficiente dizer que algo deve ser feito para que isso seja executado exatamente como indicou. Desse modo arbitrário, muitas vezes você coloca sua opinião e julgamento entre a sua família e o bom senso dela sobre o que é certo e apropriado naquelas circunstâncias. Você cometeu um triste erro em suplantar a vontade e julgamento de sua esposa, e requerer dela inquestionável submissão a sua sabedoria superior ou trazer discórdia ao seu lar.T4 127.1

    Não deve procurar reger as ações de sua esposa, ou tratá-la como uma dependente servil. Nunca se eleve acima dela, desculpando-se por pensar: “Ela é inexperiente e inferior a mim.” Nunca busque sem razão dobrar a vontade dela à sua, pois ela tem uma individualidade que nunca pode ser imersa na sua. Tenho visto muitas famílias fracassarem por causa do autoritarismo do líder, quando por consulta e acordo tudo podia ter caminhado harmoniosamente e bem.T4 127.2

    Meu irmão, você é muito presunçoso. Saiu de seu próprio território para exercer autoridade. Imagina que entende a melhor forma de realizar o trabalho na cozinha. Você tem suas idéias peculiares de como tudo deve ser feito em assunto de trabalho, e espera que todos se adaptem como máquinas a suas idéias, e observem a ordem particular que lhe agrada.T4 127.3

    Esses esforços para colocar os seus amigos numa posição em que pacificamente cedam todo desejo e inclinação à sua vontade são vãos e fúteis. Nem todas as mentes são moldadas de forma semelhante — e é bom que assim seja — pois se fossem exatamente iguais, haveria menos harmonia e adaptabilidade natural de uns para com os outros do que agora. Mas todos nós somos representados como sendo membros do corpo, unidos em Cristo. Nesse corpo há vários membros, e um dos membros não pode preencher exatamente a mesma função de outro. Os olhos são feitos para ver, e em caso algum podem realizar o trabalho dos ouvidos, que o de ouvir; nem podem os ouvidos tomar o lugar da boca, nem a boca realizar a função do nariz. No entanto, todos esses órgãos são necessários ao todo perfeito, e atuam em bela harmonia mútua. As mãos têm a sua função, e os pés têm a deles. Não deve um dizer ao outro: “Você é inferior a mim”; as mãos não podem dizer aos pés: “Não precisamos de vocês”; todos são unidos ao corpo para realizarem seu trabalho específico e devem ser igualmente respeitados, pois conduzem ao conforto e utilidade do todo perfeito.T4 127.4

    Não é possível termos todos as mesmas opiniões nem podemos nutrir as mesmas idéias, mas deve uma pessoa ser um benefício e bênção a outra, de modo que o que falta a um, outro possa suprir. Você tem certas deficiências de caráter e tendências naturais que fazem com que lhe seja de proveito entrar em contato com mentes de constituição diferente, a fim de equilibrar a sua. Em vez de ficar superintendendo tão exclusivamente, você deve consultar a esposa para chegarem a decisões conjuntas. Você não estimula o esforço independente por parte de sua família; mas se não são seguidas escrupulosamente suas decisões específicas, demasiadas vezes você critica os faltosos.T4 128.1

    Fossem sua esposa e outros membros de sua família sem tato ou habilidade, você seria mais desculpável por tomar as rédeas totalmente nas próprias mãos; mas não sendo este o caso, sua conduta é inteiramente injustificável. Após você ter-lhes informado bondosamente a respeito de seus pontos de vista quanto ao cozinhar e a administração de assuntos domésticos, e exposto quais são os seus desejos a esse respeito, não prossiga, mas deixe-os empregarem suas sugestões como decidirem. Há muito mais probabilidade de serem influenciados a contentá-lo do que se você recorresse a medidas autoritárias. E mesmo que não se adaptem a suas opiniões, não persista em determinar que tudo seja feito a seu modo. Deve lembrar-se que a independência natural de outros deve ser respeitada. Se sua esposa realiza o seu trabalho do modo que lhe é conveniente, você não tem o direito de interferir nos seus assuntos, e atormentá-la e sobrecarregá-la com suas muitas sugestões e críticas quanto à administração dela.T4 128.2

    Você tem muitos traços de caráter positivos e generosos. Para com os de fora de sua própria família, em geral, você é um homem cortês e amável. Talvez isso se atribua, em alguma medida, ao fato de que não ousa revelar sua disposição natural a ninguém, exceto àqueles a quem considera grandemente seus inferiores. Se sua superioridade não for suficientemente reconhecida na sociedade, decide que o será em casa, onde julga que ninguém se atreverá a questionar suas reivindicações.T4 129.1

    Você deve empenhar-se diligentemente em efetuar uma mudança em si mesmo. Se estiver disposto a sacrificar o seu egoísmo, sua disposição autoritária, suas idéias e noções favoritas, pode ter um lar pacífico e feliz sobre o qual os anjos se deleitarão em vigiar. É mais agradável fazer prevalecer a sua vontade do que ver uma apropriada liberdade de ação e de pensamento em seu lar? A sua casa nem sempre é o que devia ser; mas você é a principal causa de discórdia ali. Se você é representante de Cristo na Terra, não represente mal, eu lhe apelo, ao seu bendito Redentor, que foi manso e bondoso, gentil e perdoador.T4 129.2

    É algo digno de sua consideração o fato de que é coisa difícil para aqueles que possuem mente e idéias saudáveis atuarem precisamente no esquema que outra pessoa lhes traçou. Portanto, você não tem direito moral de perturbar sua esposa e família com seus caprichos e noções petulantes com respeito às atividades deles. Ser-lhe-á difícil mudar de imediato o seu modo de agir; mas tome firme resolução de que não entrará em sua cozinha a menos que seja para encorajar os esforços e elogiar a administração daqueles que estão trabalhando ali. Que o elogio tome o lugar da censura.T4 129.3

    Cultive traços de caráter opostos àqueles que são aqui reprovados. Busque desenvolver bondade, paciência, amor e todas as virtudes que terão influência transformadora em seu lar e que iluminarão a vida de seus familiares e amigos. Confesse que agiu mal, e então dê meia-volta e se esforce por ser justo e correto. Não se empenhe em tornar sua esposa uma escrava de sua vontade, mas pela bondade e desejo altruísta de propiciar-lhe conforto e felicidade, atraia-a em íntima simpatia com você. Dê-lhe uma oportunidade de exercer as próprias faculdades, e não tente distorcer-lhe a mente e moldar seu discernimento até que ela perca sua identidade mental.T4 130.1

    Ela é filha de Deus e mulher de fina capacidade e bom gosto, que tem modesta opinião a seu próprio respeito. Mas você tem por tanto tempo lhe ditado o que fazer e desencorajado o seu pensamento independente que isso teve influência para fazer com que ela se fechasse em si mesma e deixasse de desenvolver a nobre feminilidade que lhe pertence por direito. Ao considerar com sua esposa questões que lhe afetam os próprios interesses, bem como os seus, você sabe que se ela expressa opinião contrária à sua, um sentimento de contrariedade é suscitado no seu coração, e o eu toma posse de você e exclui aquele sentimento de respeito que deve nutrir naturalmente em relação à companheira de sua vida.T4 130.2

    O mesmo espírito que você exerce em casa será manifesto mais ou menos em seu relacionamento na igreja. Sua vontade determinada, suas firmes opiniões serão estimuladas e transformadas em poder dominante tanto quanto possível. Isso nunca funcionará; você deve sentir a necessidade de ocasionalmente submeter seu critério ao de outros, e não persistir em sua posição num grau que freqüentemente se aproxima da obstinação. Se você deseja obter a bênção diária de Deus, deve ajustar seu temperamento dominador, e fazê-lo corresponder ao Modelo divino.T4 130.3

    Com freqüência inconscientemente indispõe sua esposa contra você mesmo porque não reveste suas palavras e atos com aquela ternura que devia. Assim diminui o amor dela por você, e promove uma frieza que está penetrando sorrateiramente em seu lar. Se pensar menos em si mesmo e mais nos tesouros de seu lar, dando a devida consideração aos membros de sua família, permitindo-lhes apropriado exercício de opinião individual, atrairá uma bênção sobre si mesmo e sobre eles, e aumentará o respeito que eles têm por você.T4 130.4

    Tem-se inclinado a considerar com certo desprezo os seus irmãos que erraram, e que, devido ao temperamento natural deles, acharam difícil vencer os males que os assediavam. Mas Jesus deles Se compadece; Ele os ama e suporta as fraquezas deles, tanto quanto as suas. Comete um erro em exaltar-se acima dos que não são tão fortes como você. Erra em encerrar-se num espírito de justiça própria, agradecendo a Deus por não ser como os demais homens, pois sua fé e zelo excedem à daqueles pobres e fracos que lutam por fazer o que é certo sob desânimo e escuridão.T4 131.1

    Anjos de um Céu puro e santo vêm a este mundo poluído para compadecer-se dos fracos, dos mais desamparados e necessitados, enquanto o próprio Cristo desceu de Seu trono para ajudar exatamente esses. Você não tem o direito de manter-se afastado desses vacilantes, nem insistir em sua marcante superioridade sobre eles. Esteja mais em harmonia com Cristo, compadecendo-se dos errantes, erguendo as mãos frouxas, fortalecendo os joelhos trementes, e animando os corações temerosos para que sejam fortes. Compadeça-se e ajude-os, tal como Cristo teve misericórdia de você.T4 131.2

    Você tem desejado trabalhar para o Mestre. Aqui há trabalho a fazer que Lhe será aceitável — trabalho que os próprios anjos estão empenhados em levar adiante. Você poderá ser um colaborador com eles. Mas nunca será chamado a pregar a palavra ao povo. Você pode, de maneira geral, ter conhecimento correto de nossa fé, mas faltam-lhe as qualificações de um professor. Não tem habilidade de adaptar-se às necessidades e forma de agir de outros. Não tem volume suficiente de voz. Mesmo em reuniões de comissão, você fala baixo demais para ser ouvido pelos que estão reunidos. Também, meu prezado irmão, freqüentemente corre o risco de ser tedioso. Mesmo em pequenas reuniões, seus comentários são por demais longos. Cada palavra do que diz pode ser verdadeira, mas a fim de encontrar acesso à alma, deve ser acompanhada de poder espiritual fervoroso. O que dizemos deve estar na medida exata e não ser tão longo que canse os ouvintes, do contrário o assunto não encontrará guarida no coração deles.T4 131.3

    Há abundância de trabalho para todos. Você, meu prezado irmão, pode com toda a segurança prestar bons serviços para o Senhor, auxiliando os que precisam de ajuda. Poderá sentir que seu trabalho nesta direção não é corretamente apreciado; mas lembre-se de que a obra de nosso Salvador foi também subestimada por aqueles a quem Ele beneficiava. Ele veio para salvar os que se haviam perdido; mas os mesmos a quem Ele buscou salvar, recusaram a Sua ajuda e finalmente O levaram à morte.T4 132.1

    Se você fracassar noventa e nove vezes em cada cem, mas for bem-sucedido em salvar da ruína uma única alma, realizou um nobre trabalho pela causa do Mestre. Mas para ser cooperador de Jesus, você necessita de toda a paciência com aqueles por quem trabalha, não desdenhando a simplicidade da obra, mas olhando aos benditos resultados. Quando aqueles em benefício de quem trabalha não correspondem exatamente a sua expectativa, você freqüentemente diz no coração: “Deixe-os ir; não são dignos da salvação.” Que seria se Cristo houvesse assim tratado os pobres desamparados? Ele morreu para salvar os miseráveis pecadores, e se você trabalha com o mesmo espírito e do mesmo modo indicado pelo exemplo dAquele a quem segue, deixando com Deus os resultados, não poderá absolutamente avaliar nesta vida a soma de benefícios que realizou.T4 132.2

    Você tem a tendência de procurar trabalho mais elevado do que os que naturalmente se lhe apresentam. Busca influenciar somente os intelectuais e ilustres entre os homens. Mas esta classe certamente desapontará as suas expectativas. Se continuarem por muito tempo em transgressão, raramente sentirão plenamente sua condição perdida e sem esperança. Você deve trabalhar, como fez Cristo, com toda a humildade, e não perderá a sua recompensa. É tão nobre trabalhar entre os pequenos e humildes, conduzindo-os ao Salvador, como entre os ricos e poderosos. Acima de tudo, não assuma responsabilidades que não é capaz de desempenhar.T4 132.3

    Deve ser feito todo o possível para tornar interessantes as reuniões de nosso povo. Você pode ser de grande auxílio nisso se seguir o roteiro apropriado. Especialmente devem nossas reuniões sociais ser apropriadamente dirigidas. Umas poucas palavras apropriadas com relação ao seu progresso na vida religiosa, ditas em voz clara, audível, de modo fervoroso, sem qualquer esforço de retórica, seriam edificantes a outros e uma bênção à própria alma.T4 133.1

    Você precisa da influência enternecedora e subjugadora do Espírito de Deus sobre seu coração. Ninguém deve acolher a idéia de que apenas o conhecimento correto da verdade preencherá os requisitos de Deus. Amor e boa vontade que existem somente quando nossos caminhos são reconhecidos como corretos por nossos amigos não têm valor real, pois isto é natural ao coração não regenerado. Aqueles que professam ser filhos de Deus e caminham na luz não devem sentir-se aborrecidos ou irados quando o seu caminho é contrariado.T4 133.2

    Você ama a verdade e está ansioso pelo seu progresso. Será colocado em várias circunstâncias a fim de que seja provado. Poderá desenvolver um verdadeiro caráter cristão se submeter-se à disciplina. Seus interesses vitais estão em jogo. O que mais precisa é de verdadeira santidade e um espírito de sacrifício próprio. Poderemos obter conhecimento da verdade e ler seus mistérios mais ocultos, e até mesmo dar nosso corpo para ser queimado por sua causa; contudo, se não tivermos amor e caridade, seremos “como o bronze que soa ou como o címbalo que retine”. 1 Coríntios 13:1.T4 133.3

    Cultive a disposição de considerar “os outros superiores a si mesmo”. Filipenses 2:3. Seja menos auto-suficiente, menos confiante; cultive a paciência, a longanimidade e o amor fraternal. Esteja pronto a ajudar os que erram e tenha piedade e terna simpatia pelos que são fracos. Não precisa deixar o seu negócio a fim de glorificar o Senhor; mas pode, dia após dia, em cada ato e palavra, enquanto seguindo suas atividades costumeiras, honrar Aquele a quem serve, desse modo influenciando para o bem todos com quem entra em contato.T4 133.4

    Seja cortês, bondoso e perdoador para com os outros. Que o eu mergulhe no amor de Jesus, para que você possa honrar o Seu Redentor e realizar a obra que Ele lhe designou. Quão pouco você sabe das aflições das pobres almas que têm estado presas nas cadeias das trevas e que têm falta de determinação e poder moral. Empenhe-se para entender a fraqueza dos outros. Ajude os necessitados, crucifique o eu e permita que Jesus tome posse de sua alma a fim de que tenha condições de pôr em prática os princípios da verdade em seu viver diário. Então você será, como nunca antes, uma bênção para a igreja e para todos aqueles com quem entra em contato.T4 133.5

    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents