Larger font
Smaller font
Copy
Print
Contents

Testemunhos para a Igreja 5

 - Contents
  • Results
  • Related
  • Featured
No results found for: "".
    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents

    Capítulo 35 — Responsabilidade dos pais

    Os pais são, em grande medida, responsáveis pela modelação do caráter dos filhos. Devem ter em mira a simetria e a proporção. Existem poucas mentes bem equilibradas porque os pais são impiamente negligentes de seu dever de estimular os traços fracos e reprimir os maus. Não se lembram de que estão sob a soleníssima obrigação de vigiar as tendências de cada um dos filhos, que é dever seu educar os filhos em hábitos corretos e corretas maneiras de pensar.T5 319.1

    Algumas vezes os pais esperam pelo Senhor para fazer a obra que Ele lhes deu. Em lugar de repreender e controlar seus filhos como deveriam, mimam-nos e condescendem com eles, atendendo a seus caprichos e desejos. Quando os filhos saem do lar, estão com seu caráter deformado pelo egoísmo, apresentam apetite sem controle, obstinação. Não manifestam cortesia ou respeito para com seus pais e não apreciam a verdade e os cultos divinos. Estão crescendo com traços de caráter que são uma maldição permanente a si mesmos e aos outros. O lar se torna tudo, menos feliz, se as ervas daninhas da dissensão, egoísmo, ciúmes, paixão e sombria obstinação são deixadas a crescer no abandonado jardim do coração.T5 319.2

    Os pais não deveriam mostrar parcialidade, mas tratar todos os filhos com ternura, lembrando-se de que eles são a aquisição do sangue de Cristo. Os filhos imitam os pais; deve-se, portanto, tomar muito cuidado para lhes dar modelos corretos. Os pais que são bondosos e delicados em casa, ao mesmo tempo que são firmes e decididos, verão os mesmos traços manifestados nos filhos. Se são corretos, honestos e honrados, é bem provável que os filhos com eles se assemelhem nesse particular. Caso reverenciem e adorem a Deus, seus filhos, educados da mesma maneira, não se esquecerão de servi-Lo também.T5 319.3

    Acontece não raro que os pais não têm cuidado de cercar seus filhos de influências benéficas. Ao escolherem o lar, pensam mais em seus interesses mundanos do que na atmosfera social e moral, e os filhos formam associações desfavoráveis ao desenvolvimento da piedade e da formação de um caráter reto. Por isso mesmo, os pais permitem que o mundo ocupe seu tempo, energias e pensamentos, e quando chega o sábado estão eles tão exaustos que nada têm para retribuir a Deus em Seu santo dia, nenhum perfumoso ato de piedade para encantar o lar e tornar o sábado deleitoso a seus filhos. Raramente são visitados por um pastor, pois colocaram a si mesmos fora do alcance dos privilégios religiosos. Uma apatia se abate sobre todos. Os filhos são afetados pelo mau relacionamento, e a ternura que uma vez sentiam se desvanece e é esquecida.T5 320.1

    Como estão agindo os pais que condenam os cananeus por oferecerem seus filhos a Moloque? Estão apresentando oferta ainda mais cara a seu deus Mamom; e quando seus filhos crescem sem amor e com um caráter não amável, quando revelam decidida impiedade e tendência para a infidelidade, os pais culpam a fé que professam como se ela fosse incapaz de salvá-los. Vocês estão colhendo o que semearam — os resultados de seu egoísta amor ao mundo e negligência dos condutos de graça. Levaram sua família para lugares de tentação; e a arca de Deus, glória e defesa de vocês, não consideraram essencial; e o Senhor não realizou um milagre para livrar seus filhos da tentação.T5 320.2

    Vocês que professam amar a Deus, tomem a Jesus consigo, aonde quer que forem; e, como os patriarcas de outrora, construam um altar ao Senhor onde quer que armem sua tenda. Necessita-se uma reforma nesse sentido — reforma que seja profunda e ampla. Os pais necessitam de reforma e os pastores também. Precisam de Deus em seu lar. Precisam edificar os lugares devastados de Sião, erguer seus portais e reforçar os muros para a defesa do povo.T5 320.3

    Há uma obra fervorosa a ser feita nestes tempos, e os pais devem educar seus filhos a nela tomar parte. As palavras de Mardoqueu a Ester podem ser aplicadas aos adultos e jovens de hoje: “Quem sabe se para tal tempo como este não chegaste a este reino?” Ester 4:14. Os jovens precisam obter solidez de caráter para que possam ser úteis. Daniel e José eram jovens de princípios firmes e a quem Deus pôde usar para cumprir Seus propósitos. Estudem a vida deles e vejam como Deus atuou através deles. José passou por experiências variadas — vivências essas que provaram sua coragem e integridade até o limite máximo. Após ter sido vendido e levado para o Egito, a princípio, aceitou grandes responsabilidades, mas, subitamente, sem qualquer culpa de sua parte, foi injustamente acusado e lançado na prisão. Não desanimou, entretanto. Ele confiava em Deus e o propósito de seu coração, a pureza de seus motivos, tornaram-se manifestos. O olhar de Deus estava sobre ele, uma divina mão o guiava. Dentro em pouco vemo-lo sair da prisão para partilhar do trono do Egito.T5 321.1

    A vida acidentada de José não foi por acaso; foi ordenada pela Providência. Como, porém, foi ele capaz de fazer de sua vida um registro de tal firmeza de caráter, retidão e sabedoria? Foi resultado da cuidadosa educação em sua infância. Consultara ele o dever, e não a inclinação; e a pureza e singela confiança do menino produziu frutos nos atos do homem. Os mais brilhantes talentos de nenhum valor são, a menos que sejam aproveitados; hábitos de diligência e firmeza de caráter devem ser obtidos pelo cultivo. Um elevado caráter moral e finas qualidades mentais não vêm por acidente. Deus concede oportunidades; o êxito depende do uso que delas se faça. As oportunidades que a Providência depara têm de ser discernidas com rapidez e aproveitadas avidamente.T5 321.2

    Jovens, se vocês quiserem ser fortes, se quiserem possuir integridade e sabedoria de José ou Daniel, estudem as Escrituras. Pais, se quiserem educar seus filhos para servir a Deus e fazer o bem no mundo façam da Bíblia o seu guia. Ela expõe os ardis de Satanás. É a grande luz da humanidade, o reprovador e corregedor dos males morais, o que nos habilita a fazer distinção entre o verdadeiro e o falso. Seja o que for que se ensine no lar ou na escola, a Bíblia deve, como grande educadora, ter o primeiro lugar. Caso lhe seja concedida essa posição, Deus será honrado e por vocês trabalhará na conversão de seus filhos. Há nesse santo Livro rica mina de verdade e beleza, e os pais terão de culpar a si mesmos se não o tornarem intensamente interessante para os filhos.T5 321.3

    Para muitos, educação é conhecimento dos livros, mas “o temor do Senhor é o princípio da sabedoria”. Provérbios 9:10. O verdadeiro objetivo da educação é restaurar a imagem de Deus no ser humano. O principal e mais precioso conhecimento é o de Cristo e os pais sábios manterão sempre esse fato presente na mente de seus filhos. Se esses fraturam um osso de seu corpo, os pais tentarão todos os meios que o amor e a sabedoria possam conceber para restaurar a saúde ao membro afetado. Isso é justo e faz parte do dever paterno, mas o Senhor exige que ainda mais tato, paciência e perseverantes esforços sejam empregados para curar as imperfeições do espírito. O pai faz-se indigno de seu título se não é para seus filhos um mestre cristão, um governante e amigo, unindo-os ao seu coração pelos fortes laços do amor santo — um amor cujo fundamento é o dever fielmente cumprido.T5 322.1

    Os pais têm uma obra vasta e de responsabilidade a fazer. Eles podem muito bem perguntar: “Quem é capaz de fazê-la?” Mas Deus prometeu dar sabedoria àqueles que a requisitarem em fé, e Ele cumprirá Sua promessa exatamente como disse. Ele Se agrada com a fé que O toma por Sua Palavra. A mãe de Agostinho orou pela conversão de seu filho. Ela não viu evidência de que o Espírito de Deus estava impressionando o coração dele, mas não desanimou. Pôs seu dedo sobre os textos e apresentou perante Deus Suas próprias palavras e suplicou como apenas uma mãe pode fazer. Sua profunda humildade, ferventes importunações e fé inamovível prevaleceram, e o Senhor atendeu ao desejo de seu coração. Exatamente hoje Ele está tão pronto a ouvir as petições de Seu povo. “Eis que a mão do Senhor não está encolhida, para que não possa salvar; nem o Seu ouvido, agravado, para não poder ouvir” (Isaías 59:1), e se os pais cristãos O buscarem fervorosamente, Ele encherá sua boca com argumentos e, por amor ao Seu nome, atuará poderosamente em favor deles para a conversão dos filhos.T5 322.2

    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents