Larger font
Smaller font
Copy
Print
Contents

Testemunhos para a Igreja 5

 - Contents
  • Results
  • Related
  • Featured
No results found for: "".
    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents

    Capítulo 47 — A obra de publicações

    Há e sempre haverá muitas perplexidades ligadas ao escritório de publicações de Battle Creek. As instituições estabelecidas são instrumentos divinos para realizar Sua obra na Terra. Por essa razão Satanás firmou posição, exercitando toda a sua engenhosidade para estorvar e impedir. Ele vem com suas tentações a homens e mulheres ligados a essas instituições, quer em posições de responsabilidade ou fazendo o serviço mais humilde, e, se possível, tenta enganá-los com seus estratagemas a fim de romperem sua ligação com Deus, tornando-se confusos em seus pensamentos e incapazes de discernir entre o certo e o errado. Ele sabe que virá certamente o tempo em que o espírito que lhes tem controlado a vida será manifesto, e está feliz de ter a existência dessas pessoas testificando contra elas, de que não são coobreiros de Cristo.T5 407.2

    Muitos que chegaram à idade e estatura adultas são deficientes nos elementos que constituem um caráter nobre e maduro. Deus não os vê como homens. Eles não são confiáveis. Alguns desses estão vinculados a nossas instituições. Têm influência, mas essa é de caráter pernicioso, pois raramente se acham ao lado do direito. Conquanto professem piedade, seu exemplo tende continuamente a animar a injustiça. O ceticismo está entretecido com seus pensamentos e manifesto em suas palavras; suas energias são usadas na perversão da integridade, da verdade e da justiça. Sua mente é controlada por Satanás e ele opera através deles para corromper e produzir confusão. Quanto mais agradáveis e atraentes suas maneiras, quanto mais dotados de esplêndidos talentos, mais efetivos agentes são nas mãos do inimigo de toda justiça, com a finalidade de desvirtuar a todos os que se acham sob sua influência. Será uma tarefa difícil e ingrata evitar que esses se tornem um poder dirigente e levem a cabo seus propósitos de instigar a desordem e princípios frouxos.T5 407.3

    A juventude exposta à sua influência nunca estará segura, a menos que aqueles que cuidam dos jovens exerçam grande vigilância e possuam princípios justos firmemente estabelecidos. É um lamentável fato que, nessa idade, muitos jovens se entregam de boa vontade à influência de Satanás, mas resistem ao Espírito de Deus. Em muitos casos, hábitos errôneos se tornaram tão solidamente estabelecidos, que os maiores esforços por parte dos líderes não conseguem moldar seu caráter no justo sentido.T5 408.1

    Aqueles que estão em posições de confiança na casa publicadora têm pesadas responsabilidades a assumir, e não estarão preparados para esses postos a menos que, dia após dia, obtenham uma segura e profunda experiência cristã. Os interesses eternos deveriam ter consideração prioritária, e bem-vinda cada influência que contribua para a vida espiritual. Homens ligados a Sua causa e sobre quem o Senhor depôs o encargo dos assuntos comerciais, deveriam ser espiritualmente vigilantes. Não deveriam negligenciar a assistência aos cultos, nem considerar ser uma sobrecarga falar constantemente uns com os outros de sua vida e experiência religiosa. Deus ouvirá seus testemunhos e eles serão registrados em Seu livro memorial. Ele favorecerá seus fiéis e os poupará assim como um homem poupa seu filho que o serve.T5 408.2

    Os que estão à testa da obra de publicações deveriam lembrar-se de que são exemplo para muitos, e que lhes importa ser fiéis na adoração pública a Deus, exatamente como gostariam que cada obreiro fosse nos departamentos do Escritório. Se forem vistos nas igrejas apenas ocasionalmente, outros se sentirão dispensados por conta de sua negligência. Esses profissionais podem, em qualquer tempo, falar fluente e sabiamente sobre negócios, mostrando que não empregam suas energias em vão nessa área. Eles têm posto tato, habilidade e conhecimento em seu trabalho, mas quão importante é que seu coração, mente e energias também sejam adestrados para o fiel serviço na causa e no culto de Deus. Que sejam capazes de chamar a atenção para o meio de salvação mediante Cristo, em linguagem eloqüente e simples. Estão sob obrigação de ser homens de fervente oração e firme confiança em Deus; homens que, como Abraão, ordenem sua casa, e manifestem especial interesse no bem-estar espiritual de todos os que estão ligados ao escritório de publicações.T5 408.3

    Aqueles que fazem de Cristo o primeiro em tudo, são confiáveis. Esses não serão auto-suficientes nem submergirão seus interesses religiosos nos negócios. Tem Deus encarregado os homens de sagradas responsabilidades? Então Ele gostaria que sentissem sua própria fraqueza e dependência dEle. Não é seguro aos homens dependerem de seu próprio entendimento; portanto, deveriam buscar diariamente forças e sabedoria do alto. Deus deveria fazer parte de todos os seus pensamentos; então todos os ardis e sutilezas da antiga serpente não poderão induzi-los à pecaminosa negligência do dever. Eles enfrentarão o adversário com a mesma simples arma que Cristo usou: “Está escrito!” ou o expulsarão com: “Para trás de Mim, Satanás.”T5 409.1

    Na advertência “vigiai e orai”, Jesus indicou o único procedimento seguro. Há necessidade de vigilância. Nosso próprio coração é enganoso; estamos rodeados das fraquezas e imperfeições da humanidade, e Satanás está atento para destruir. Podemos estar desprevenidos, mas o nosso adversário jamais estará ocioso. Conhecendo a sua incansável vigilância, “não durmamos, pois, como os demais, mas vigiemos e sejamos sóbrios”. 1 Tessalonicenses 5:6. O espírito e a influência do mundo precisam ser enfrentados, mas não devem ter permissão para apoderar-se da mente e do coração.T5 409.2

    Um ocupado homem de negócios, quando posto em contato com o mundo, terá aflições, perplexidade e ansioso cuidado. Ele descobrirá que existe a tendência de permitir que pensamentos e planos mundanos assumam a dianteira, e que exigirá esforços e disciplina de mente e alma manter um espírito de devoção. Mas a graça divina espera ser pedida, e sua grande necessidade é um poderoso argumento que prevalecerá com Deus. Para homens assim Jesus tem provisões especiais. Ele os convida: “Vinde a Mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e Eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o Meu jugo, e aprendei de Mim, que Sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para a vossa alma. Porque o Meu jugo é suave, e o Meu fardo é leve.” Mateus 11:28-30. Aqueles que mantêm companheirismo com Cristo, possuem descanso e paz constantes. Então, por que andarmos solitários, desdenhando Sua companhia? Por que não tomar conselho com Ele em tudo? Por que não irmos a Ele em todas as nossas perplexidades e provar o poder de Suas promessas?T5 409.3

    O Espírito Santo ilumina nossas trevas, supre nossa ignorância, nos assiste e ajuda em todas as nossas necessidades. A mente, porém, precisa estar sempre buscando a Deus. Se são permitidos indiferença e mundanismo, não teremos condições de orar fervorosamente, nem coragem para entrar em contato com Aquele que é a fonte de poder e sabedoria. Então, orem sempre, caros irmãos e irmãs, “levantando mãos santas, sem ira nem contenda”. 1 Timóteo 2:8. Insistam em suas petições junto ao trono da graça e contem com Deus hora a hora, momento a momento. O serviço de Cristo regulará o relacionamento com todos os seus semelhantes, e tornará sua vida rica em boas obras.T5 410.1

    Ninguém imagine que o egoísmo, a presunção e a complacência consigo mesmo são compatíveis com o Espírito de Cristo. Repousa sobre todo homem e mulher verdadeiramente convertidos uma responsabilidade que não podemos devidamente estimar. As práticas e os modos do mundo não devem ser adotados pelos filhos e filhas do celeste Rei. “Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifesto o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando Ele Se manifestar, seremos semelhantes a Ele; porque assim como é O veremos. E qualquer que nEle tem esta esperança purifica-se a si mesmo, como também Ele é puro.” 1 João 3:2, 3. O mundo, porém, não nos conhece, porque não conhece a Cristo, nosso Mestre.T5 410.2

    É necessário ter, nos escritórios da Review, administradores comerciais que representem corretamente a Jesus e o plano da salvação. Deus Se desagrada quando eles usam suas habilidades em empreendimentos mundanos ou mesmo em negócios referentes à obra de publicações, e nada fazem para o fortalecimento de Sua igreja, para a edificação de Seu reino. Trabalhar para Deus e pela salvação das pessoas é a mais alta e nobre vocação que o homem já teve ou pode ter. Lucros e perdas nesse negócio são de grande importância, pois os resultados não terminam com esta vida, mas alcançam a eternidade.T5 410.3

    Irmãos, em qualquer negócio que vocês se empenharem, em qualquer departamento da obra que lhes for atribuído, levem a religião consigo. Deus e o Céu não deveriam ser deixados de lado na vida e no trabalho. Os obreiros dessa causa deveriam guardar-se continuamente de ser homens de objetivo parcial, permitindo que apenas o elemento secular transpareça de seu caráter. Houve, no passado, certas falhas por parte de homens ligados ao escritório de publicações. Eles não eram homens espirituais e sua influência não tendeu a conduzir à Canaã celestial, mas de volta ao Egito.T5 411.1

    O irmão P foi abençoado com habilidades que, se consagradas a Deus, o habilitariam a fazer grande bem. Ele possui mente ágil. Conhece a teoria da verdade e os reclamos da lei de Deus, mas não aprendeu na escola de Cristo a mansidão e a humildade que poderiam torná-lo um homem apto a estar em um cargo de confiança. Ele foi pesado nas balanças do santuário e achado em falta. O irmão P recebeu grande luz em advertências e reprovações, mas não lhes deu ouvidos e nem mesmo viu necessidade de mudança em seu curso de ação. Seu exemplo perante os que trabalham no escritório não foi coerente com sua profissão. Ele não demonstrou firme propósito e revelou-se alguém infantil. Sua influência tem sido de molde a desviar as pessoas de Cristo e levá-las à conformidade com o mundo.T5 411.2

    A cruz de Cristo foi apresentada ao irmão P, mas ele lhe voltou as costas, pois ela envolve humilhação e opróbrio, antes que honra e louvor do mundo. Muitas vezes Jesus chamou: “Tome sua cruz e siga-Me e assim será Meu discípulo.” Marcos 8:34. Mas outras vozes chamaram na direção do orgulho mundano e da ambição, e o irmão P as ouviu porque seu apelo era mais agradável ao coração natural. Ele afastou-se de Jesus, divorciou-se de Deus e abraçou o mundo. Foi chamado para representar a Cristo e para ser uma brilhante luz no mundo, mas traiu seu sagrado legado. O mundo se interpôs entre sua alma e Jesus, e ele conseguiu uma experiência secular, quando deveria ter obtido uma de caráter inteiramente oposto. Ele tem sido decididamente mundano em seus gostos e opiniões e, conseqüentemente, tornou-se incapaz de compreender as coisas espirituais.T5 411.3

    O sucesso do irmão P no ministério e também seu cargo de confiança no escritório, dependia do caráter que possuísse. Esforços cuidadosos e diligentes foram necessários para que, em seu comportamento diante dos coobreiros, nenhum mau exemplo pudesse ser incluído. O plano que ele deveria ter adotado, o curso de ação que deveria ter seguido, estava claramente demarcado na Palavra de Deus. Houvesse dado ouvidos a essa Palavra, e luz incidiria sobre seu caminho, guiando seus inexperientes pés no caminho certo. Os testemunhos do Espírito de Deus foram-lhe enviados vez após vez, mostrando-lhe em que pontos estava divergindo da elevada rota traçada para os resgatados do Senhor, advertindo-o e rogando-lhe que mudasse sua conduta. Mas seus meandros pareciam retos aos olhos e ele seguiu a própria inclinação, não fazendo caso da luz que lhe fora dada. Ele não foi um sábio supervisor, um homem prudente no escritório, nem tampouco um pastor digno de confiança, pois desviava as ovelhas. Pronunciava excelentes sermões, mas fora do púlpito não vivia os princípios que pregava. Suas palavras eram uma ofensa a Deus.T5 412.1

    A união do irmão P com o mundo provou-se uma armadilha a si mesmo e a outros. Oh, quantos tropeços há em vidas como a sua! Dão a impressão de que quando dão os primeiros passos na conversão — arrependimento, fé e batismo — isso é tudo o que delas se requer. Mas esse é um erro fatal. A difícil luta pela conquista de si mesmo, pela santidade e o Céu, é uma guerra da vida inteira. Não há trégua nessa batalha; os esforços precisam ser contínuos e perseverantes. A integridade cristã precisa ser buscada com irresistível energia e mantida com resoluta firmeza de propósito.T5 412.2

    Uma genuína experiência religiosa se expande e se firma. Progresso contínuo, crescente conhecimento e poder na Palavra de Deus são o resultado natural do relacionamento com o Senhor. A luz do santo amor se tornará mais e mais brilhante até ser dia perfeito. Foi privilégio do irmão P ter uma experiência como essa, mas ele não possuía o óleo da graça em seu vaso e lâmpada, e sua luz se ofuscou. Se ele não fizer uma decidida mudança rapidamente, não haverá mais advertências ou súplicas que o alcancem. Sua luz se extinguirá em trevas e ele será abandonado ao desespero.T5 413.1

    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents