Larger font
Smaller font
Copy
Print
Contents

Testemunhos para a Igreja 5

 - Contents
  • Results
  • Related
  • Featured
No results found for: "".
    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents

    Capítulo 44 — O verdadeiro espírito missionário

    O verdadeiro espírito missionário é o espírito de Cristo. O Redentor do mundo foi o grande missionário modelo. Muitos de Seus seguidores têm trabalhado diligente e abnegadamente na causa da salvação humana; mas o trabalho de homem algum pode-se comparar com a abnegação, o sacrifício, a bondade de nosso Exemplo.T5 385.1

    O amor que Cristo demonstrou por nós, é sem paralelo. Quão zelosamente trabalhou Ele! Quantas vezes esteve sozinho, em fervorosa oração, nas encostas das montanhas ou no retiro do horto, derramando Suas súplicas com forte clamor e lágrimas! Com que perseverança insistia Ele em Suas petições pelos pecadores! Mesmo na cruz, esqueceu os próprios sofrimentos, em Seu grande amor por aqueles a quem viera salvar. Quão frio o nosso amor, quão débil nosso interesse, quando comparado com o amor e o interesse manifestados por nosso Salvador! Jesus Se deu a Si mesmo para redimir nossa raça; todavia quão prontos somos a nos desculpar de dar tudo quanto temos a Jesus! Nosso Salvador submeteu-Se a fatigante trabalho, à ignomínia e ao sofrimento. Foi repelido, zombado, escarnecido enquanto Se empenhava na grande obra que viera realizar na Terra.T5 385.2

    Acaso indagam, irmãos e irmãs: Que modelo imitarei eu? Não lhes indico grandes homens, homens bons, mas o Redentor do mundo. Caso queiramos ter o verdadeiro espírito missionário, precisamos imbuir-nos do amor de Jesus; precisamos olhar para o Autor e Consumador de nossa fé, estudar-Lhe o caráter, cultivar-Lhe o espírito de mansidão e humildade, e andar em Suas pegadas.T5 385.3

    Muitos pensam que o espírito missionário, a habilitação para a obra missionária, é um dom ou dotação especial concedido aos pastores e a alguns poucos membros da igreja, e que todos os outros devem ser meros espectadores. Nunca houve erro maior. Todo verdadeiro cristão possuirá espírito missionário, pois ser cristão é ser semelhante a Cristo. Ninguém vive para si mesmo, e “se alguém não tem o espírito de Cristo, esse tal não é dEle”. Romanos 8:9. Todo aquele que tem experimentado as virtudes do mundo futuro, seja ele jovem ou idoso, instruído ou iletrado, será movido pelo espírito que atuou em Cristo. O primeiro impulso do coração regenerado é levar outros também ao Salvador. Os que não possuem este desejo, dão provas de haver perdido o primeiro amor; devem examinar rigorosamente o coração à luz da Palavra de Deus, e procurar um novo batismo do Espírito de Cristo; devem orar por mais profunda compreensão daquele assombroso amor que Jesus manifestou por nós em deixar o reino da glória e vir a um mundo caído para salvar os perdidos.T5 385.4

    Há trabalho para cada um de nós na vinha do Senhor. Não devemos buscar para nós a posição que nos permita fruir o máximo, ou ter o maior ganho. A verdadeira religião é isenta de egoísmo. O espírito missionário é um espírito de sacrifício. Devemos trabalhar onde quer que seja e em toda parte, ao máximo de nossa capacidade, pela causa do Mestre.T5 386.1

    Assim que uma pessoa está realmente convertida à verdade, brota-lhe no coração um desejo ardente de ir e falar a amigos ou vizinhos acerca da preciosa luz que irradia das páginas sagradas. Em seu desinteressado trabalho para salvar a outros, é uma carta viva, conhecida e lida por todos. Sua vida mostra que ela se converteu a Cristo, e tornou-se colaboradora Sua.T5 386.2

    Como uma classe, os adventistas do sétimo dia são um povo generoso e sincero. Podemos confiar, na proclamação da verdade para este tempo, em sua pronta e forte simpatia. Quando se apresenta um objetivo justo para sua liberalidade, apelando-lhe ao discernimento e consciência, isto suscita uma resposta cordial. Suas dádivas para sustentar a causa testificam que ele crê ser esta a causa da verdade. É certo que há exceções entre nós. Nem todos quantos professam aceitar a fé são crentes sinceros e leais. Mas o mesmo acontecia nos dias de Cristo. Até entre os apóstolos, houve Judas; mas isso não prova que todos sejam do mesmo caráter. Não temos motivo de desânimo, pois sabemos que há tantos consagrados à causa da verdade, e que estão dispostos a fazer nobres sacrifícios por seu progresso. Há, porém, ainda uma grande falta, uma grande necessidade entre nós. Bem pouco existe do verdadeiro espírito missionário. Todos os obreiros missionários devem possuir pela salvação de seus semelhantes aquele profundo interesse que unirá em simpatia e no amor de Jesus, coração a coração. Devem rogar fervorosamente o auxílio divino, e trabalhar sabiamente para ganhar as pessoas para Cristo. Um esforço frio, sem vida, nada realizará. É necessário que o espírito de Cristo caia sobre os filhos dos profetas. Então, manifestarão pelas pessoas, aquele amor que vimos exemplificado na vida de Jesus.T5 386.3

    A razão de não haver mais profundo fervor religioso, nem mais ardente amor uns pelos outros na igreja, é que o espírito missionário vem-se extinguindo. Pouco se diz agora acerca da vinda de Cristo, a qual era antes o tema dos pensamentos e da conversação. Existe inexplicável relutância, crescente desprazer pela conversa religiosa; e em lugar dela, condescende-se com ociosa e frívola tagarelice, e isso mesmo por parte de professos seguidores de Cristo.T5 387.1

    Meus irmãos e minhas irmãs, querem vocês romper o encanto que os prende? Querem despertar dessa indolência que se assemelha ao torpor da morte? Vão trabalhar, quer se sintam dispostos, quer não. Empenhem-se em esforço pessoal para levar pessoas a Jesus e ao conhecimento da verdade. Em tal trabalho, encontrarão tanto um estímulo como um tônico; ele a um tempo despertará e fortalecerá. Mediante exercício, suas faculdades espirituais se tornarão mais vigorosas, de modo que poderão, com mais êxito, colaborar com sua própria salvação. O torpor da morte apoderou-se de muitos professos cristãos. Deve-se fazer todo esforço para despertá-los. Advirtam, roguem, arrazoem. Orem para que o enternecedor amor de Deus aqueça e abrande sua natureza gélida. Ainda que se recusem a ouvir, não será em vão o seu trabalho. No esforço de beneficiar a outros, você mesmo será beneficiado.T5 387.2

    Possuímos a teoria da verdade, e agora precisamos buscar mais diligentemente seu poder santificador. Não ouso ficar quieta neste tempo de perigo. É um tempo de tentação, de desânimo. Todo o mundo é assaltado pelos ardis de Satanás, e devemos avançar juntos para resistir-lhe ao poder. Devemos ser unânimes, falando uma mesma coisa, e glorificando unidos a Deus. Então poderemos com êxito ampliar nossos planos, e mediante vigilantes esforços missionários, aproveitar-nos de todo talento que possamos usar nos vários departamentos da obra.T5 388.1

    A luz da verdade derrama seus brilhantes raios no mundo, mediante o esforço missionário. A imprensa é o meio pelo qual são alcançados muitos que seria impossível atingir por meio de esforço ministerial. Pode-se fazer grande trabalho apresentando ao povo exclusivamente a Bíblia. Levem a Palavra de Deus à porta de todo homem, insistam em suas positivas declarações diante da consciência de todo homem, repitam a todos o mandamento do Salvador: “Examinai as Escrituras.” João 5:39. Admoestem-nos a tomar a Bíblia assim como é, a implorar iluminação divina, e então, ao resplandecer a luz, a aceitar destemidamente cada raio precioso, suportando de boa vontade as conseqüências.T5 388.2

    A combatida lei de Deus tem de ser exaltada diante do povo; tão logo eles se volvam sincera e reverentemente para as Santas Escrituras, a luz do Céu lhes revelará coisas extraordinárias da lei de Deus. Grandes verdades, há muito veladas pelas superstições e falsas doutrinas, irradiarão das iluminadas páginas da Palavra Sagrada. As Sagradas Escrituras derramarão seus tesouros novos e antigos, levando luz e júbilo a todos quantos os receberem. Muitos são despertados de sua sonolência. Erguem-se como da morte, e recebem a luz da vida que unicamente Cristo pode dar. Verdades que se demonstraram inexplicáveis para gigantescos intelectos, são compreendidas por criancinhas em Cristo. A essas é plenamente revelado o que tem sido tão difícil para a percepção espiritual dos mais doutos expositores da Palavra, porque, como os saduceus de outrora, eram ignorantes das Escrituras e do poder de Deus.T5 388.3

    Os que estudam a Bíblia com um sincero desejo de conhecer a Deus e fazer Sua vontade, se tornarão sábios para a salvação. A Escola Sabatina é um ramo importante da obra missionária, não somente por que dá a jovens e idosos conhecimento da Palavra de Deus, mas porque desperta neles amor por suas verdades sagradas, e um desejo de estudá-la por si mesmos; acima de tudo, ela lhes ensina a regularem a vida pelos santos ensinos que lhes ministra.T5 389.1

    Todos quantos tomam a Palavra de Deus como regra de vida, crescem no relacionamento entre si. A Bíblia é seu traço de união. Sua companhia, porém, não será buscada ou desejada pelos que não se curvam à Palavra Sagrada como o único guia infalível. Estarão em discordância, tanto na fé como na prática. Não pode haver harmonia entre eles; são irreconciliáveis. Como adventistas do sétimo dia, apelamos para trocar o costume e a tradição pelo positivo “Assim diz o Senhor”, e por essa razão não estamos, e não podemos estar em harmonia com as multidões que ensinam e seguem as doutrinas e mandamentos humanos.T5 389.2

    Todos quantos são nascidos de Deus, tornam-se coobreiros de Cristo. Esses são o sal da Terra. “E se o sal for insípido, com que se há de salgar?” Se a religião que professamos deixar de renovar-nos o coração e santificar-nos a vida, como exercerá ela poder salvador sobre os incrédulos? “Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens.” Mateus 5:13. A religião que não exerce poder regenerador sobre o mundo, é sem valor. Nela não podemos confiar para nossa salvação. Quanto mais depressa a lançarmos fora, melhor, pois é espúria e destituída de poder.T5 389.3

    Cumpre-nos servir sob a direção de nosso grande Líder, avançar contra toda influência adversa, ser coobreiros de Deus. A obra que nos é designada é semear junto a todas as águas a semente do evangelho. Nesta obra, cada um precisa desempenhar uma parte. A multiforme graça de Cristo, a nós comunicada, constitui-nos mordomos de talentos que nos cumpre aumentar entregando-os aos banqueiros, para que, quando o Mestre os pedir, possa receber o Seu com os juros.T5 389.4

    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents