Larger font
Smaller font
Copy
Print
Contents

Testemunhos para a Igreja 5

 - Contents
  • Results
  • Related
  • Featured
No results found for: "".
    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents

    Capítulo 15 — Nossas reuniões campais

    Foi-me mostrado que algumas de nossas reuniões campais estão longe de ser o que Deus deseja que sejam. O povo vem despreparado para a unção do Espírito Santo de Deus. Geralmente as irmãs devotam considerável tempo antes da ocasião no preparo de vestidos para o adorno exterior, enquanto esquecem inteiramente o adorno interior, que é de grande valor à vista de Deus. Também é gasto muito tempo em culinária desnecessária, na preparação de ricas tortas e bolos e outros artigos de alimentação que fazem positivo dano aos que deles participam. Preparassem nossas irmãs bom pão e algumas outras espécies de alimentos saudáveis, e tanto elas como sua família estariam melhor preparadas para apreciar as palavras de vida, e muito mais susceptíveis à influência do Espírito Santo.T5 162.2

    Muitas vezes é o estômago sobrecarregado com alimentos que raramente são tão saudáveis e simples como os ingeridos no lar, onde a quantidade de exercício feita é dupla ou tripla. Isso leva a mente a ficar em tal letargia que é difícil apreciar as coisas eternas; as reuniões terminam e eles ficam desapontados por não haverem desfrutado mais do Espírito de Deus.T5 163.1

    Ao se preparar para a reunião, cada indivíduo deveria examinar íntima e criticamente o próprio coração diante de Deus. Se houver sentimentos desagradáveis, discórdia, ou conflitos na família, uma das primeiras ações de preparação deveria ser confessar as faltas uns aos outros e orar uns pelos outros. Humilhar-se diante de Deus e fazer sinceros esforços para esvaziar o templo da alma de todo entulho — inveja, ciúmes, suspeitas e críticas. “Limpai as mãos, pecadores; e, vós de duplo ânimo, purificai o coração. Senti as vossas misérias, e lamentai, e chorai; converta-se o vosso riso em pranto, e o vosso gozo, em tristeza. Humilhai-vos perante o Senhor, e Ele vos exaltará.” Tiago 4:8-10.T5 163.2

    O Senhor fala. Entre em seu aposento e em silêncio comungue com o próprio coração; ouça a voz da verdade e da consciência. Nada dará mais clara visão de si mesmo do que a oração secreta. Aquele que vê em secreto e sabe todas as coisas iluminará o entendimento e responderá às suas orações. Deveres simples e evidentes, que não podem ser negligenciados, se abrirão diante de você. Faça um concerto com Deus para dedicar a si mesmo e todas as suas faculdades a Seu serviço. Não leve para a reunião campal essa tarefa. Se ela não for feita em casa, a pessoa sofrerá e outros serão grandemente prejudicados por sua frieza, desinteresse e letargia espiritual.T5 163.3

    Vi a condição do povo que professa a verdade. As palavras do profeta Ezequiel são aplicáveis a eles neste tempo: “Filho do homem, estes homens levantaram os seus ídolos no seu coração e o tropeço da sua maldade puseram diante da sua face; devo Eu de alguma maneira ser interrogado por eles? Portanto, fala com eles e dize-lhes: Assim diz o Senhor Jeová: Qualquer homem da casa de Israel que levantar os seus ídolos no seu coração, e puser o tropeço da sua maldade diante da sua face, e vier ao profeta, Eu, o Senhor, vindo ele, lhe responderei conforme a multidão dos seus ídolos.” Ezequiel 14:3, 4.T5 164.1

    Se amamos as coisas do mundo e temos prazer na injustiça, ou no companheirismo com as nocivas obras das trevas, colocamos a pedra de tropeço de nossa iniqüidade diante de nós mesmos e estabelecemos ídolos em nosso coração. A menos que mediante esforços determinados os coloquemos para fora, nunca seremos reconhecidos como filhos e filhas de Deus.T5 164.2

    Eis uma obra na qual as famílias se devem empenhar antes de ir às nossas santas convocações. Seja o preparo da comida e do vestuário questão secundária, antes comece já em casa profundo exame de coração. Orem três vezes ao dia, e, como Jacó, sejam importunos. É em casa o lugar de encontrar a Jesus; então O levem consigo à reunião, e quão preciosas serão as horas que ali passarem. Mas como poderão esperar sentir a presença de Deus, e ver a manifestação de Seu poder, quando a obra de preparo para essa ocasião é negligenciada?T5 164.3

    Por amor à sua salvação, por amor a Cristo, e por amor aos outros, trabalhem em casa. Orem como não estão acostumados a orar. Quebrante-se o coração diante de Deus. Ponham sua casa em ordem. Preparem seus filhos para essa ocasião. Ensinem a eles que não é de tanta importância que apareçam com finas vestes, como que se apresentem diante de Deus com mãos limpas e coração puro. Removam cada obstáculo que lhes esteja no caminho — todas as diferenças que possam ter existido entre eles mesmos ou entre vocês e eles. Assim fazendo, convidarão a presença de Deus em seu lar e os santos anjos os acompanharão ao irem à reunião e a luz e a presença deles afugentarão as trevas dos anjos maus. Mesmo os descrentes sentirão a santa atmosfera quando entrarem no acampamento. Oh, quanto se perde pela negligência dessa importante obra! Vocês poderão apreciar a pregação e ficar animados e reavivados, mas o poder convertedor e reformador de Deus não será sentido no coração, e a obra não será tão profunda, completa e duradoura como deveria. Que o orgulho seja crucificado e a pessoa vestida com o precioso manto da justiça de Cristo, e que a reunião lhe proporcione alegria. Ela será para o seu espírito como que a porta do Céu.T5 164.4

    A mesma obra de humilhação e exame de coração deveria ser feita também na igreja, para que todas as diferenças e malquerenças entre os irmãos possam ser postas de lado, antes de comparecerem diante do Senhor nos encontros anuais. Comecem essa obra com determinação e não descansem até que ela se complete, pois se vocês vieram às reuniões com dúvidas, murmurações e disputas, atrairão os anjos maus para o acampamento e trarão trevas aonde quer que forem.T5 165.1

    Foi-me mostrado que por falta dessa preparação as reuniões têm realizado tão pouco. Os pastores raramente estão preparados para trabalhar pelo Senhor. Há muitos oradores — aqueles que em geral dizem coisas extravagantes e perspicazes, saindo de seu caminho para atacar outras igrejas e ridicularizar sua fé — mas poucos sinceros obreiros de Deus. Esses astutos e presunçosos oradores professam ter a verdade mais do que qualquer outro povo, mas a maneira de trabalhar e o zelo religioso de modo nenhum correspondem à sua profissão de fé.T5 165.2

    Olhei para ver a humildade de espírito que sempre deveria ajustar-se como uma veste apropriada sobre nossos pastores, mas ela não existia neles. Olhei para o profundo amor pela salvação das pessoas, o que o Mestre disse que deveriam eles possuir, mas não o encontrei. Procurei ouvir as ferventes orações apresentadas com lágrimas e angústia de espírito, em favor dos descrentes e impenitentes havidos em seus próprios lares e na igreja, porém nada ouvi. Atentei para os apelos feitos no Espírito, mas não os havia. Procurei pelos portadores de cargas, que em tal tempo deveriam estar chorando entre o alpendre e o altar, clamando “poupa o Teu povo, ó Senhor, e não entregues a Tua herança ao opróbrio...” (Joel 2:17), mas não ouvi tais súplicas. Uns poucos fervorosos e humildes estavam buscando ao Senhor. Em algumas dessas reuniões um ou dois pastores sentiam a carga e arqueavam como uma carroça debaixo dos molhos. A grande maioria dos pastores, porém, não possuía mais senso da santidade de sua obra do que as crianças.T5 165.3

    Vi o que esses encontros anuais podiam ser e o que eles deveriam ser — reuniões de fervoroso trabalho. Os pastores deveriam procurar obter preparo de coração antes de assumir a obra de ajudar os outros, pois o povo está muito mais adiantado do que muitos dos pastores. Deveriam eles incansavelmente lutar em oração até que o Senhor os abençoasse. Quando o amor de Deus estiver queimando no altar do coração, eles não pregarão para exibir sua inteligência, mas apresentarão a Cristo que tira os pecados do mundo.T5 166.1

    Na igreja primitiva o cristianismo era ensinado em sua pureza; seus preceitos eram transmitidos mediante inspiração; suas ordenanças não eram corrompidas pelos artifícios humanos. Ela revelava o espírito de Cristo e se mostrava bela em sua simplicidade. Seus adornos eram os santos princípios e vidas exemplares dos membros. Multidões eram ganhas para Cristo, não através de ostentação ou cultura, mas pelo poder de Deus que assistia à correta pregação da Palavra. Mas, a igreja se corrompeu e agora há mais necessidade do que nunca de que os pastores sejam condutos de luz.T5 166.2

    Há muitos faladores loquazes da verdade bíblica, cujo coração está destituído do Espírito de Deus assim como os montes de Gilboa o estão de orvalho e chuva. O que necessitamos são homens que sejam completamente convertidos e que possam ensinar outros a como entregar seu coração a Deus. O poder da piedade quase que cessou em nossas igrejas. E por que isso? O Senhor ainda aguarda para ser gracioso; Ele não fechou as janelas do Céu. Nós é que nos separamos dEle. Precisamos fixar nossa visão sobre a cruz e crer que Jesus é nossa força e salvação.T5 166.3

    Enquanto vemos tão pouca responsabilidade pelo trabalho por parte de pastores e povo, perguntamos: “Quando, porém, vier o Filho do homem, porventura, achará fé na Terra?” Lucas 18:8. Está faltando fé. Deus tem abundância de graça e poder aguardando nossa demanda. Mas a razão por que não sentimos nossa grande necessidade é que olhamos para nós mesmos, e não para Jesus. Não exaltamos a Jesus nem descansamos inteiramente em Seus méritos.T5 167.1

    Como eu gostaria de poder impressionar pastores e povo com a necessidade de uma profunda obra de graça no coração, e mais integral preparo para participar das reuniões campais, a fim de que possam receber o maior benefício possível desses encontros. O que eles serão para você, caro leitor? Cada um deve decidir por si mesmo.T5 167.2

    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents