Larger font
Smaller font
Copy
Print
Contents

Testemunhos para a Igreja 5

 - Contents
  • Results
  • Related
  • Featured
No results found for: "".
    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents

    Capítulo 56 — Religião e educação científica

    Prezados irmão e irmã B:

    Ambos foram apresentados diante de mim como estando espiritualmente em perigo. Estavam deixando o caminho reto e colocando os pés numa estrada mais larga. A irmã B estava dizendo muitas coisas, fazendo questão de detalhes, um pouco aqui, um pouco ali, o que era como semente semeada, sendo certo que a colheita virá. Ela estava encorajando a incredulidade e dizendo a seu marido que a estrada em que estiveram viajando era toda ela demasiado estreita e modesta. Achava que as qualificações de seu marido eram de ordem muito elevada e deviam ser exercidas de modo mais amplo e mais influente. O irmão B era da mesma opinião; na verdade, ele a havia conduzido nesta linha de pensamento. Ambos levavam a bandeira na qual estava escrito: “Os mandamentos de Deus e a fé em Jesus” (Apocalipse 14:12); mas ao encontrarem no caminho pessoas que consideravam muito populares, a bandeira era arriada e posta para trás de vocês, enquanto diziam: “Se deixarmos que saibam sermos nós adventistas do sétimo dia, nossa influência terá fim, e perderemos muitas vantagens.” Vi a bandeira da verdade sendo arrastada atrás de vocês. Surgiu então a pergunta: “Por que conduzi-la, afinal? Podemos crer nisto que vemos ser verdade, mas não precisamos deixar que os educadores e os estudantes saibam que levamos esta bandeira impopular.” Havia em sua companhia os que não se sentiam contentes ou satisfeitos com essas sugestões, mas seguiam sua influência em vez de deixar que sua luz brilhasse por manterem elevada a sua norma. Eles escondiam sua bandeira e marchavam, temendo deixar que brilhasse diante de todos a luz que lhes fora dada pelo Céu.T5 501.1

    Vi alguém aproximar-se de vocês com passo firme e semblante magoado. Ele disse: “Que ninguém tome a tua coroa.” Apocalipse 3:11. Vocês se esqueceram da humilhação suportada pelo Filho de Deus ao vir ao mundo, como sofreu ofensa, vexame, insulto, ódio, zombaria e traição; como suportou o vergonhoso julgamento na sala do tribunal, depois de haver sofrido assaltos sobre-humanos de Satanás no Jardim de Getsêmani? Esqueceram o selvagem clamor da turba: “Crucifica-O, crucifica-O” (Lucas 23:21), e como morreu como malfeitor? “É o servo maior que o seu Senhor”? João 13:16. Os seguidores de Jesus não serão populares, mas serão como o seu Senhor, mansos e humildes de coração. Vocês estão procurando alcançar os lugares mais altos, mas irão encontrar-se afinal ocupando o último assento. Se procurarem praticar a justiça, amar a beneficência, e andar humildemente com o seu Deus, serão participantes com Cristo de Seus sofrimentos e também de Sua glória no Seu reino. O Senhor os tem abençoado, mas quão pouco vocês têm apreciado Sua amorável bondade! Quão pouco louvor tem Ele recebido de seus lábios! Podem fazer uma boa obra para o Mestre, mas não dando a supremacia a suas idéias. Vocês precisam aprender na escola de Cristo, ou jamais estarão qualificados para passar para grau mais alto, receber o selo do Deus vivo, passar pelos portões da cidade de Deus, e ser coroados com glória, honra e imortalidade.T5 501.2

    Satanás atua de muitos modos onde não é identificado, até mesmo por meio de homens e mulheres que estão em posição de confiança. Ele sugerirá à mente deles erros plausíveis de pensamento, ação e palavras que criarão dúvida e produzirão desconfiança onde eles pensam que há garantia de segurança. Ele agirá sobre pessoas descontentes a fim de que sejam colocadas em operação ativa. Haverá o desejo de grandeza e honra. A inveja será ativada em mentes em que não se supunha ela existisse, e circunstâncias não faltarão para pô-la em atividade. Dúvidas serão despertadas, e sedutoras promessas de ganho serão feitas se a cruz não for posta como preeminente. Satanás tentará alguns a pensar que nossa fé funciona como uma barreira contra grandes progressos e obstrui o caminho de ascensão a altas posições mundanas e de serem reconhecidos como homens e mulheres notáveis.T5 502.1

    Em sua primeira manifestação de descontentamento, Satanás foi muito dissimulado. Tudo que ele declarava era que desejava promover uma melhor ordem de coisas, fazer grandes melhoramentos. Ele afastou de Deus o santo par, afastou-o da submissão a Seus mandamentos, no mesmo ponto em que milhares são tentados hoje e milhares desanimam: suas vãs imaginações. O conhecimento verdadeiro é divino. Satanás insinuou na mente de nossos primeiros pais um desejo de possuir um conhecimento especulativo mediante o qual, disse ele, melhorariam em muito sua condição; mas para isso conseguir, teriam de seguir um procedimento contrário à santa vontade de Deus, pois Ele não os guiaria às maiores alturas. Não era desígnio de Deus que eles obtivessem o conhecimento que tinha seus alicerces na desobediência. Era vasto o campo para o qual Satanás procurava levar Adão e Eva, e é o mesmo campo que ele abre ao mundo hoje, por suas tentações.T5 502.2

    Vocês estiveram apresentando a idéia de que a educação deve permanecer como uma obra independente. Esta mistura de doutrinas religiosas e questões bíblicas com educação científica foi considerada como uma inconveniência em sua obra educacional e um obstáculo à tarefa de levar os estudantes a graus mais altos do conhecimento científico.T5 503.1

    A grande razão por que tão poucos dos grandes homens do mundo e dos que têm educação superior são levados a obedecer aos mandamentos de Deus é haverem separado a religião da educação, julgando que cada qual deveria ocupar campo distinto. Deus apresentou um campo bastante amplo para que se aperfeiçoasse o conhecimento de todos os que nele ingressassem. Esse conhecimento foi obtido sob supervisão divina; foi vinculado com a imutável lei de Jeová, e o resultado teria sido uma bênção perfeita.T5 503.2

    Deus não criou o mal; Ele criou apenas o bem, que era Sua semelhança. Mas Satanás não tinha a menor satisfação em conhecer e praticar a vontade de Deus. Sua curiosidade impeliu-o no sentido de conhecer o que Deus não designara que ele conhecesse. O mal, pecado e morte não foram criados por Deus; eles são o resultado da desobediência, a qual se originou em Satanás. Mas o conhecimento do mal agora no mundo foi introduzido pelo ardil de Satanás. Essas são lições muito duras e dispendiosas, mas os homens desejarão aprendê-las, e muitos jamais se convencerão de que é uma felicidade ignorar certa espécie de conhecimento que nasce de desejos insatisfeitos e de alvos não santificados. Os filhos e filhas de Adão não são menos indagadores e presunçosos do que foi Eva ao buscar o conhecimento proibido. Eles adquirem uma experiência, um conhecimento, que Deus jamais desejou alcançassem, e o resultado será, como aconteceu com nossos primeiros pais, a perda de seu lar edênico. Quando aprenderão os seres humanos aquilo que é demonstrado de modo tão claro diante deles?T5 503.3

    A história do passado mostra um diabo ativo, operante. Ele não poderia ser mais indolente e inofensivo hoje. Satanás se achou numa única árvore, para pôr em perigo a segurança de Adão e Eva. Ele planejou atrair o santo par para essa árvore, de modo que pudesse levá-los a fazer precisamente aquilo que Deus disse não deveriam fazer — comer da árvore do conhecimento. Não havia para eles perigo em aproximar-se de qualquer outra árvore. Quão plausíveis eram suas palavras! Ele usou os mesmos argumentos que ainda hoje usa: lisonja, inveja, desconfiança, dúvida e incredulidade. Se Satanás foi tão ardiloso no princípio, quanto mais agora, depois de alcançar uma experiência de muitos milhares de anos! Todavia Deus e os santos anjos, e todos os que permanecem na obediência a toda vontade expressa do Pai, são mais sábios do que ele. A sutileza de Satanás não diminuirá, mas a sabedoria dada aos homens mediante uma viva associação com a Fonte de toda luz e divino conhecimento, será proporcional a suas artimanhas.T5 504.1

    Se os homens resistissem à prova em que Adão falhou, e, na força de Jesus, obedecessem a todos os reclamos de Deus, porque essas leis são justas, jamais quereriam tornar-se familiarizados com o conhecimento proibido. Deus jamais desejou que o homem tivesse esse conhecimento que vem da desobediência e que, introduzido na vida prática, termina em morte eterna. Quando os homens quase invariavelmente escolhem o conhecimento que Satanás apresenta; quando o seu gosto está de tal modo pervertido que anseiam por esse conhecimento como se ele fosse fonte de suprema sabedoria, estão dando prova de estarem separados de Deus e em rebelião contra Cristo.T5 504.2

    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents