Larger font
Smaller font
Copy
Print
Contents

Testemunhos para a Igreja 5

 - Contents
  • Results
  • Related
  • Featured
No results found for: "".
    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents

    Capítulo 76 — Uma carta

    Prezado irmão O:

    Recebi sua carta e não preciso expressar-lhe a tristeza de meu coração pela súbita mudança que recentemente ocorreu em você. Enquanto recapitulava sua história, lembrei-me da experiência no Colorado, de suas reflexões enquanto sobre aquele rochedo de onde parecia impossível descer, e sua subseqüente e parcial recuperação para a fé, de suas tentações mediante falsas e ambiciosas esperanças de tornar-se maior longe de nosso povo do que com ele, de seu desapontamento, da louvável conduta de guardar silêncio, das orações e compaixão do povo de Deus que ascenderam ao Céu em seu favor, de meus constantes apelos: “Não o abandonem, mas esforcem-se por salvá-lo. Ele está enredado; perdeu seu apego a Deus.”T5 621.2

    Lembro-me da última vez em que saí com sua esposa, pouco antes de sua morte. A preocupação dela era por você e os filhos. Ela disse temer pelo futuro por causa de seus filhos e do ceticismo do marido. “Se eu morrer”, disse, “e ele abandonar a fé e levar meus filhos a deixarem o sábado, após ter ele recebido tão grande luz e tantas evidências, quão terrível seria! Por essa razão eu me apego à vida. Ele não realizou aquela profunda obra íntima na alma e que a ancorará quando as tentações sobrevierem. Oh, irmã White, é pela salvação de meu marido e filhos que tanto me agarro à vida. E desejo dizer-lhe justamente agora, que sinto muito não ter recebido no devido espírito o testemunho dado a mim e a meu marido. Compreendo agora que essa mensagem era justamente o que necessitávamos e que, se a houvéssemos aceitado, estaríamos agora em muito melhor condição espiritual. Ambos éramos orgulhosos e desde aquele tempo sinto-me como se tivesse evitado a irmã, pois eu pensava que você não tivesse fé ou confiança em nós. Mas durante os últimos meses isso tudo desapareceu e sinto a mesma confiança, a mesma estreita simpatia e amor por você que eu tinha antes. Porém, sei que meu marido não sente assim, e que não me adianta muito falar com ele sobre essas coisas. Estou muito debilitada para apresentar-lhe assuntos do jeito que estão em minha mente. Ele é muito obstinado em suas idéias e sentimentos, mas eu precisava dizer-lhe que tenho implícita fé nos Testemunhos e em sua obra, e que tenho ansiado por uma oportunidade de lhe dizer isso. Agora sinto-me livre. Poderá a irmã me perdoar por meus sentimentos e palavras? Ofendi o Espírito de Deus e algumas vezes tive a impressão de que Ele me havia abandonado, mas já por algum tempo não tenho sentido isso e tampouco agora. Nunca compreendi o perigo de manifestar incredulidade como fiz há algumas semanas. Temo muito por meu marido, pois ele manifesta descrença; temo que ele abandone tudo e se torne um infiel. Oh, como eu gostaria de poder ajudá-lo!”T5 621.3

    Irmão O, quando você me falou que sua esposa morreu sem crer nos Testemunhos, eu não quis contradizê-lo, mas pensei que você não me havia dito a verdade. Posteriormente achei que você estava em grande escuridão, pois eu tinha em minhas mãos a carta que ela me enviara dizendo que tinha plena confiança nos Testemunhos, e sabia que eram verdadeiros com respeito a você e a ela. Assisti à reunião campal em _____ e você estava presente. Você então passou por uma experiência que se teria mostrado de permanente valor se você houvesse permanecido em humildade diante de Deus como naquele tempo. Você humilhou seu coração e de joelhos pediu-me que eu lhe perdoasse pelas coisas que havia dito sobre mim e meu trabalho. Você disse: “A irmã não tem idéia do que eu quis dizer a seu respeito.” Assegurei-lhe que lhe perdoara de todo o coração, assim como esperava que Jesus perdoasse meus pecados e erros. Você declarou na presença de muitas pessoas que havia falado muitas coisas para insultar-me. Perdoei-lhe sinceramente, pois você não falou contra mim. Nenhuma dessas acusações foi dirigida a mim. Eu era apenas uma serva que testemunhava daquilo que o Senhor me dera. Pessoalmente não era eu que você estava visando; era a mensagem que Deus lhe enviara através do humilde instrumento. Você ofendeu a Cristo e não a mim. Disse-lhe eu: “Não quero que você confesse a mim. Acerte tudo entre seu coração e Deus, e tudo estará bem entre você e eu.” Algumas expressões que lhe foram escritas, você as tomou num sentido muito diferente. Após relê-las cuidadosamente, você disse que elas não eram o que pareciam e tudo ficou esclarecido. Você declarou após aquele encontro que lamentava nunca antes haver conhecido o que era conversão, mas que agora nascera de novo, convertido pela primeira vez. Pôde então dizer que amava seus irmãos, que seu coração era só luz e felicidade; que via a santidade da obra como nunca dantes e que suas cartas expressavam a profunda mudança realizada pelo Espírito de Deus em você.T5 622.1

    Contudo, eu sabia que você seria trazido ao mesmo terreno e testado justamente nos pontos onde falhou antes. Assim o Senhor fez com os filhos de Israel; assim Ele faz com Seus filhos de todas as épocas. Ele os provará onde falharam primeiramente; testá-los-á, e se fracassarem no teste pela segunda vez, trará novamente sobre eles a mesma prova.T5 623.1

    Meu coração dói cada vez que penso em você; minha alma está realmente triste. Toda alma é preciosa porque foi adquirida pelo precioso sangue de Jesus Cristo. Eu, algumas vezes, penso que não damos o devido valor à aquisição do sangue de Jesus — a redenção da alma. Enquanto considero o infinito preço pago pela redenção individual, penso: “O que acontece quando a pessoa finalmente se perde? O que ocorre se ela se recusa a ser um aprendiz na escola de Cristo, falha na prática da mansidão e humildade, e não toma sobre si o jugo de Cristo?” Essa, meu irmão, tem sido sua grande deficiência. Se você tomasse menos conselhos consigo mesmo e fizesse de Jesus o seu conselheiro, seria agora forte em graça e no conhecimento de dEle. Você não se ligou a Cristo, não está imbuído de Seu Espírito. Oh, quanto você necessita do molde divino sobre seu caráter!T5 623.2

    Temos muito a responder, considerando nossas vantagens superiores e sabendo que devemos ser julgados pela luz e privilégios que o Senhor nos concedeu. Não podemos alegar que somos menos favorecidos com a luz do que aquele povo que tem sido por séculos um espanto e censura ao mundo. Não podemos esperar um julgamento favorável porque, como Cafarnaum, temos sido exaltados até o Céu. O Senhor tem agido em favor do povo que guarda os Seus mandamentos. A luz que sobre nós se tem refletido desde o Céu não foi concedida a Sodoma e Gomorra, ou elas teriam permanecido até o dia de hoje. E se as poderosas obras, conhecimento e graça que foram manifestas a nosso povo houvessem sido conhecidas pelas nações em trevas, não temos idéia de quão avançadas hoje elas poderiam estar. Não podemos determinar o quão mais favorável seria para elas o dia do juízo, do que para aqueles que tiveram a clara luz da verdade brilhando sobre si, como você, mas que por uma inexplicável razão se desviaram dos santos mandamentos de Deus. Apenas podemos apontar para seu caso com tristeza, como um sinal de advertência. “Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe que não caia.” 1 Coríntios 10:12. O Senhor não vê do mesmo modo que o homem. Seus pensamentos e caminhos não são o que homens cegos e egoístas pensam que são, ou que desejam ser. O Senhor olha para o coração e atua em e com Suas criaturas, para desejarem e fazerem qualquer coisa que Ele ordene ou requeira, a não ser que rejeitem Seu conselho e se recusem obedecer a Seus mandamentos.T5 624.1

    A maior parte de sua vida tem sido empregada em apresentar doutrinas que, nos tempos finais de sua existência, você repudiará e condenará. Qual é a obra genuína? Qual a falsa? Podemos nós confiar em seu discernimento? Podemos dar crédito a sua interpretação das Escrituras? Não, não podemos. Estaríamos em perigo de ser desencaminhados. Você não pode agora ou em qualquer tempo futuro de sua vida, sentir que seus pés estão firmados sobre rocha sólida. Não pude evitar de ficar pensando acerca de seu futuro. A verdade para mim é uma viva realidade. Sei o que é a verdade. A Palavra de Deus é segura. “À lei e ao testemunho! Se eles não falarem segundo esta palavra, nunca verão a alva.” Isaías 8:20. Pôr-se-á sua luz em trevas?T5 625.1

    Estou escrevendo mais extensamente o volume de O Grande Conflito, contendo a história da queda de Satanás e a introdução do pecado em nosso mundo, e posso ter um senso mais vívido que nunca dantes acerca desse grande conflito entre Cristo, o Príncipe da luz, e Satanás, o príncipe das trevas. Ao ver as várias armadilhas de Satanás para provocar a ruína de pessoas errantes e torná-las como ele próprio, um transgressor da santa lei de Deus, gostaria que anjos de Deus pudessem vir à Terra e apresentassem essa questão em sua grande importância. Então sinto intenso pesar pelas pessoas que se estão voluntariamente afastando da luz, do conhecimento e da obediência à santa lei de Deus. Como Adão e Eva acreditaram na mentira de Satanás: “Sereis como deuses”, assim essas pessoas esperam, mediante a desobediência, atingir maiores alturas e obter alguma posição lisonjeira. Sinto-me tão ansiosa que, enquanto outros dormem, passo horas em oração para que Deus atue com grande poder a fim de romper o engano fatal sobre a mente das pessoas e as conduza com simplicidade à cruz do Calvário. Então me acalmo com o pensamento de que todas elas foram adquiridas pelo sangue do Senhor Jesus. Podemos sentir amor por essas pessoas, porém o Calvário testifica de quanto Deus as ama. Essa obra não é nossa, mas do Senhor. Somos apenas instrumentos em Suas mãos para fazer a Sua vontade, e não a nossa. Contemplamos aqueles que desprezam o Espírito da graça, e trememos por eles. Lamentamo-nos e ficamos desapontados porque se mostram desleais para com Deus e a verdade; mas sentimos uma tristeza mais profunda ao pensarmos em Jesus, que os comprou com Seu próprio sangue. Entregaríamos todas as nossas posses para salvar um, mas descobrimos que não podemos fazê-lo. Daríamos a própria vida para salvar uma alma para a vida eterna, mas nem mesmo esse sacrifício seria proveitoso. O grande e único sacrifício foi feito na vida, missão e morte de Jesus Cristo. Quem dera que os homens contemplassem a grandeza desse sacrifício! Então poderiam compreender melhor o valor da salvação.T5 625.2

    E agora, irmão O, você que possui tão grande luz, tão abundantes evidências da verdade bíblica, não segue para a frente e para o alto com aqueles que triunfarão com a verdade, afinal. Você agora passa para o lado do primeiro grande rebelde, para anular a lei de Deus. Ele levará outros à mesma senda de transgressão da lei de Deus, a ridicularizarem nossa fé. Quando se assentar o juízo e cada um for julgado pelas coisas escritas nos livros, como se apresentará seu caso? Você contemplará esse e aquele que poderiam ter andado nos caminhos dos mandamentos de Deus, se o irmão não os cercasse com a atmosfera da incredulidade, se não houvesse pervertido as Escrituras com interpretações errôneas e os afastado da estrita obediência à santa lei de Deus. Poderá você olhar com satisfação para esses semblantes? Então ouvirá a voz do Grande Juiz dizendo: “Quem requereu isso de sua mão?”T5 626.1

    Sua atual esposa não tem uma profunda experiência de abnegação, sacrifício próprio, comunhão com Deus e fé na verdade. Facilmente ela é levada da obediência a Deus para a transgressão. Seus filhos seguirão onde o pai os conduzir, e a menos que ocorra alguma providência especial para resgatá-los, sua desobediência e transgressão serão lançadas na conta do irmão. O Juiz de toda a Terra vai confrontá-lo com a santa lei, cujos reclamos você não ignora. Seu caráter e o de sua esposa e filhos serão julgados pelo santo padrão de justiça. Você os levou a transgredir e sua ruína a santa lei de Deus imputa ao irmão. Por meio de vários estratagemas, com os quais Satanás está plenamente familiarizado, você trabalhou para o tempo e a eternidade, tentando fazer com que outros cressem no irmão como um homem honesto, que reflete a luz da verdade. Por acaso você é esse homem? Não, não. Isso é um engano, um terrível engano. O que o irmão responderá a Deus naquele dia? Naquele tempo, você será possuído de um terrível temor e sobressalto diante de seu Criador. Tentará então imaginar alguma desculpa para sua conduta, mas tudo parecerá subterfúgio. Será culpado e condenado. Você pode ficar irritado comigo porque tenho configurado o caso dessa maneira, mas assim é e assim será com todo transgressor da santa lei de Deus.T5 627.1

    Lembre-se desta verdade: “Onde quer que eu esteja, o que quer que eu faça, Tu, ó Deus, me vês.” Não é possível que o menor item de sua conduta escape à observação dAquele que diz: “Eu conheço as tuas obras.” Apocalipse 2:19. As profundezas de todo coração estão abertas à inspeção divina. Cada ação, cada propósito, cada palavra, são tão distintamente assinaladas como se só houvesse um único indivíduo em todo o Universo, e toda a vigilância e escrutínio de Deus fossem empregados sobre seu comportamento. Poderemos nós então transgredir um preceito de Sua lei e assim ensinar a outros, por evasões, afirmações, falsidades, sob a vista do Legislador? Poderemos nós recorrer da sentença diante do Juiz? Há nisso uma audácia que parece sobrepujar o pior da soberba humana. Sei, meu irmão, a quem espero encontrar no dia do Juízo, que você não terá palavras para se desculpar por sua traição.T5 627.2

    Oh, se eu pudesse apresentar a você e aos demais irmãos a necessidade do constante senso da presença de Deus, o qual poria tal comedimento à sua vida e faria com que sua influência moral e religiosa sobre o povo fosse muito diferente. Precisamos atingir uma norma muito mais elevada. Cada pessoa, ao sair e entrar, em todas as transações comerciais e em todos os tempos e lugares, deveria agir com a consciência de que se está vivendo sob a inspeção de Deus e dos anjos celestiais, e que o Ser que julgará a obra de cada homem para a eternidade, o acompanha em cada passo, observando todas as suas ações e examinando minuciosamente todos os seus motivos. A consciência da presença de Deus e do perigo da violação de Seus preceitos, tomaria posse de todo o ser. Que mudança seria vista no homem, que transformação na sociedade, que males não seriam evitados! Haveria vozes de todas as classes e eras dizendo: “Como faria tamanho mal e pecaria contra Deus?” Gênesis 39:9.T5 628.1

    Quem entrará na cidade pelas portas? “Bem-aventurados aqueles que guardam os Seus mandamentos, para que tenham poder na árvore da vida e possam entrar na cidade pelas portas.” Apocalipse 22:14. Você sabe quais são esses mandamentos tão bem quanto eu. Amo você, sua esposa e filhos e é por isso que me dirijo agora ao irmão. Considere cuidadosamente o caminho que seus pés estão trilhando. Tenho mais a lhe dizer, mas não por ora. Por favor, responda-me e devolva-me a carta contando o sonho, como lhe pedi.T5 628.2

    Com muita tristeza, amor e compaixão.

    20 de Abril de 1888

    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents