Larger font
Smaller font
Copy
Print
Contents

Conselhos sobre o Regime Alimentar

 - Contents
  • Results
  • Related
  • Featured
No results found for: "".
    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents

    Parte 2 — Chá e café

    Os efeitos estimulantes do chá e do café

    732. O regime alimentar estimulante e a bebida de nossos dias não são conducentes ao melhor estado de saúde. Chá, café e fumo são todos estimulantes, e contêm venenos. São não somente desnecessários, mas nocivos, e devem ser rejeitados, caso queiramos acrescentar ao conhecimento, temperança. — The Review and Herald, 21 de Fevereiro de 1888.CRA 420.2

    733. O chá é venenoso para o organismo. Os cristãos devem deixá-lo em paz. A influência do café é, até certo ponto, a mesma do chá, mas o efeito sobre o organismo é ainda pior. Sua influência é excitante, e justo na medida em que ele eleva acima do normal, exaure e ocasiona depressão abaixo do normal também. Os bebedores de chá e de café, apresentam no rosto os seus vestígios. A pele torna-se pálida, tomando um aspecto sem vida. Não se lhes vê no semblante o brilho da saúde. — Testimonies for the Church 2:64, 65 (1868); Testemunhos Selectos 1:196.CRA 421.1

    734. Doenças de toda espécie e tipo têm sido trazidas sobre os seres humanos pelo uso de chá e café e os narcóticos, ópio e fumo. Essas condescendências prejudiciais devem ser abandonadas, não apenas uma, mas todas; pois todas são danosas e destruidoras das faculdades físicas, mentais e morais, devendo, do ponto de vista da saúde, ser abandonadas. — Manuscrito 22, 1887.CRA 421.2

    [Semeadura de morte — 655]

    735. Nunca tomeis chá, café, cerveja, vinho ou quaisquer bebidas alcoólicas. Água, eis o melhor líquido possível para limpar os tecidos. — The Review and Herald, 29 de Julho de 1884.CRA 421.3

    736. Chá, café e fumo, bem como as bebidas alcoólicas, acham-se em graus diversos na escala dos estimulantes artificiais.CRA 421.4

    O efeito do chá e do café, segundo tem sido mostrado até aqui, tende para a mesma direção do vinho e da sidra, do licor e do fumo. ...CRA 421.5

    O café é uma satisfação nociva. Estimula temporariamente o cérebro a uma ação desnecessária, mas o efeito posterior é exaustão, prostração, paralisia das faculdades mentais, morais e físicas. A mente fica enfraquecida, e a menos que, mediante esforço determinado seja o hábito vencido, a atividade do cérebro é permanentemente diminuída. Todos esses irritantes dos nervos estão minando as forças vitais e o desassossego causado por nervos estragados, a impaciência, a fraqueza mental, tornam-se elementos contendores, antagônicos ao progresso espiritual. Não devem então os que advogam a temperança e a reforma estar alerta para neutralizar os males dessas bebidas prejudiciais? Em alguns casos é tão difícil romper com o hábito do chá e café, como é para ébrios abandonar o uso da bebida. O dinheiro gasto em chá e café, é mais que desperdiçado. Eles só causam dano aos que os usam, e isto continuamente. Os que usam chá, café, ópio e álcool, podem às vezes viver até avançada idade; isto, porém, não é argumento em favor do uso desses estimulantes. Que poderiam haver realizado, mas deixaram de fazê-lo por causa de seus hábitos intemperantes, só o grande dia de Deus revelará!CRA 421.6

    Os que recorrem ao chá e ao café como estimulantes para o trabalho, experimentarão os maus efeitos dessa maneira de proceder em nervos trêmulos e falta de domínio. Nervos cansados necessitam de repouso e quietação. A natureza precisa de tempo para recuperar suas energias exaustas. Se suas forças, porém, continuam a ser instigadas pelo uso de estimulantes, há, quando esse processo é repetido, uma diminuição da força real. Por algum tempo, pode-se realizar mais sob o incitamento artificial, mas gradualmente se torna mais difícil suscitar as energias ao desejado ponto, e por fim a natureza exausta não mais pode corresponder.CRA 422.1

    Os efeitos nocivos atribuídos a outras causas

    O hábito de beber chá e café é maior mal do que muitas vezes se suspeita. Muitos que se habituaram ao uso de bebidas estimulantes, sofrem de dor de cabeça e prostração nervosa, e perdem muito tempo em conseqüência de enfermidades. Imaginam que não podem viver sem o estímulo, e ignoram seus efeitos sobre a saúde. O que as torna mais perigosas é que seus maus efeitos são freqüentemente atribuídos a outras causas.CRA 422.2

    Efeitos na mente e na moral

    Por meio do uso de estimulantes, sofre todo o organismo. Os nervos ficam desequilibrados, o fígado mórbido em suas atividades, a qualidade e a circulação do sangue são afetadas, e a pele torna-se inativa e pálida. Também a mente é prejudicada. A influência imediata desses estimulantes é excitar o cérebro a indevida atividade, só para deixá-lo mais fraco e menos capaz de esforço. O efeito posterior é prostração, não somente mental e física, mas moral. Vemos, em resultado, homens e mulheres nervosos, carentes de bom senso e mente desequilibrada. Manifestam muitas vezes um espírito precipitado, impaciente, acusador, vendo as faltas dos outros como através de lentes de aumento, e inteiramente incapazes de discernir os próprios defeitos.CRA 422.3

    Quando esses bebedores do chá e do café se reúnem para entretenimentos sociais, manifestam-se os efeitos de seus perniciosos hábitos. Todos participam à vontade de suas bebidas prediletas, e à medida que é sentida a influência estimulante, solta-se-lhes a língua, e começam a obra ímpia de falar contra outros. Suas palavras não são poucas ou bem escolhidas. São passados ao redor os petiscos da maledicência, muitas vezes o próprio veneno do escândalo. Esses irrefletidos faladores esquecem que têm uma testemunha. Invisível Vigia está-lhes escrevendo as palavras nos livros do Céu. Toda essa crítica cruel, esses exagerados relatórios, esses sentimentos invejosos, expressos sob a excitação da xícara de chá, Jesus registra como contra Si mesmo. “Quando o fizestes a um destes Meus pequeninos irmãos, a Mim o fizestes.”CRA 423.1

    Sofremos já por causa dos hábitos errôneos de nossos pais, e todavia quantos tomam ainda uma direção em todos os sentidos pior que a deles! Ópio, chá, café, fumo e bebida estão extinguindo rapidamente a fagulha da vitalidade que ainda resta na raça. São bebidos todos os anos milhões e milhões de litros de bebidas intoxicantes, e gastam-se muitos milhões de dólares em fumo. E os escravos do apetite, enquanto despendendo seus ganhos em satisfações sensuais, roubam a seus filhos o alimento e a roupa e as vantagens da educação. Jamais poderá haver um justo estado social enquanto existirem tais males. — Christian Temperance and Bible Hygiene, 34-36 (1890).CRA 423.2

    Cria excitação nervosa, não força

    737. Sois altamente nervoso e excitável. O chá tem o efeito de excitar os nervos, e o café obscurece o cérebro; são ambos altamente nocivos. Deveis ter cuidado em vosso regime. Comei os alimentos mais saudáveis, nutritivos, e mantende-vos em calmo estado de mente, de modo a não vos excitar e precipitar-vos na paixão. — Testimonies for the Church 4:365 (1879).CRA 423.3

    738. O chá atua como estimulante, e, até certo grau, produz intoxicação. A ação do café, e de muitas outras bebidas populares, é idêntica. O primeiro efeito é estimulante. São excitados os nervos do estômago; estes comunicam irritação ao cérebro, o qual, por sua vez, desperta para transmitir aumento de atividade ao coração, e uma fugaz energia a todo o organismo. Esquece-se a fadiga; parece aumentar a força. Desperta o intelecto, torna-se mais viva a imaginação.CRA 424.1

    Em virtude desses resultados, muitos julgam que seu chá ou café lhes faz grande benefício. Mas é um engano. Chá e café não nutrem o organismo. Seu efeito produz-se antes de haver tempo para ser digerido ou assimilado, e o que parece força não passa de excitação nervosa. Uma vez dissipada a influência do estimulante, abate-se a força não natural, sendo o resultado um grau correspondente de languidez e fraqueza.CRA 424.2

    O uso continuado desses irritantes nervosos é seguido de dores de cabeça, insônia, palpitação, indigestão, tremores, e muitos outros males; pois eles gastam a força vital. Os nervos fatigados necessitam repouso e quietação em lugar de estimulantes e superatividade. A natureza necessita de tempo para recuperar as exaustas energias. Quando suas forças são aguilhoadas pelo uso de estimulantes, conseguir-se-á mais durante algum tempo; mas, à medida que o organismo se enfraquece mediante o uso contínuo, torna-se gradualmente mais difícil erguer as energias ao nível desejado. A exigência de estimulantes se torna cada vez mais difícil de controlar, até que a vontade é vencida, parecendo não haver poder capaz de negar a satisfação do forte apetite contrário à natureza. São reclamados estimulantes mais fortes e ainda mais fortes, até que a natureza exausta já não pode corresponder. — A Ciência do Bom Viver, 326, 327 (1905).CRA 424.3

    [Chá e café arruínam o estômago — 722]

    Não têm valor alimentício

    739. A saúde de modo algum é melhorada pelo uso desses artigos que estimulam temporariamente, mas depois causam uma reação que deixa o organismo mais abatido que antes. Chá e café excitam por algum tempo as energias debilitadas, mas passada sua influência imediata, resulta uma sensação de depressão. Essas bebidas não têm absolutamente nenhum alimento em si mesmas. O leite e açúcar que contêm, constituem todo o alimento proporcionado por uma xícara de chá ou café. — Carta 69, 1896.CRA 425.1

    Percepção espiritual embotada

    740. Chá e café são estimulantes. Seus efeitos são semelhantes aos do fumo; mas afetam em grau menor. Os que usam estes venenos lentos, como os fumantes, pensam não poder passar sem eles, porque se sentem muito mal quando não têm esses ídolos. ... Os que condescendem com um apetite pervertido, fazem-no com prejuízo da saúde e do intelecto. Não podem apreciar o valor das coisas espirituais. Suas sensibilidades são embotadas, e o pecado não se lhes afigura muito maligno, e não consideram a verdade de maior valor do que tesouros terrestres. — Spiritual Gifts 4:128, 129 (1864).CRA 425.2

    741. Tomar chá e café é pecado, condescendência prejudicial, que, como outros males, causa dano à alma. Esses diletos ídolos criam excitação, ação mórbida do sistema nervoso; e depois que a influência imediata do estimulante passa, deixa abaixo do normal, na mesma proporção em que suas propriedades estimulantes elevaram acima do normal. — Carta 44, 1896.CRA 425.3

    742. Aqueles que usam fumo, chá e café devem pôr de lado esses ídolos, e porem esse gasto no tesouro do Senhor. Alguns nunca fizeram um sacrifício pela causa de Deus, e estão adormecidos quanto ao que o Senhor deles requer. Alguns dentre os mais pobres terão a maior luta para renunciar a esses estimulantes. Esse sacrifício individual não é exigido porque a causa de Deus esteja sofrendo por falta de meios. Mas cada coração será provado, cada caráter desenvolvido. É por princípio que deve agir o povo de Deus. É preciso pôr em prática na vida os princípios vivos. — Testimonies for the Church 1:122 (1861).CRA 425.4

    Os fortes desejos interferem com o culto espiritual

    743. Chá e café, da mesma maneira que o fumo, têm efeito prejudicial sobre o organismo. O chá é intoxicante; se bem que em grau menor, seu efeito é, no caráter, o mesmo que o das bebidas alcoólicas. O café tem maior tendência para obscurecer o intelecto e amortecer as energias. Não é tão poderoso como o fumo, mas semelhante em seus efeitos. Os argumentos apresentados quanto ao fumo podem ser também alegados acerca do chá e do café.CRA 426.1

    As pessoas habituadas ao uso do chá, café, fumo, ópio e bebidas alcoólicas, não podem adorar a Deus quando privadas da costumada satisfação. Empenhem-se eles, enquanto privados desses estimulantes, no culto a Deus, e a graça divina será impotente para animar, vivificar ou espiritualizar suas orações ou seus testemunhos. Esses professos cristãos deveriam considerar os meios que lhes dão satisfação. Vêm eles de cima, ou de baixo? — The Review and Herald, 25 de Janeiro de 1881.CRA 426.2

    O transgressor insensível não é sem culpa

    744. Satanás vê que não pode ter tanto poder sobre a mente quando o apetite é mantido em controle, como quando é satisfeito, e opera ele constantemente para levar os homens à condescendência. Sob a influência de alimento nocivo, a consciência torna-se insensibilizada, a mente obscurecida, e sua susceptibilidade às impressões é enfraquecida. A culpa do transgressor, porém, não é diminuída por a consciência haver sido violada até ficar insensível.CRA 426.3

    Uma vez que o estado saudável da mente depende da condição normal das forças vitais, que cuidado deve ser tomado para que nem estimulantes nem narcóticos sejam usados! Vemos todavia que grande número dos que professam ser cristãos estão usando fumo. Deploram os males da intemperança; não obstante, ao passo que falam contra o uso das bebidas, esses mesmos homens expelem suco de fumo. É preciso haver mudança de sentimentos quanto ao uso do fumo antes que seja alcançada a raiz do mal. Levamos o assunto ainda mais longe. Chá e café estão fomentando o desejo de estimulantes mais fortes. E então chegamos ainda mais perto da questão — o preparo da comida, e perguntamos: É a temperança praticada em tudo? São as reformas essenciais à saúde e à felicidade seguidas aí?CRA 426.4

    Todo verdadeiro cristão terá controle sobre seus apetites e paixões. A menos que ele esteja livre da servidão do apetite, não pode ser fiel e obediente servo de Cristo. A condescendência com o apetite e as paixões embotam o efeito da verdade sobre o coração. — Christian Temperance and Bible Hygiene, 79, 80 (1890).CRA 427.1

    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents