Larger font
Smaller font
Copy
Print
Contents

Conselhos sobre o Regime Alimentar

 - Contents
  • Results
  • Related
  • Featured
No results found for: "".
    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents

    Parte 4 — O regime alimentar em diferentes países

    Apropriado às estações e clima

    143. Os alimentos usados devem corresponder ao clima. Alguns alimentos próprios para um país, poderão não ser de maneira nenhuma adequados para outro lugar. — Carta 14, 1901.CRA 94.1

    144. Mas nem todas as comidas saudáveis em si mesmas são igualmente adequadas a nossas necessidades em todas as circunstâncias. Deve haver cuidado na seleção do alimento.CRA 94.2

    Nossa comida deve ser de acordo com a estação, o clima em que vivemos, e a ocupação em que nos empregamos. Certas comidas apropriadas para uma estação ou um clima, não o são para outro. Assim há diferentes comidas mais adequadas às pessoas segundo as várias ocupações. Muitas vezes alimentos que podem ser usados com proveito por pessoas que se empenham em árduo labor físico, não são próprios para as de trabalho sedentário, ou de intensa aplicação mental. Deus nos tem dado ampla variedade de comidas saudáveis, e cada pessoa deve escolher dentre elas aquelas que a experiência e o são juízo demonstram ser as mais convenientes às suas próprias necessidades. — A Ciência do Bom Viver, 296, 297 (1905).CRA 94.3

    Alimentos nutrientes encontrados em todas as partes

    145. Progridamos com inteligência na simplificação de nosso regime. Na providência de Deus, cada país produz artigos alimentares que contêm o nutrimento necessário para a construção do organismo. Esses produtos podem ser transformados em pratos saudáveis e apetitosos. — Carta 135, 1902.CRA 94.4

    146. Se planejarmos sabiamente, os artigos conducentes à boa saúde podem ser obtidos em quase todas as terras. Os vários artigos preparados de arroz, trigo, milho e aveia são enviados para toda parte, bem como feijões, ervilhas e lentilhas. Estes, juntamente com as frutas nacionais ou importadas, e a quantidade de verduras que dão em todas as localidades, oferecem oportunidade de escolher um regime dietético completo, sem o uso de alimentos cárneos. ... Onde quer que as frutas secas como passas, ameixas, maçãs, pêras, pêssegos e abricós se podem obter por moderado preço, verificar-se-á que se podem usar como artigos principais de regime, muito mais abundantemente do que se costuma fazer, com os melhores resultados para a saúde de todas as classes. — A Ciência do Bom Viver, 299 (1905).CRA 94.5

    Nos climas tropicais

    147. Nos climas muito quentes, deve dar-se ao obreiro, seja em que setor for que trabalhe, menos atividade do que num clima mais ameno. O Senhor nos recorda que somos apenas pó. ...CRA 95.1

    Quanto menor for a quantidade de açúcar introduzida na alimentação, em seu preparo, menor a dificuldade experimentada em virtude do calor do clima. — Carta 91, 1898.CRA 95.2

    Necessário tato no ensino da reforma de saúde

    148. A fim de fazermos nosso trabalho de maneira simples e correta, precisamos reconhecer as condições a que a família humana está sujeita. Deus fez provisões para os que vivem nos diferentes climas do mundo. Os que desejam ser cooperadores de Deus precisam considerar com muito cuidado como ensinar a reforma de saúde na grande vinha de Deus. Precisam proceder com cautela ao especificar precisamente que alimentos devem ou não devem ser comidos. O mensageiro humano precisa unir-se com o divino Ajudador ao apresentar a mensagem de misericórdia às multidões que Deus gostaria de salvar. — Carta 37, 1901.CRA 95.3

    [Para contexto ver 324]

    [Especial cuidado necessário em novos países e em distritos acossados pela pobreza, com relação a carne, leite e ovos — 324]

    149. Não estabelecemos regra alguma para ser seguida no regime alimentar, mas dizemos que nos países onde abundam as frutas, cereais e nozes, os alimentos cárneos não constituem alimentação própria para o povo de Deus. — Testemunhos Selectos 3:359 (1909).CRA 95.4

    150. O Senhor quer que os que vivem em países onde é possível obterem-se frutas frescas em grande parte do ano, se compenetrem da bênção que têm nessas frutas. Quanto maior for o uso que fizermos de frutas frescas, tais como são apanhadas da árvore, maior será a bênção. — Testimonies for the Church 7:126 (1902); Testemunhos Selectos 3:134.CRA 96.1

    Certeza de direção divina

    151. O Senhor ensinará a muitos, em toda parte do mundo, a combinar frutas, cereais e verduras numa alimentação que sustenha a vida e não produza doença. Os que nunca viram as receitas dos alimentos saudáveis que agora há a venda, procederão inteligentemente com experimentar os alimentos que a terra produz, e ser-lhes-á concedido entendimento no tocante a esses produtos. O Senhor lhes mostrará o que fazerem. Aquele que concede perícia e sabedoria ao Seu povo numa parte do mundo, concederá perícia e sabedoria ao Seu povo noutras partes do mundo. É Seu desígnio que as preciosidades alimentares de cada país sejam preparadas de forma tal que possam ser usadas nos países a que se destinam. Assim como Deus forneceu do Céu o maná para o sustento dos filhos de Israel, também dará ao Seu povo, em diferentes lugares, perícia e sabedoria para usarem os produtos desses países no preparo de alimentos que substituam a carne. — Testimonies for the Church 7:124, 125 (1902); Testemunhos Selectos 3:132.CRA 96.2

    152. É desígnio divino que em toda parte homens e mulheres sejam animados a desenvolver seus talentos pelo preparo de alimentos saudáveis dos produtos em estado natural, oriundos da sua própria região do país. Se recorrerem a Deus, exercendo perícia e habilidade sob a guia do Seu Espírito, aprenderão a transformar em alimentos saudáveis os produtos em estado natural. Conseguirão, dessa forma, ensinar os pobres a proverem-se de alimentos que substituirão a alimentação cárnea. Os que assim forem auxiliados, poderão por sua vez instruir outros. Semelhante trabalho será, ainda, feito com zelo e energia consagrados. Caso houvesse sido feito anteriormente, haveria hoje muito mais pessoas na verdade, e outras tantas que poderiam ministrar instruções. Aprendamos qual é o nosso dever, e depois façamo-lo. Não devemos ficar na dependência de outros e incapacitados, confiando noutros para o trabalho que Deus nos confiou a nós. — Testimonies for the Church 7:133 (1902); Testemunhos Selectos 3:136.CRA 96.3

    [Ver também 401 e 407]

    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents