Larger font
Smaller font
Copy
Print
Contents

Conselhos sobre o Regime Alimentar

 - Contents
  • Results
  • Related
  • Featured
No results found for: "".
    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents

    Capítulo 1 — Razões para reforma

    Para glória de Deus

    1. A vida é-nos concedida apenas como um empréstimo; e a indagação de cada um devia ser: “Como poderei investir os meus talentos com o melhor proveito? Como poderei fazer o máximo para a glória de Deus e o benefício de meus semelhantes?” Pois a vida só tem valor se usada para a conquista desses objetivos.CRA 15.1

    Nosso primeiro dever para com Deus e nossos semelhantes é o do desenvolvimento próprio. Cada faculdade com que o Criador nos dotou deve ser cultivada ao máximo grau da perfeição, a fim de podermos fazer a maior porção de bem de que formos capazes. Logo é bem empregado o tempo que se usa no estabelecer e preservar a saúde física e mental. Não podemos permitir que definhe ou invalide qualquer função do corpo ou da mente. É indubitável que ao fazermos isto sofreremos as conseqüências.CRA 15.2

    Escolha de vida ou morte

    Todo homem tem, em grande medida, a oportunidade de fazer de si mesmo aquilo que escolher ser. As bênçãos desta vida, bem como do estado imortal, estão ao seu alcance. Ele pode edificar um caráter de sólido valor, ganhando nova força a cada passo. Pode avançar diariamente em conhecimento e sabedoria, cônscio de novas luzes ao progredir, acrescentando virtude a virtude, graça a graça. Suas faculdades melhorarão com o uso; quanto mais sabedoria alcança, maior será sua capacidade de conquista. Sua inteligência, conhecimento e virtude, desenvolver-se-ão assim com maior força e mais perfeita simetria.CRA 15.3

    Por outro lado, pode ele permitir que suas faculdades se embotem por falta de uso, ou se pervertam por maus hábitos, por falta de domínio próprio ou de resistência moral. O curso de sua vida então se inclina para baixo; ele se torna desobediente à lei de Deus e às leis da saúde. O apetite conquista-o; a inclinação o conduz; torna-se-lhe mais fácil permitir que os poderes do mal, sempre ativos, o arrastem, do que lutar contra eles, indo avante. Seguem-se dissipação, enfermidade e morte. Esta é a história de muitas vidas que podiam ter sido úteis à causa de Deus e à humanidade. — Christian Temperance and Bible Hygiene, 41, 42 (1890); Conselhos Sobre Saúde, 107, 108.CRA 15.4

    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents