Larger font
Smaller font
Copy
Print
Contents

Conselhos sobre o Regime Alimentar

 - Contents
  • Results
  • Related
  • Featured
No results found for: "".
    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents

    Batalha infeliz com o apetite

    745. A intemperança começa à nossa mesa, no uso de alimentos insalubres. Depois de algum tempo, devido à continuada complacência com o apetite, os órgãos digestivos se enfraquecem, e o alimento ingerido não satisfaz. Estabelece-se um estado mórbido, experimentando-se intenso desejo de tomar comida mais estimulante. O chá, o café e os alimentos cárneos, produzem efeito imediato. Sob a influência desses venenos, o sistema nervoso fica excitado, e, em certos casos, momentaneamente, o intelecto parece revigorado e a imaginação mais viva. Como esses estimulantes produzam no momento resultados tão agradáveis, muitos chegam à conclusão de que realmente deles necessitam, e continuam a usá-los.CRA 427.2

    Há sempre, porém, uma reação. O sistema nervoso, havendo sido indevidamente excitado, tomou emprestado para o uso presente, energias reservadas para o futuro. Todo esse temporário avigoramento do organismo é seguido de depressão. Proporcional a esse passageiro aumento de forças do organismo, será a depressão dos órgãos assim estimulados, após haver cessado o efeito do excitante. O apetite educa-se a desejar algo mais forte, que tenda a manter e acrescentar a aprazível excitação, até que a condescendência se torne um hábito, havendo contínuo e intenso desejo de mais forte estímulo, como seja o fumo, vinhos e outras bebidas alcoólicas. Quanto mais se satisfizer ao apetite, tanto mais freqüente será sua exigência, e mais difícil de o controlar. Quanto mais enfraquecido se tornar o organismo, e menos capaz se tornar de passar sem tais estimulantes, tanto mais aumenta a paixão por eles, até que a vontade é levada de vencida, e parece impossível a resistência ao forte e falso desejo desses estimulantes.CRA 427.3

    O único caminho seguro

    O único caminho seguro é não tocar, não provar, não manusear o chá, o café, vinhos, o fumo, o ópio e as bebidas alcoólicas. A necessidade de os homens desta geração chamarem em seu auxílio a força de vontade fortalecida pela graça de Deus, a fim de resistir às tentações de Satanás, e vencer a mínima condescendência com o apetite pervertido, é duas vezes maior que a de algumas gerações passadas. — Testimonies for the Church 3:487, 488 (1875); Testemunhos Selectos 1:416, 417, 418.CRA 428.1

    O conflito entre a verdade e a condescendência com o próprio eu

    746. Os fatos relativos a Coré e seus companheiros, os quais se rebelaram contra Moisés e Arão, e contra Jeová, acham-se registrados para servirem de advertência ao povo de Deus, especialmente os que vivem na Terra perto do fim do tempo. Satanás tem levado pessoas a imitarem o exemplo de Coré, Datã e Abirã, em suscitar rebelião entre o povo de Deus. Os que se permitem levantar-se em oposição ao claro testemunho, enganam-se a si mesmos, e têm realmente pensado que aqueles sobre os quais Deus colocou o encargo de Sua obra eram exaltados acima do povo de Deus, e que seus conselhos e reprovações eram indesejados. Têm-se erguido em oposição ao franco testemunho que Deus queria que dessem em reprovação dos males existentes entre o povo de Deus. Os testemunhos apresentados contra as condescendências nocivas, como chá, café, rapé e fumo, têm irritado a certa classe, porque isso destruiria os seus ídolos. Muitos, por algum tempo ficaram indecisos quanto a fazer completo sacrifício de todos esses artigos prejudiciais, ou rejeitar o positivo testemunho apresentado, cedendo aos clamores do apetite. Assumiram uma atitude indecisa. Houve um conflito entre suas convicções quanto à verdade e suas condescendências consigo mesmos. Seu estado de indecisão tornou-os fracos, e em muitos casos prevaleceu o apetite. Sua intuição das coisas sagradas perverteu-se pelo uso desses venenos lentos; e por fim decidiram completamente, fossem quais fossem as conseqüências, não se negar a si mesmos. Esta decisão tremenda ergueu desde logo um muro de separação entre eles e os que se empenhavam em purificar-se, como Deus ordena, de toda a imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor de Deus. Os positivos testemunhos apresentados cruzavam-lhes o caminho, causando-lhes grande incômodo, e encontraram alívio em contra eles lutar, procurando crer e fazer os outros crerem, que eram falsos. Diziam que o povo estava com a razão, e que os testemunhos reprovadores é que causavam a dificuldade. E quando os rebeldes desenrolam sua bandeira, todos os desafetos acorrem ao redor do estandarte, e todos os defeituosos espirituais, os coxos, os mancos e os cegos, unem sua influência para espalhar, e semear a discórdia. — Spiritual Gifts 4:36, 37 (1864).CRA 428.2

    As raízes da intemperança

    747. Grandes esforços se fazem por derribar a intemperança; muito esforço se faz, no entanto, que não é dirigido exatamente ao ponto. Os advogados da reforma da temperança devem estar alerta quanto aos maus resultados do uso de comidas não saudáveis, dos condimentos, do chá e do café. Desejamos boa sorte a todos os obreiros da temperança; mas convidamo-los a considerar mais profundamente a causa do mal que combatem, e estar certos de que são coerentes na reforma.CRA 429.1

    Deve ser mantido perante o povo que o justo equilíbrio das faculdades mentais e morais depende em alto grau da devida condição do sistema fisiológico. Todos os narcóticos e estimulantes não naturais que enfraquecem e degradam a natureza física, tendem a baixar o tono do intelecto e da moral. A intemperança jaz à base da depravação moral do mundo. Pela satisfação do apetite pervertido, perde o homem seu poder de resistir à tentação.CRA 429.2

    Os reformadores da temperança têm uma obra a fazer em educar o povo nesse sentido. Ensinai-lhes que a saúde, o caráter, e a própria vida, são postos em perigo pelo uso de estimulantes que excitam as exaustas energias a uma ação antinatural, espasmódica.CRA 429.3

    Perseverai, e a natureza se aliará

    Quanto ao chá, ao café, fumo e bebidas alcoólicas, a única atitude segura é não tocar, não provar, não manusear. A tendência do chá, café, e bebidas semelhantes é no mesmo sentido que as bebidas alcoólicas e o fumo, e em alguns casos o hábito é tão difícil de vencer como é para um bêbado o abandonar os intoxicantes. Os que tentam deixar esses estimulantes, experimentarão por algum tempo sua falta, e sofrerão sem eles. Com persistência, porém, vencerão o forte desejo, e a falta deixará de se fazer sentir. A natureza talvez exija algum tempo até se recuperar do mau trato sofrido; dai-lhe, no entanto, uma oportunidade, e ela se reanimará, realizando nobremente e bem a sua tarefa. — A Ciência do Bom Viver, 335 (1905).CRA 430.1

    748. Satanás está corrompendo a mente e destruindo a alma mediante suas tentações sutis. Verá nosso povo e sentirá o pecado da condescendência com o apetite pervertido? Abandonarão eles o chá, o café, a carne e toda comida estimulante, e consagrará os meios despendidos com essas satisfações nocivas à propagação da verdade? ... Que poder poderá ter o adepto do fumo para deter o progresso da intemperança? Importa haver uma revolução em nosso mundo quanto ao assunto do fumo antes de o machado ser posto à raiz da árvore. Levamos a questão ainda mais longe. O chá e o café estão fomentando o apetite que se está desenvolvendo em torno de estimulantes mais fortes, como fumo e bebidas alcoólicas. — Testimonies for the Church 3:569 (1875).CRA 430.2

    749. No que respeita ao alimento cárneo, podemos todos dizer: Deixemo-lo em paz. E todos devem dar claro testemunho contra chá e café não os usando nunca. São narcóticos, juntamente nocivos ao cérebro e aos outros órgãos do corpo. ...CRA 430.3

    Renunciem os membros de nossa igreja a todo desejo egoísta em matéria de alimento. Todo dinheiro gasto em chá, café e carne é mais que desperdiçado; pois essas coisas impedem o melhor desenvolvimento das faculdades físicas, mentais e espirituais. — Carta 135, 1905.CRA 430.4

    Uma sugestão de Satanás

    750. Pensam alguns que não se podem reformar, que sacrificariam a saúde se tentassem deixar o uso do chá, do fumo e dos alimentos cárneos. Isto é a sugestão de Satanás. São esses nocivos estimulantes que estão a minar a constituição e preparando o organismo para doenças agudas por desequilibrarem o fino maquinismo da natureza e derribarem-lhe as fortificações erigidas contra a doença e decadência prematura. ...CRA 431.1

    O uso de estimulantes não naturais é destrutivo para a saúde, e tem sobre o cérebro influência obscurecedora, tornando-lhe impossível apreciar as coisas eternas. Os que acariciam esses ídolos não podem avaliar devidamente a salvação operada por Cristo em seu proveito mediante uma vida de abnegação, contínuo sofrimento, e vitupério, dando afinal a própria vida, vida impecável, para salvar da morte o homem a perecer. — Testimonies for the Church 1:548, 549 (1867).CRA 431.2

    [O efeito de chá e café sobre as crianças — 354 e 360]

    [Chá e café em nossos sanatórios — 420, 424, 437 e 438]

    [Chá, café e carne desnecessários — 805]

    [Recusa de chá e café, etc., prova serem os obreiros reformadores de saúde praticantes — 227 e 717]

    [Resultados de partilhar de chá e café em almoços e jantares — 233]

    [Esclarecer os que têm fortes desejos de tomar chá e café — 779]

    [Fazer concerto com Deus para abandonar chá e café, etc. — 41]

    [Chá e café não usados por E. G. White — Apêndice 1:18, 23.]

    [Chá ocasionalmente usado por E. G. White como remédio — Apêndice 1:18.]

    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents